Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas cem diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

Todos merecemos o feriado para repousar...


Divirtam-se!
Brinquem!
Riam!
Tomem sol...
Abracem!
Cantem!
Ouçam músicas!
Relaxem!
O importante é fazer aquilo que traga prazer e instantes de felicidade.



A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Reportagem sobre Fibromialgia veiculada na Rede Record em 19/02/2020

Assistam e compartilhem a reportagem sobre Fibromialgia veiculada na Rede Record no programa Hoje em Dia em 19/02/2020, Vale a pena!


Vídeo da página do programa no Youtube
https://youtu.be/OzYY-zdD3FE

Sancionada Lei 6.605/2019 em São Luis - MA. Nossa gratidão ao olhar empático do vereador Ricardo Diniz

Ricardo Diniz comemora sanção da Lei que beneficia portadores de Fibromialgia

Por Assessoria de Imprensa do Vereador
17/02/2020 - 22h29

O vereador Ricardo DinizFoto: Paulo Caruá

Sancionada a Lei 6.605/2019, originária do projeto de lei n° 137/2019, de autoria do vereador Ricardo Diniz. A legislação institui, no âmbito do município de São Luís, filas preferenciais e vagas de estacionamento aos portadores de Fibromialgia.
De acordo com a lei, de agora em diante, as empresas públicas, concessionárias de serviços públicos e empresas privadas, ficam obrigadas a dispensar, durante todo o horário de expediente, atendimento preferencial aos fibromiálgicos.
Além disso, as instituições bancárias ou as destinadas a pagamentos de contas em geral, deverão incluí-los nas filas prioritárias já existentes.
Através da lei, também será permitido aos portadores da síndrome, estacionar em vagas já destinadas às pessoas com deficiência.
Para identificar os beneficiários da lei já vigente, será utilizado um cartão e adesivo, ratificados por meio de comprovação médica.
“A fibromialgia é uma doença invisível. Incurável. Os fibromiálgicos ficam impossibilitados de ir trabalhar ou ter um relacionamento social saudável, por conta das dores constantes. Aprovamos na Câmara Municipal de São Luís, filas e vagas de estacionamento aos portadores de Fibromialgia. Foi uma vitória, mas, ainda existem muitas outras a serem conquistadas”, afirmou o vereador Ricardo Diniz.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Santa Luzia - MA: mais um projeto de Lei entregue pela Abrafibro

SANTA LUZIA - MA

Mais um projeto de Lei entregue pela @abrafibro

Trata-se de filas e estacionamento prioritários para pessoas com fibromialgia!

Mais uma vez, o vereador @marcosdoesporte se coloca à disposição  através das solicitações das voluntárias @simoneelibombardi
@cris.marinho.330
 @leudileneborga
 Clemilda Silva Cutrim, Carmem Silvia Costa da Silva Vieira,  entendendo a necessidade das pessoas que sofrem tanto.

Nossos sinceros agradecimentos por abraçar uma causa tão justa voltada à saúde.

@fibromialgiamaranhao
@gafibromialgiamaran.

#abrafibro #vereadormarcosdoesporte #santaluziadomaranhao  #maranhaonoticias #maranhao #fibromialgiamaranhao #gafibromialgiamaranhao #gafibromaranhao #dorcronica #dorcronicama #dorinvisivel #dorinvisivelma #ligadadorma #dornaoefrescura #fibromialgianaoefrescura #fibromialgianordeste


Injeção no ponto gatilho pode aliviar a dor? Saiba mais

Tudo o que você precisa saber sobre injeções no ponto de gatilho


Os médicos usam injeções no ponto de gatilho para tratar dores musculares crônicas e outros problemas que afetam o sistema músculo-esquelético.

A dor muscular pode se desenvolver por várias razões, desde dormir na posição errada até romper grandes grupos musculares durante uma sessão intensa de levantamento de peso.

Embora muitos tipos de dores musculares se resolvam após alguns dias de descanso, pessoas com dores musculares persistentes ou crônicas podem precisar de tratamento médico.

A dor muscular crônica pode ter um impacto significativo na capacidade de uma pessoa funcionar e em sua qualidade de vida. As injeções no ponto de gatilho podem oferecer benefícios imediatos para pessoas com dor muscular crônica.

Abaixo, aprenda sobre os usos, eficácia, efeitos colaterais e riscos das injeções no ponto de gatilho.

