Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

quinta-feira, 27 de agosto de 2020

Perda de peso pode ajudar no controle da dor

 POR PETER ABACI, MD

Anestesiologista certificado e especialista em dor 
28 DE JULHO DE 2020

Quando os pacientes e seus médicos falam sobre estratégias de alívio da dor, uma área costuma ser esquecida: o controle de peso. Embora trabalhar em um plano de controle de peso provavelmente não ofereça alívio imediato, a pesquisa parece indicar que há uma forte conexão entre carregar quilos extras e quanto nos machucamos - e até mesmo uma modesta perda de peso pode ajudar a mudar as coisas.

obesidade-doenças

Ilustração: William Mur/SAÚDE é Vital 

Se o seu médico nunca mencionou isso para você, pode ser porque os médicos muitas vezes se sentem desconfortáveis ​​ao falar sobre peso no consultório, especialmente quando a consulta é focada em um problema de dor. Falar sobre o peso corporal costuma ser um assunto delicado, e os médicos podem evitar por medo de ferir os sentimentos do paciente ou parecer insensível. Sei que me sinto mais à vontade para discutir questões relacionadas ao peso quando meus pacientes o abordam primeiro. E, iniciar uma conversa sobre perda de peso quando um paciente vem até você para obter ajuda com sua dor, pode dar a alguém a impressão de que você está descontando a gravidade do problema, negligenciando outros fatores relevantes que contribuem para a dor, ou de alguma forma está culpando o paciente, quando nenhum desses problemas poderia estar mais longe da verdade. Assim, este pode ser um assunto delicado. Uma relação médico-paciente positiva, com um alto nível de confiança, muitas vezes é necessária para fazer a bola rolar.

Mas é uma conversa importante de se ter. Porque o excesso de peso pode ter um impacto significativo em como sentimos dor. O peso corporal extra aumenta as forças mecânicas na estrutura do corpo, incluindo as articulações dos joelhos e quadris, a coluna e os grupos musculares de suporte, o que pode causar desgaste adicional. Estudos sugerem que perder apenas meio quilo pode reduzir dois quilos de pressão nos joelhos e que, para pacientes com artrite , quanto mais peso perdem, melhor o alívio da dor e a função nas atividades diárias. O peso extra, especialmente na área abdominal, parece aumentar os níveis de inflamação em partes suscetíveis do corpo, como articulações doloridas.

E não se trata apenas de artrite - condições como fibromialgia, alguns distúrbios ósseos e musculares e até mesmo enxaquecas mostram reduções na dor e, melhorias na qualidade de vida após a perda de peso. 

O excesso de peso também tem se mostrado um fator de risco para a síndrome do túnel do carpo, bem como, para o desenvolvimento de problemas de dor crônica após lesões e acidentes com veículos automotores. Um estudo com 800 mulheres descobriu que perder em média cinco quilos pode reduzir pela metade as chances de desenvolver artrite nos joelhos.

Se você luta com seu peso, entendo que ouvir sobre a relação entre peso e dor pode ser desanimador. Você está me ouvindo dizer que sua dor pode melhorar com a perda de peso, mas a dor pode ser uma das coisas que está dificultando a perda de peso! A verdade é que perder peso é difícil quando você vive com dor. Mas não impossível. Pode levar algum tempo extra, planejamento extra e paciência extra. Aqui estão algumas coisas que eu sugiro:

Visualize o sucesso. 

Em vez de se concentrar em perder peso na balança, comece a visualizar como gostaria de ver a aparência do seu corpo. 

Evite se comparar a outras pessoas ou a imagens filtradas de celebridades nas redes sociais, mas pense em como você gostaria que sua melhor versão fosse, não necessariamente apenas na frente de um espelho, mas ao se mover e interagir com o mundo . Muitos atletas de sucesso confiaram na visualização como uma ferramenta para o sucesso, porque ela ajuda a preparar seus cérebros para se comunicarem de forma mais eficaz com seus corpos na hora de competir. Mantenha aquela sua imagem especial no fundo da sua mente enquanto faz seu planejamento.

