Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar e interdisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas em diversos aspectos, como:
tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.
Você pode seguir nossos outros canais de notícias.
Escolha:
Aqui, você pode cadastrar seu e-mail, logo abaixo, na coluna à sua direita.
Ou escolher entre:
WhatsApp
Telegram

Notícias sobre Fibromialgia e Saúde.
Não são grupos interativos.

Discutimos ações em parcerias com pacientes e parlamentares, na busca por políticas públicas que dignifiquem e tragam à tona assuntos e benefícios importantes para nossa qualidade de vida.

TRADUTOR

Siga-nos por e-mail

Mostrando postagens com marcador diagnóstico fibromialgia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador diagnóstico fibromialgia. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 24 de novembro de 2020

Erros comuns de diagnóstico de fibromialgia

 

Fibromialgia: do diagnóstico e causas aos tratamentos                                             imagem do site https://www.medley.com.br/blog/saude-mental/fibromialgia-o-que-e

 

 


A fibromialgia é uma condição caracterizada por dor crônica generalizada e fadiga sem causa conhecida. Embora a dor possa não ter sido causada por um ferimento, é real.

Quando a fibromialgia é diagnosticada e tratada adequadamente, muitas pessoas experimentam uma redução nos sintomas.

Mas o diagnóstico de fibromialgia geralmente é difícil. Seus sintomas podem se confundir os de outras patologias.

Aqui estão algumas maneiras comuns pelas quais a fibromialgia pode ser diagnosticada incorretamente.

Sobreposição de sintoma

O principal sintoma da fibromialgia é a dor generalizada. Você pode sentir dor no lado direito e esquerdo do corpo. Também pode ser acima e abaixo da cintura. Mas a dor também pode ocorrer em apenas um ou dois lugares do corpo, especialmente no pescoço e nos ombros.

O diagnóstico de fibromialgia pode ser complicado, porque a fibromialgia não é a única condição com dor generalizada.

Além da dor, outro sintoma importante da fibromialgia é a fadiga crônica . Mas os pacientes com outras condições também apresentam fadiga crônica .

Existem outros sintomas que podem ocorrer na fibromialgia. Mas, assim como a dor e a fadiga , os sintomas são experimentados por pacientes com outras condições. Esses sintomas incluem:

  • Confusão mental junto com a dificuldade na concentração e a perda de memória ("névoa fibro" ou fibro fog)
  • Dores de cabeça , tensão e enxaqueca
  • Sensibilidade à temperatura, luz e ruído
  • Síndrome do intestino irritável
  • Síndrome da Dor miofacial
  • Rigidez matinal
  • Entorpecimento ou formigamento das extremidades
  • Distúrbios do sono
  • Problemas urinários

Qualquer combinação desses sintomas também pode sugerir a presença de outras doenças graves, como:

  • Hipotireoidismo
  • Apnéia do sono
  • Artrite reumatoide
  • Lúpus
  • Tumores

Outra razão pela qual a fibromialgia é difícil de diagnosticar é a tendência de alguns sintomas ocorrerem em vários pacientes com fibromialgia. Mas não serão iguais para todos. Portanto, nem todo mundo com fibromialgia terá todos os sintomas descritos acima.

E como os sintomas podem sugerir várias doenças, os médicos precisam primeiro descartá-las enquanto procuram uma explicação.

Condições Coexistentes

Outro problema com o diagnóstico de fibromialgia é que o paciente pode ter outras doenças ao mesmo tempo que a fibromialgia.

Por exemplo, uma pessoa pode ter doença de Lyme , artrite ou apneia obstrutiva do sono - todas as condições que podem mascarar a fibromialgia - e também ter fibromialgia como condição secundária.

Os profissionais de saúde, especialmente aqueles não familiarizados com a fibromialgia, podem limitar-se a tratar uma doença e deixar de verificar se a fibromialgia pode estar contribuindo para os sintomas.

Diagnosticando Fibromialgia

A fibromialgia é frequentemente identificada por  um exame físico . Pessoas com fibromialgia têm uma história de dor generalizada sem causa evidente que dura três meses ou mais. Pode haver vários pontos sensíveis no corpo do paciente que são identificados pela aplicação de pressão a esses pontos. Podem ser um sinal de fibromialgia, mas não são necessários para um diagnóstico.

Obtendo um diagnóstico de fibromialgia

Há várias coisas importantes a se ter em mente ao pensar sobre a dor crônica generalizada:

  • A dor crônica contínua e generalizada não está na cabeça, mas pode haver fatores emocionais contribuintes, como depressão ou ansiedade . A dor é real e precisa ser avaliada.
 
  • Manter um diário de seus sintomas de dor tornará mais fácil conversar com seu médico sobre a dor. Isso ajudará a garantir que o médico tenha as informações necessárias para avaliar adequadamente sua condição.
 
  • A consulta com um especialista (geralmente um reumatologista ) familiarizado com a fibromialgia pode ajudar a diagnosticar ou descartar a fibromialgia como causa da dor.
 
  • Existem tratamentos eficazes para a fibromialgia que podem melhorar a qualidade de vida de uma pessoa.