O que são injeções no ponto de gatilho?

a woman about to receive a trigger point injection from a doctor
Uma injeção no ponto de gatilho pode ajudar a tratar um problema que afeta o sistema músculo-esquelético.

As injeções no ponto de gatilho podem tratar a dor muscular crônica relacionada aos pontos de gatilho miofasciais, que são feixes de fibras altamente sensíveis em bandas musculares apertadas.

O tratamento envolve a injeção de medicamentos diretamente nos pontos-gatilho miofasciais. O médico determinará o melhor tipo de medicamento com base na gravidade e na causa subjacente da dor.

As injeções no ponto de gatilho podem incluir:



  • um anestésico local, como lidocaína, que bloqueia os receptores de dor nos músculos
  • um corticosteróide, que reduz a inflamação no músculo e tecido conjuntivo ao redor de um nervo
  • toxina botulínica A (Botox), que interfere nas vias de sinalização nervosa e evita contrações musculares

Durante o procedimento, o médico irá inserir uma pequena agulha em um ponto de gatilho miofascial e injetar o medicamento.

Pessoas que têm músculos especialmente tensos podem sentir uma sensação de esmagamento quando o médico insere a agulha. Esse sentimento geralmente desaparece quando o músculo relaxa.

Usos

As injeções no ponto de gatilho podem ajudar a aliviar a dor causada por condições que afetam os sistemas músculo-esquelético e nervoso, como os abaixo.

Síndrome da dor miofascial

As injeções no ponto de gatilho podem ajudar a aliviar os sintomas da síndrome da dor miofascial, uma condição de dor crônica que afeta os músculos e o tecido circundante.

Na síndrome da dor miofascial, os pontos-gatilho estimulam as respostas à dor em partes aparentemente não relacionadas do corpo. Esse fenômeno é chamado de dor referida.

As injeções no ponto de gatilho podem reduzir a dor muscular localizada, relaxando os músculos afetados, e os pesquisadores acreditam que as injeções interrompem as vias de sinalização nervosa que causam a dor referida.

As possíveis causas dos pontos de gatilho miofasciais incluem:


  • lesão ou trauma no músculo
  • movimentos repetitivos
  • postura pobre
  • estresse psicológico

Além da dor referida, uma pessoa com dor miofascial pode apresentar:


  • dor em partes específicas de um músculo
  • dor que se intensifica quando a pessoa se move ou estica o músculo afetado
  • nós musculares que a pessoa pode sentir pelo toque
  • rigidez ou fraqueza muscular
  • uma amplitude de movimento limitada

Fibromialgia

A fibromialgia é uma condição de dor crônica que compartilha alguns sintomas da artrite, mas afeta os tecidos moles em vez das articulações.

A causa exata da fibromialgia permanece desconhecida, mas os possíveis fatores de risco incluem:


  • história de distúrbio autoimune, como lúpus ou artrite reumatóide
  • trauma físico ou psicológico
  • história familiar de fibromialgia
  • infecções
  • ser mulher

Os sintomas da fibromialgia incluem:


  • dor e rigidez em todo o corpo
  • dores de cabeça
  • dormência ou formigamento nas mãos e pés
  • problemas digestivos
  • sono ruim e fadiga diurna
  • Dificuldade de concentração
  • sintomas de depressão ou ansiedade

Historicamente, os médicos diagnosticavam fibromialgia em pessoas que relatavam dor ou sensibilidade em pontos-gatilho específicos em todo o corpo.

Ao contrário da síndrome da dor miofascial, que causa dor muscular localizada, a fibromialgia causa dor generalizada ou sistêmica.

Isso sugere que a dor da fibromialgia provém de problemas neurológicos que afetam como o cérebro processa informações sensoriais.

Com isso dito, os pontos gatilhos miofasciais e a fibromialgia causam perfis semelhantes de dor, e alguns pesquisadores acreditam que os pontos gatilhos miofasciais contribuem para a dor da fibromialgia.

Dores de cabeça

Pontos de gatilho nos ombros, pescoço e cabeça podem contribuir para a enxaqueca e os distúrbios da dor de cabeça do tipo tensão, de acordo com a American Migraine Foundation.

Em um artigo de 2014, os pesquisadores compararam a presença de pontos-gatilho miofasciais em 20 estudantes de fisioterapia com enxaqueca episódica e 20 indivíduos saudáveis ​​sem enxaqueca.

