Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador Feriados e Fibromialgia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Feriados e Fibromialgia. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Melhor controle da dor durante as férias

PETER ABACI, MD
Anestesista e especialista em dor certificados pelo conselho
06 DE DEZEMBRO DE 2019

A temporada de férias pode ser um período intenso para muitos de meus pacientes, com muitos altos e baixos. A pressão de participar de encontros familiares, comprar presentes e organizar reuniões pode facilmente aumentar os níveis de estresse. E mais estresse geralmente leva a piores dores.

Além das atividades extras e das corridas, as férias também podem ser um período altamente emocional. Pode ser um período de depressão mais profunda, maior solidão e até sentimentos de perda ou culpa. Para alguns, as mudanças de humor nessa época do ano são o resultado de um distúrbio afetivo sazonal, uma forma de depressão associada a mudanças sazonais (geralmente chamadas de “blues de inverno”). Essas mudanças de humor podem dificultar o gerenciamento da dor.

Mudanças climáticas sazonais também podem afetar a experiência da dor. Os pacientes costumam me dizer que o clima mais frio e as mudanças na pressão barométrica aumentam seus níveis de dor.

A comida também pode criar problemas. As férias costumam ser um momento de panificação e reuniões que se concentram em torno da comida, e junto com isso vêm guloseimas e lanches tentadores. Muitas dessas guloseimas podem ter alto teor de açúcar e os alimentos açucarados são geralmente considerados pró-inflamatórios, o que significa que aumentam a inflamação dos tecidos em locais como dores nas articulações. Alimentos salgados processados, como carnes curadas e bolachas salgadas, costumam ter alto teor de sal, o que pode levar a inchaço e retenção de água em torno de pontos quentes dolorosos. Condições como artrite e fibromialgia certamente podem ser agravadas por esses alimentos pró-inflamatórios, e certos queijos, chocolate e vinho tinto, todos populares durante as férias, servem como gatilhos comuns que os pacientes com enxaqueca precisam observar.

Se você se deparar com mais dores durante esta época do ano, ter um plano especial para as férias pode ser útil. Aqui estão algumas sugestões para o desenvolvimento de um plano de jogo eficaz:

  • Mantenha simples. Pode ser uma época do ano agitada, com muito a fazer, mas adicionar tarefas extras ao dia ocupado pode causar mais mal do que bem. Evite tentar fazer muita coisa, reservando alguns dias para reagrupar e recarregar. Nos seus dias de folga, faça algo que você sabe que ajudará a reduzir a dor e o estresse, seja para uma caminhada agradável, para agendar uma visita ao quiroprático ou para uma aula de ioga.

  • Rir o máximo possível. Algumas de suas interações sociais durante esta temporada podem ser estressantes - pode ser frustrante falar sobre sua dor com amigos ou familiares que não são simpáticos. Portanto, marque um horário para visitar ou ligar para as pessoas especiais em sua vida que sabem como fazer você sorrir e rir. E tenha um programa ou filme engraçado disponível para aqueles momentos em que é necessária alguma leveza.

  • Faça um kit de ferramentas anti-inflamatórias. Um primeiro passo fácil é manter uma garrafa de água com você. Manter-se bem hidratado é realmente importante, e beber muita água é uma boa maneira de evitar o consumo excessivo de bebidas açucaradas ou alcoólicas. Ter um saco de nozes à mão é outra estratégia preventiva eficaz para evitar o excesso de guloseimas pró-inflamatórias, enquanto preenche gorduras anti-inflamatórias saudáveis. Depois de ter o básico, considere adicionar ao seu kit de ferramentas coisas que você gosta, como saquinhos de chá verde, doses de gengibre ou uma mistura de músicas relaxantes que colocam você no humor certo.

Espero que essas dicas ajudem você a tirar o melhor proveito de suas férias!

© 2019 WebMD, LLC. Todos os direitos reservados.

texto original
https://blogs.webmd.com/pain-management/20191206/better-pain-management-during-the-holidays?ecd=wnl_cbp_121419&ctr=wnl-cbp-121419_nsl-Bodymodule_Position4&mb=zIO2Trxt3XuHX1VhofTIWChonS%2fH3cwyBxN3j2c9bDc%3d