Peça orientação ao seu médico. 

Tenho certeza de que não preciso dizer que a perda de peso depende da nutrição e da modificação do estilo de vida. 

Isso é fácil de dizer, mas pode ser difícil de colocar em prática. 

Converse com seu médico para obter orientação sobre como fazer alterações. Eles podem trazer outros especialistas, como nutricionistas e psicólogos. Em alguns casos, eles podem sugerir considerar a cirurgia bariátrica. Além disso, lembre-se de que os centros médicos comunitários e regionais também podem oferecer programas e aulas especiais para perda de peso.

Obtenha ajuda com exercícios. 

O exercício pode ser um desafio para pacientes com dor. Você pode precisar da ajuda de especialistas em movimento com experiência no trabalho com pacientes com dor. Evite a armadilha de exagerar para perder peso mais rapidamente, pois isso só aumentará sua dor e o fará desistir. 

Seja gentil com seu corpo ao tentar fazer mais exercícios gradualmente. Dê o tempo que ele precisa. Costumo dizer a meus pacientes que atingir as metas de perda de peso é 75% baseado em hábitos saudáveis ​​de nutrição e apenas 25% baseado em exercícios, então não há necessidade de ficar muito preso ao que você não pode fazer na academia.

Comemore pequenas vitórias.

Costumo recomendar que meus pacientes dividam suas metas de perda de peso em etapas menores, como 2,5 quilos de cada vez. Depois que os primeiros cinco quilos forem eliminados, reconheça o impacto positivo que isso teve sobre como você se sente. Reconheça sua vitória! E então você pode fazer a transição para trabalhar nos próximos 5 kg. Porque não importa como você aborda a eliminação de peso, os resultados podem levar tempo - então você precisa ser paciente com o processo. Eu sei que é tentador, mas evite a armadilha de tentar fazer muito rápido. Em vez disso, use uma abordagem gradual. Seu plano de eliminação de peso é um caminho valioso a longo prazo para menos dor. Certifique-se de consultar seu médico antes de embarcar em qualquer nova dieta ou programa de perda de peso - e peça a eles que façam parceria com você em seus objetivos.

Blog WebMD

 © 2020 WebMD, LLC. Todos os direitos reservados.


PETER ABACI, MD  Peter Abaci, MD - Blogs

Peter Abaci, MD, é um dos maiores especialistas mundiais em dor e medicina integrativa e atua como co-fundador e Diretor Médico do Bay Area Pain & Wellness Center. Ele é um profissional dedicado, autor e celebridade do rádio.


Fonte: https://blogs.webmd.com/pain-management/20200728/how-weight-loss-can-help-with-pain-management

Tradução: Google e Sandra Santos


Aproveite o tema para assistir as dicas e orientações da Profissional Voluntária a Nutricionista Dra. Ana Carolina Ballonas, em nosso canal do YouTube


https://youtu.be/fL2p_aR40dE Alimentação Prática e Saudável

https://youtu.be/_qyXwjbBNCc - Mitos e Verdades sobre a alimentação na fibromialgia

Entre em nosso canal não esqueça de curtir 👍 , se INCREVER e ativar o sininho🔔 para receber nossas notificações de próximas lives ou vídeos postados. 

Quer mais??? Tem um montão de vídeos em nosso canal, que irá te ajudar a manter o corpo e a mente saudáveis. 😀

Acesse: https://www.youtube.com/c/AbrafibroAssocBrasdosFibromialgicos

Um comentário:

blogger disse...

Como pouco,nada de refrigerante,carnes,massas nada, açúcar pouco,as vezes fico o dia todo sem comer,e depois que comecei tomar remédios pra dor a 5 anos só fui engordando,vivo inchada,dores horríveis,