Os pesquisadores descobriram um número significativamente maior de pontos-gatilho miofasciais no grupo com enxaqueca.

Os autores de um estudo de 2016 examinaram a relação entre os pontos-gatilho miofasciais e a sensibilidade à dor por pressão em pessoas com dores de cabeça episódicas ou crônicas por tensão.

Os indivíduos com mais pontos de gatilho miofasciais foram mais sensíveis à dor por pressão do que aqueles com menos pontos. Os resultados sugerem que os pontos-gatilho miofasciais influenciam a intensidade desses tipos de dor de cabeça.

Como funciona?

As injeções no ponto de gatilho podem oferecer alívio imediato da dor e maior amplitude de movimento para pessoas com dor muscular crônica.

No entanto, essas injeções não afetam a todos da mesma maneira. Algumas pessoas experimentam alívio significativo da dor imediatamente após as injeções, enquanto outras acham que vários dias ou semanas podem passar antes que a dor melhore.

Algumas pessoas não se beneficiam de injeções no ponto de gatilho.

Pesquisadores de um pequeno estudo de 2019 investigaram os efeitos dessas injeções em pessoas com dor no músculo abdominal. Os participantes relataram reduções significativas na dor 2 anos após a injeção inicial. Cinco participantes necessitaram de uma injeção adicional, enquanto outro não teve resposta ao tratamento.

Embora as injeções no ponto de gatilho possam oferecer benefícios significativos para algumas pessoas, vários pesquisadores descobriram que essa terapia pode ser ineficaz.

Efeitos colaterais

As injeções no ponto de gatilho podem causar vários efeitos colaterais imediatos e de longo prazo, incluindo:


  • dor ou dormência temporária ao redor do local da injeção
  • descoloração ou ondulações da pele perto do local da injeção
  • tonturas ou tonturas
  • sangrando

Além disso, as injeções de pontos-gatilho com anestesia podem causar uma forma grave de dano muscular, chamada mionecrose. Isso pode curar dentro de 3 a 4 semanas.

Dor, inchaço e sensibilidade perto do local da injeção geralmente desaparecem após algumas horas. Se algum efeito colateral não resolver dentro de algumas semanas, entre em contato com o médico.

Riscos

Embora as injeções no ponto de gatilho raramente causem complicações graves, elas podem levar a:


  • infecção no local da injeção
  • hematomas
  • lesão muscular ou nervosa
  • raramente, ar ou gás se acumulam no espaço entre a parede torácica e os pulmões, o que pode causar um ou ambos os pulmões em colapso

A imagem por ultrassom pode ajudar a minimizar o risco de desenvolver uma complicação grave das injeções no ponto de gatilho.


Sumário

As injeções no ponto de gatilho podem ser um tratamento seguro para condições de dor crônica, como síndrome da dor miofascial, fibromialgia e dores de cabeça do tipo tensional.

Um médico ou outro profissional de saúde administra as injeções diretamente no músculo afetado.

A injeção pode conter anestésico local, corticosteróide ou toxina botulínica A.

As injeções no ponto de gatilho podem proporcionar alívio imediato da dor para algumas pessoas, enquanto outras podem não ter resposta ao tratamento.

Um médico pode fornecer informações mais detalhadas sobre os riscos e benefícios deste tratamento.

Tradução do texto original : https://www.medicalnewstoday.com/articles/327384#uses

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Vereadores desenvolvem lei de amparo aos pacientes com Fibromialgia


Apafibro juntamente com grupo de vereadores desenvolvem projetos de lei de amparo aos pacientes com Fibromiagia



vídeo originalmente publicado em 

Hérnia de Disco ou Espondilolistese?

Conheça a espondilolistese, que pode ser confundida com hérnia de disco 


por Paola Machado 


Crédito: iStock 

No Brasil, a dor na coluna atinge até 13% de toda a população. Segundo a OMS (O31rganização Mundial de Saúde), estima-se que 8 em cada 10 pessoas irão apresentar algum episódio de dor nas costas. Afinal, quem nunca sentiu um desconforto nas costas após carregar uma sacola mais pesada, fazer uma atividade mais pesada ou uma faxina em casa? 

Entenda a espondilolistese 


Essa condição, não muito conhecida e de nome um pouco complicado, pode ter os sintomas confundidos com uma hérnia de disco. 
A espondilolistese ocorre quando uma vértebra da coluna se desalinha e se move sobre outras vértebras, como se a vértebra saísse do seu lugar. Muitas vezes é assintomática, mas quando há grande deslocamento da vértebra pode comprimir as raízes nervosas e gerar dor. 
A prevalência varia de 19% a 43%, com incidência maior em mulheres. A espondilolistese é medida através do grau da listese, ou seja, o quanto a vértebra sofreu o deslizamento. A ocorrência é maior na coluna lombar, principalmente entre os níveis L5-S1, predispondo a dores nesta região. 
Pode ser congênita, ou seja, a pessoa já nasce com ela, ou adquirida por estresse ósseo, doença reumatológica, traumatismos, entre outras causas. 

Classificação 


  • Diplásica Congênita Associada a um defeito de formação do arco neural. Os sintomas se desenvolvem após 8 anos de idade. 
  • Ístimica Mais comumente causada por estresse mecânico repetitivo em extensão e torção da coluna. Incidência maior no nível L5-S1 de adolescentes e adultos jovens. 
  • Degenerativa Processos degenerativos com alterações adaptativas da coluna ao processo de envelhecimento, frequente em pessoas acima dos 40 anos. 
  • Traumática Causada por quedas e acidentes. 
  • Patológica Relacionada a presença de tumores. 


O diagnóstico pode ser feito através de exames de imagens como raio-X, tomografia e ressonância magnética que irão mostrar com eficácia o nível do deslizamento da vértebra e a compressão nervosa. 

Tratamento 


O tratamento conservador deve ser sempre a primeira opção e tem como base a fisioterapia em associação ao tratamento medicamentoso prescrito pelo médico. A fisioterapia tem como objetivo reduzir a dor, restaurar a amplitude de movimento e a função muscular. 
  • Estudos recentes mostram que tanto o tratamento por fisioterapia convencional como terapias manuais apresentam efeitos benéficos na redução da dor causada pela lesão e na melhora funcional do paciente. 
  • Os exercícios de fortalecimento da coluna devem ser inseridos logo após a redução da dor, com a finalidade de fortalecer e estabilizar os músculos espinhais específicos, estabilizadores do tronco, e promover o retorno precoce às atividades. 
  • O tratamento cirúrgico está indicado quando há falhas no tratamento conservador, instabilidade radiológica com presença de sintomas neurológicos, piora progressiva da listese, listese maior de 50% ou lombalgias incapacitantes. Existem várias técnicas cirúrgicas e o objetivo é a descompressão das estruturas nervosas e a estabilização da coluna. 

3 mitos e dicas para lidar com a dor na coluna


"Tomarei um relaxante muscular por conta" 

Evite o abuso dos remédios para tratar as dores na coluna! Quando há orientação do profissional de saúde, analgésicos e anti-inflamatórios oferecem alívio e conforto nos quadros agudos. Porém o uso abusivo dos medicamentos sem orientação médica, além de mascarar os sintomas de doenças mais graves, pode levar a sérios efeitos colaterais e não tratam a causa principal do problema. 

"Ficarei deitado até passar a dor" 

Evite ficar em repouso absoluto! O repouso absoluto é recomendado apenas em casos específicos e por tempo determinado pelo médico. O repouso prolongado gera, além da atrofia muscular, um quadro emocional que alimenta o ciclo de dor crônica que leva à amplificação da dor. A pessoa passa a entender que se ela realizar algum movimento, irá sentir dor e, por isso, limita e não executa adequadamente os movimentos. 

Exercite-se 

Os exercícios direcionados e bem orientados influenciam o sistema inibitório endógeno e induzem a hipoalgesia –diminuição de dor. Além disso, o exercício melhora as questões psicológicas envolvidas na ansiedade e trata os sintomas. O fortalecimento dos músculos específicos importantes geram a estabilização da coluna. Lembre-se de antes de iniciar os exercícios, procurar a orientação de um profissional da área da saúde.


 *Colaboração da Fisioterapeuta Phd Unifesp e Griffith University Renata Luri e da Fisioterapeuta UNIFESP Juliana Satake

Referências:
 – Bydon, M., Alvi, M. A., & Goyal, A. Degenerative Lumbar Spondylolisthesis. Neurosurgery Clinics of North America, v.30, n.3, p.299–304, 2019. 
– Freitas, M. Neves, N. Espondilolistese do desenvolvimento. Rev. Port. Ortop. Traum. v.20 n.4, 2012. 
– Ghogawala, Zoher; Dunbar, Melissa R; Essa, Irfan.Lumbar spondylolisthesis: modern registries and the development of artificial intelligence. J Neurosurg Spine ; 30(6): 729-735, 2019. 
– Jassi, F. J. et al. Terapia manual no tratamento da espondilólise e espondilolistese: revisão de literatura Manual therapy for treating spondylolysis and spondylolisthesis: a literature review. Fisioterapia e Pesquisa, São Paulo, v.17, n.4, p. 366-71, out/dez. 2010. 
– Karsy, M., & Bisson, E. F. Surgical Versus Nonsurgical Treatment of Lumbar Spondylolisthesis. Neurosurgery Clinics of North America, 2019. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL 

texto original

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Projetos de Lei e suas tramitações no Congresso Nacional: VAMOS À LUTA, FIBROMIÁLGICOS!!!

13/02/2020  ESTE É O LEVANTAMENTO QUE FIZEMOS SOBRE TODOS OS PROJETOS DE LEI QUE, TRAMITAM NO SENADO E NA CÂMARA DOS DEPUTADOS, QUE PODEM BENEFICIAR OS FIBROMIÁLGICOS EM TODO BRASIL.

O mais importante a notar é a morosidade com que são analisados.
Precisamos juntos, enviar e-mail a quem depende de parecer, ao deputado/senador que criou o Projeto de Lei, ao presidente da Casa Legislativa pedindo que agilizem a tramitação.
Quem tem dor tem pressa!
Quanto mais mensagem forem enviadas, maiores nossas chances de “fazer tramitar” o mais rápido possível o Projeto, para que consigamos algumas políticas públicas que nos beneficiem.
Em todos os projetos há a justificativa do seu criador. Ao começarmos a conquistar tais políticas, mais argumentos teremos para modificar a avaliação feita pelo INSS.
Como já viram, a sugestão legislativa enviada para o Senado, pediu que passássemos a ter direito aos benefícios previdenciários. Não foi aceito! Então, nos resta provar que, as políticas públicas estão presentes para nos amparar, o mesmo precisamos ter por parte do INSS.
Vamos fazer estes projetos saírem das gavetas e chegarem a promulgação e sanção do Poder Executivo (Presidência da República), e também sua regulamentação quando necessário.
Cada um fazendo sua parte, mostraremos força, união, determinação e necessidade.
Escreva com suas palavras porque o projeto será um benefício aos Fibromiálgicos brasileiros. Fiquem atentos ao tema do Projeto de Lei. Ok?!
Abracemos nossa causa com garra e determinação. Só assim conquistaremos políticas públicas que possam nos beneficiar de alguma forma.

Abraços Fraternos,


Sandra Santos
Presidente
Abrafibro – Associação Brasileira dos Fibromiálgicos

Resultado de imagem para congresso nacional
foto do Google imagens

TRAMITAM NA CÂMARA DOS DEPUTADOS


·         PROJETO DE LEI NR./Localização Site

6857/2013 - Acrescenta parágrafo ao art. 58 da Consolidação das Leis do Trabalho para dispor sobre a jornada de trabalho dos empregados acometidos pela síndrome da fibromialgia e da fadiga crônica
AUTOR  : Dep Érika Kokay
SITUAÇÃO : Apenas desarquivado em 12/03/2019
E-MAIL : dep.erikakokay@camara.leg.br    
*Solicitar a tramitação urgente para aprovação!
                                    ____________________________________________

·         PROJETO DE LEI NR./Localização Site

3638/2015 - Institui o Programa Nacional de Referência em Tratamento da Fibromialgia. https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2055354
AUTOR : Dep Rogério Rosso – não está legislando. Pedir a outro deputado o desarquivamento.
SITUAÇÃO: Arquivado
E-MAIL
*Pedir a outro deputado o desarquivamento.
                                  ___________________________________________

·         PROJETO DE LEI NR./Localização Site

13/2015 - Inclui os medicamentos para disfunções tiroidianas, fibromialgia, artrite reumatoide, ansiedade e depressão na abrangência da Lei nº 10.858, de 13 de abril de 2004, que "autoriza a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) a disponibilizar medicamentos, mediante ressarcimento, e dá outras providências".  https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=944255
AUTOR : Dep Lucas Vergilio
SITUAÇÃO : 
20/12/2019 -Aguardando Parecer do Relator na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) Relator: Dep. Gurgel
Presidente da Comissão: Dep. LUIS FELIPE BONATTO FRANCISCHINI
E-MAIL          
CCJC -  Presidente da Comissão dep.felipefrancischini@camara.leg.br
CCJC – Relator: dep.gurgel@camara.leg.br 
CCJC – Relator: dep.gurgel@camara.leg.br 




*Solicitar a todos a rápida tramitação, parecer, leitura em plenário, aprovação.
                                         ______________________________________________


·         PROJETO DE LEI NR./Localização Site

1093/2019 + 4279/2019 + 4452/2019 + 4870/2019 + 2741/2019 + 56/2020
Dispõe sobre o atendimento prioritário a pessoas com fibromialgia 
Dispõe sobre o atendimento prioritário às pessoas com doenças neuromusculares, neurodegenerativas e autoimunes.
AUTOR  : Deputados: Felipe Carreras, Boca Aberta, Marreca Filho
Rejane Dias,
Ricardo IzarWeliton Prado , Capitão Alberto Neto
SITUAÇÃO : 23/10/2019 - Pronta para Pauta na Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) . 
Presidente desta Comissão:
Presidente desta Comissão: Dep ANTONIO  BRITO
E-MAIL
Na ordem por autores:

Presidente da Comissão:

*Solicitar a todos a rápida tramitação, parecer, leitura em plenário, aprovação.
                            _____________________________________________________

·         PROJETO DE LEI NR./Localização Site

3010/2019 + 5711/2019 Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Fibromialgia
AUTOR  : Dr Leonardo, Ted Conti
SITUAÇÃO : 28/08/2019 – Designada Relatora Dep Dulce Miranda. Já encerrou o prazo para emendas em 1109/2019, sem emendas. Em 05/11/2019 foi anexado o PL 5711/2019.
Parado na Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF).
Presidente desta Comissão:
Presidente desta comissão: Dep ANTONIO  BRITO
E-MAIL


Presidente da CSSF:  dep.antoniobrito@camara.leg.br

*Solicitar a todos a rápida tramitação, parecer, leitura em plenário, aprovação.
                          ___________________________________________________


·         PROJETO DE LEI NR./Localização Site

244/2020 - Institui o Programa de Atividades Físicas em unidades da Atenção Primária à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS

SITUAÇÃO : Aguardando Despacho do Presidente da Câmara dos Deputados
Presidente da Câmara dos Deputados: Dep Rodrigo Maia
E-MAIL

Presidente da Câmara dos Deputados:


Até esta data – 13/02/2020 – é o que encontramos no site da Câmara dos Deputados.

-TRAMITAM NO SENADO


·         PROJETO DE LEI NR./Localização Site

3525/2019 - Estabelece diretrizes para o atendimento prestado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) às pessoas acometidas por Síndrome de Fibromialgia ou Fadiga Crônica.
AUTOR : Originou na Câmara dos Dep – autora Érika Kokay. Foi aprovado lá. Agora tramita no Senado.
SITUAÇÃO : 03/12/2019 – Pronto para discussão na Comissão Assuntos Econômicos – CAE
Presidente desta Comissão:  Senador Omar Aziz
E-MAIL

                            ________________________________________________

·         PROJETO DE LEI NR./Localização Site

1853/2019 + 585/2019 -  Altera o inciso XIV do art. 6º da Lei nº 7.713, de 22 de dezembro de 1988, para incluir a fibromialgia entre as doenças que autorizam isenção do imposto de renda das pessoas físicas sobre proventos de aposentadoria ou reforma.
*Inclui pacientes com diabetes

AUTOR : Sen Lucas Barreto, Sen Álvaro Dias
SITUAÇÃO : 28/11/2019 -  AGUARDANDO INCLUSÃO ORDEM DO DIA DE REQUERIMENTO EM PLENÁRIO. Presidente do Senado: Sen. Davi Alcolumbre
E-MAIL
Sen Lucas Barreto está em licença saúde.
Presidente do Senado:

Solicitar a inclusão na Ordem do Dia em Plenário, para rápida votação e aprovação.



*********************************************************************************

É o que encontramos até esta data – 13/02/2020.
Não deixe de fazer sua parte. Reclamar e sofrer sem nada fazer, não diminui a intensidade dos sintomas e dos sentimentos.
Aja, reaja, fale a quem pode fazer por você e todos nós.
Com a criação de políticas públicas que beneficiem os Fibromiálgicos, é que mostraremos quantos e quem somos. -----------------------------------

'Desafio da rasteira' pode causar lesões irreversíveis, diz Sociedade Brasileira de Neurocirurgia


Entidade emitiu alerta sobre os riscos da prática, que viralizou nas redes sociais. 'Brincadeira' preocupa pais e educadores neste período de início do ano letivo.
Por Bruno Vital, G1 RN
13/02/2020 11h17  Atualizado há 3 horas
"Brincadeira quebra-crânio" ou "desafio da rasteira" pode causar lesões irreversíveis, diz SBN — Foto: Reprodução 
"Brincadeira quebra-crânio" ou "desafio da rasteira" pode causar lesões irreversíveis, diz SBN — Foto: Reprodução

A Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN) emitiu uma nota alertando pais e educadores sobre o perigo da "brincadeira quebra-crânio" ou "desafio da rasteira", que viralizou nas redes sociais, nesta semana. Na terça-feira (11), vídeos em que adolescentes aplicam rasteiras uns aos outros começaram a circular na internet, o que preocupou pais e mães neste período de início de ano letivo.
A nota da SBN reforça que o "desafio", que provoca uma queda brutal, pode causar lesões irreversíveis ao crânio e à coluna vertebral. "A vítima pode sofrer danos no desempenho cognitivo, fratura de vértebras, perder movimentos do corpo e até morrer".


Em um dos vídeos que ganharam as mídias sociais, três alunas do Colégio Marista de Natal aparecem reproduzindo o desafio da rasteira. Segundo a vice-diretora educacional da instituição, Ilce Mara da Silva, a escola tomou conhecimento do fato e adotou “medidas preventivas”.
“Dialogamos, conversamos, explicamos os riscos, junto com a família delas. São ótimas alunas, mas que agiram na impulsividade. Além desse episódio em específico, também adotamos medidas preventivas educativas durante todo o ano”, afirma.
A nota da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia afirma que "o que parece ser uma brincadeira inofensiva, é gravíssimo e pode terminar em óbito. Os responsáveis pela “brincadeira” de mau gosto podem responder penalmente por lesão corporal grave e até mesmo homicídio culposo. Deste modo, como sociedade, pais, filhos e amigos, devemos agir para interromper o movimento e prevenir a ocorrência de novas vítimas. Acompanhar e informar/educar sobre a gravidade dos fatos, pode ser a primeira linha de ação."

Brincadeira em escola causa morte em escola do interior do RN

Em novembro do ano passado, uma adolescente de 16 anos morreu em Mossoró, Oeste potiguar, depois de bater a cabeça enquanto participava da brincadeira. Embora tenha acontecido há três meses, a morte de Emanuela Medeiros se popularizou nesta semana. O caso da estudante, que sofreu traumatismo craniano em uma outra "brincadeira" perigosa, foi compartilhado nas redes sociais como um alerta para o perigo do "desafio quebra-crânio".

Confira a nota da SBN na íntegra:
Prezados (as) senhores (as),⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN) vem, por meio deste, alertar aos #pais e #educadores sobre a necessidade de reforçar a atenção com crianças e adolescentes, diante do #desafio “quebra-crânio”, que se alastra pelo ambiente doméstico, escolar e é reproduzido nas redes sociais.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Ele provoca uma queda brutal, onde um dos participantes bate a cabeça diretamente no chão, antes que possa estender os braços para se defender.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Esta queda pode provocar lesões irreversíveis ao crânio e encéfalo (Traumatismo Cranioencefálico - TCE), além de danos à coluna vertebral. Como resultado, a vítima pode ter seu desempenho cognitivo afetado, fraturar diversas vértebras, ter prejuízo aos movimentos do corpo e, em casos mais graves, ir a óbito.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O que parece ser uma brincadeira inofensiva, é gravíssimo e pode terminar em óbito. Os responsáveis pela “brincadeira” de mau gosto podem responder penalmente por lesão corporal grave e até mesmo homicídio culposo.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Deste modo, como sociedade, pais, filhos e amigos, devemos agir para interromper o movimento e prevenir a ocorrência de novas vítimas. Acompanhar e informar/educar sobre a gravidade dos fatos, pode ser a primeira linha de ação.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Sem mais para o momento, subscrevemo-nos.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Diretoria
Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN)


Fonte: