Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador FIBROMIALGIA DOENÇA AMBIENTAL. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador FIBROMIALGIA DOENÇA AMBIENTAL. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Fibromialgia poderia ser uma doença ambiental?

Doenças ambientais resultam da acumulação de poluentes ambientais orgânicos e inorgânicos no corpo humano. Resultando em processos inflamatórios, alérgicos ou tóxicos crônicos. Um grande número de doenças crônicas, funcionais, inflamatórias e dolorosas têm sido associadas a um aumento da presença de substâncias químicas nos organismos das pessoas que vivem em grandes centros urbano e regiões industrializadas ou em processo de industrialização.


Medicina ambiental é o campo da medicina aonde essa hipótese vem sendo estudada.

Doenças alérgicas, inflamatórias,auto-imunes, degenerativas e malignas tem aumentado tanto sua ocorrência na população mundial que a OMS usa o termo epidemia para descrever essa ocorrência no mundo. Estudos e pesquisas têm relacionado essa epidemia de inflamação a um aumento da exposição do ser humano a produtos químicos, resultantes da atividade industrial.
Produtos que são usados na casa,na escola no trabalho, escritório, agricultura e nas fábricas. Tais como pesticidas, agrotóxicos e solventes orgânicos, conservantes, aromatizantes, estabilizantes,antioxidantes, corantes, branqueadores, amaciantes, perfumes, cosméticos, medicamentos usados de forma abusiva ou sem controle médico, mofo de parede, ar poluído das grandes cidades, todos esse fatores somados representariam a carga total de poluentes a qual está submetido um individuo que vive em centros urbanos industrializados. Essas toxinas ambientais contidas na água que bebemos, alimentos que comemos e ar que respiramos, precisam ser gerenciadas pelo corpo. Ou seja, ao entrar no corpo precisa ser eliminada o mais rápido possível e, o corpo tem um sistema de desintoxicação, que se eficaz, nos permite viver nesse mundo poluído sem que se tenhamos grandes problemas de saúde.
Entretanto, indivíduos sensíveis, com falhas no processo de desintoxicação, com deficiências nutricionais de minerais ou vitaminas, ou por exposição prolongada ou maciça a químicos podem sofrer um processo de acumulação de toxinas tão intenso que resultará em processos inflamatórios.
Esse é o mecanismo de produção de doenças ambientais - acúmulo de toxinas ambientais no organismo resultando  e disfunção.
O modelo criado por um dos fundadores da medicina ambiental. Dr Willian Rea é a metáfora do Barril. “Quando o barril fica repleto ele transborda, esse transbordamento é o que chamamos de doença, que classificamos pelo conjunto dos sintomas”. Partindo desse ponto, todas as doenças de origem ambiental terão seus sintomas melhorados se for reduzida a Carga Total dos poluentes as quais ela está submetida.
Existem dois caminhos a seguir: o evitamento de exposição pelo reconhecimento dos fatores ambientais, dominantes em cada caso individual e o favorecimento da redução pela intensificação dos mecanismos de eliminação do corpo.
Nesse escrito vou me ater a desintoxicação como forma de tratamento complementar para pacientes cuja fibromialgia tenha relação com acúmulo de químicos no organismo. Em especial as mulheres são mais suscetíveis de acumular químicos em demasia no organismo por várias razões como: uso de cosméticos, perfumes, material de limpeza, manejo de pesticidas, dificuldade de drenagem linfática (em especial nas sedentárias), cirurgias, além de ter uma maior resposta inflamatória.

A hipótese da medicina ambiental é que se reduzirmos a carga total de um organismo inflamado por acumulação ou sensibilização aos químicos ou alimentos alérgicos obteremos redução do processo tóxico, inflamatório e remissão dos sintomas de dor, fadiga e distúrbio do sono. E quando se consegue fazer isso de forma adequada e contínua obtemos uma remissão da doença e um menor uso de medicamentos.

Dentro dessa concepção a fibromialgia, assim como outras doenças ambientais seria o resultado de uma sobrecarga de produtos químicos acumuladas no organismo, em especial na conexão entre nervos e músculos, um local chamado de placa motora. Ao se reduzir essa sobrecarga se obtêm a melhora dos sintomas.
A seguir as medidas usadas para obter a desintoxicação em pacientes com doenças ambientais, e que tem um grande potencial de ajudar pessoas portadoras de fibromialgia. O melhor ambiente para colocar em prática essas medidas é aquele supervisionado por profissionais de saúde, que atuam de forma integrada para obter um resultado - a restituição da saúde do nosso paciente.

Dieta

1- Durante 4 dias exclua de sua dieta todos os alimentos que você come todos os dias.
Ex: Café, leite de gado, trigo, arroz, feijão, carne de gado,açúcar...Substitua cada alimento por algo correspondente em termos nutricionais. Ex: chá, leite de soja,batata, grão de bico, peixes, stevia*.
stevia

Uma nutricionista poderá lhe ajudar a fazer uma dieta chamada rotatória na qual,você não repete o mesmo alimento em um intervalo de tempo menor que 4 dias. No quinto dia reintroduza cada alimento uma vez por dia pelo menos 2x dia, duas boas porções. Observe e anote como fica seu corpo, sua mente e sua energia.Em caso de alguma reação desagradável em geral está relacionado ao sintoma da sua doença suspenda o alimento da dieta. Espere um dia e reintroduza o outro alimento da mesma forma. Faça isso com todos os alimentos excluídos.

O nome desse método é Exclusão e Desafio. Atenção! Esse teste não deve ser feito com alimentos que reconhecidamente se saiba serem nocivos à saúde. Não deve ser realizado por quem tem alergias anafiláticas ou durante crises de asma ou qualquer outro tipo de alergia. O ideal é que seja acompanhado por médico, nutricionista e fisioterapeuta integrados.
Após ter desafiado seu corpo com os alimentos e tendo registrado cuidadosamente os fatos acontecidos, você estará apta a excluir os alimentos que lhe provocaram sintomas. Por um período de 3 meses quando se recomenda reintroduzir, não mais que duas vezes o alimento ofensivo na semana. Caso tolere passe a usá-lo duas vezes por semana. Caso haja intolerância suspenda por mais 3 meses e tente novamente. Em caso de persistência mais três meses, até que consiga reintroduzir o alimentos na dieta . É bom dizer que 2% dos pacientes que tenho atendido, não conseguem reintroduzir o alimento ofensivo, que tem que ser banido da dieta, às vezes por toda a vida, como é o caso de pessoas que reagem com fibromialgia por intolerância ao glúten.

2 - Passe a usar alimentos orgânicos, com isso diminuiu a taxa de pesticidas e fungicidas que você está ingerindo. Um grande número de pacientes melhora bem dos sintomas com esse tipo de conduta, bem simples para quem vive em locais com facilidades para esse tipo de consumo consciente.

3 - Evite inalar solventes orgânicos e químicos eles afetam a medula óssea e são irritantes aos nervos, por se depositarem nas bainhas de mielina, na porção oleosa da membrana.
Frequentemente renove o ar de seu quarto, seu local de trabalho, garanta ventilação onde permanecer por muito tempo. Prédios novos ou reformados, moveis embutidos industriais liberam uma grande quantidade de químicos, assim como carpetes e estofados produzidos industrialmente liberam formol, um potente irritante dos nervos do aparelho respiratório. Suspenda o uso de perfumes, aromatizantes e pesticidas busque outras formas de desodorizar o corpo recomendo: leite de colônia fórmula Dr. Studart, Sabão de Côco nas roupas e na casa. Água sanitária, pinho sol e eucalipto evitar.
Limpeza não quer dizer cheiro forte perfumado.
Muita atenção e cuidado com fungos e mofo de paredes, eles produzem microtoxinas que afetam o sistema nervoso central, o sistema imunológico e, tem sido implicado em pacientes com processos inflamatórios crônicos.

4 - Caso tenha Fadiga Crônica, um cansaço incapacitante, inale oxigênio 6 litros por minuto 2 horas por dia 21 dias. Fazer isso somente com supervisão médica. Medir a pressão do oxigênio venoso PVO2 antes, durante e depois da terapia. Medir a taxa de ácido láctico. Em geral na primeira semana do tratamento de Von Ardenne (esse é o nome da técnica de oxigenação) os pacientes percebem uma grande melhora da fadiga. O oxigênio oxida os solventes do corpo favorecendo a eliminação pela expiração e ao mesmo tempo estimula o funcionamento da mitocôndria (o motor que fica dentro de todas nossas células do corpo) que passam a voltar a funcionar.

5 - Suplementar a dieta com magnésio e/ou receber injeções ou soros com magnésio e outras vitaminas e/ou nutrientes. O magnésio neutraliza os efeitos tóxicos dos pesticidas e agrotóxicos na inserção dos nervos nos músculos (Placa motora), sede da dor da fibromialgia. Relaxando os nervos, diminuindo a sensibilidade e relaxando os músculos. O magnésio é uma das terapêuticas mais essenciais numa síndrome como a fibromialgia.


Fontes de Magnésio


6 - Sauna sêca sem cheiros (Perfumes, material de limpeza,aromatizantes, solventes orgânicos) ou sauna Infrared essa última é a melhor para os portadores de fibromialgia; pois além de favorecer a depuração pelo suor dos poluentes ambientais, agrotóxicos, pesticidas, metais pesados e solventes orgânicos tem ação anti-inflamatória extensivamente comprada. A eliminação pelos poros reduz a carga total de poluentes sem sobrecarregar o fígado e os rins.

7 - Drenagem linfática suave após a sauna. O sistema linfático fica repleto de moléculas inflamatórias que foram drenadas dos órgãos e da gordura corporal. A drenagem feita com óleo de côco extra virgem, sem odores artificiais, tem uma resposta anti-inflamatória rápida de se perceber.
Drenagem Linfática



8 - O uso de suplementos como Omega 3, Antioxidantes*, ácido alfa-lipóico*, silimarina*, vitamina C são recomendados:

Antioxidantes
                                                                               Silimarina
Ômega 3


















Ácido-Lipóico - Azeite de Oliva


9 - Água alcalina com Ph igual o maior que 8 favorece a formação de aglomerados de moléculas de água adquirindo propriedades antioxidantes que aceleram o processo de depuração do organismo e acentua os resultados da sauna em especial a infravermelha. No início do tratamento é recomendável que se utilize 4 litros de água alcalina para favorecer a diluição dos químicos no organismo, que irão lavar o sistema.

INADEQUADA. pH 6,79 (Vide o rótulo da 
embalagem da água) Deve ser superior a 8.


10 - Uma vez melhorada a disposição, o sono e as dores tenham reduzido recomenda-se iniciar um programa de atividade física que inclua o alongamento antes, durante e depois dos exercícios que devem ser suaves (Hidro, alongamento, Ioga(Hata), Pilates) e quando o paciente puder e quiser correr em esteira.



11 - Distúrbios inflamatórios crônicos modificam a função neurológica e endócrina muitas vezes sendo necessário fazer ajustes ou reposições endócrinas de melatonina*, progesterona, testosterona sendo que essas são bioidênticas; ou seja, exatamente iguais a humana sendo de origem vegetal. Essa condução deve ser feita por médicos treinados em modulação hormonal.


Essas medidas podem ser usadas pela grande maioria dos pacientes que sofrem de doenças ambientais em especial as síndromes dolorosas, seja qual for o nome da doença.

Essas recomendações não têm intenção de substituir o tratamento e acompanhamento de profissional médico especializado ou substituir qualquer tratamento tradicional ou largamente aceito pelas instituições médicas. Tratam-se de medidas de nutrição e higiene, baseadas em princípios solidamente estabelecido por literatura científica.

Tenho utilizado em pacientes com doenças inflamatórias dolorosas crônicas, que têm se revelado eficazes no sentido de reduzir a inflamação, reduzir as dores, melhorar o sono e restituir a energia. Em especial nos pacientes que tem múltiplas queixas e que se revelam intolerantes a alimentos e medicamentos, cheiros fortes, essas medidas se mostram mais eficazes. Então respondendo a pergunta que deu o nome ao texto:


"Assim se a fibromialgia tiver como causa fatores ambientais, existem grandes probabilidades de que pessoa que se submeter a uma desintoxicação tal com foi sugerida aqui, venha a melhorar. E se conseguir manter a redução da carga total de seu corpo a níveis baixos, obterá uma remissão suave e duradoura de sua doença. Com um mínimo uso de drogas sintomáticas."


Dr. Gilberto de Paula
*Médico especialista em Nutrologia, Medicina Ambiental e Imunoterapia.
Presidente da Academia Nacionalde Medicina Ambiental.
Sina-I Sistema de Imunoterapia, NutriçãoClínica, Alergia – Infrared
Diag/Trat.Manaus-Rua Acre 12 sl 301.tel 092-8159.3531/3584.1566.
www.medicinaambiental.net

Glossário:

“Stevia” é um gênero botânico pertencente à família Asteraceae. A stevia é um pequeno arbusto perene que pertence à família dos crisântemos e énativa no Paraguai. Esta planta tem uma extraordinária capacidade adoçante Na sua forma mais comum de pó branco, extraído das folhas da planta, chegaa ser de 70 a 400 vezes mais doce que o adoçantenatural. Estas são as principais características desta planta: -não causa diabete -não contém calorias -não altera o nível de açúcar no sangue -não é tóxica -inibe a formação da placa e da cárie dental -não contém ingredientes artificiais -pode ser usada para cozinhar

"Ácido Alfa-Lipóico" - O mais poderoso antioxidante e antiinflamatório da natureza. Imagine umasubstância tão poderosa que pode mover-se através do corpo humano de forma rápida e indolor, unindo fissuras, acalmandoa inflamação e incentivando o sistema imunológico. Imagine que esta substância realiza estes feitossurpreendentes não apenas dentro do organismo, mastambém na superfície da pele. Assim é o Ácido Alfa-Lipóico.

"Água Alcalina" – Processos metabólicos criam resíduos ácidos, portanto, é necessário restaurar as moléculas alcalinas do corpo. Uma maneira eficaz é consumindo água alcalina. (conforme apresentado).

"Antioxidantes" - São encontrados na natureza em compostos particularmente ricos em hidrogênio e excesso de elétrons. Estes compostos ricos em hidrogênio e elétrons são usualmente visíveis a olho nu, notadamente nos pigmentos que dão cor aos legumes e vegetais. Não apenas os alimentos naturais coloridos estão carregados com antioxidantes, mas, também, os alimentos crus como as azeitonas, abacates, nozes, e sementes.

"Melatonina" - é um hormônio produzido por diversos animais e plantas. Em humanos, a melatonina tem sua principal função em regular o sono; ou seja, em um ambiente escuro e calmo, os níveis de melatonina do organismo aumentam, causando o sono. Por isso é importante eliminar do ambiente quaisquer fontes de som, luz, aroma, ou calor que possam acelerar o metabolismo e impedir o sono, mesmo que não percebamos. Outra função atribuída à melatonina é a de-antioxidante, agindo na recuperação de células epiteliais expostas a radiação ultravioleta e, através da administração suplementar, ajudando na recuperação de neurônios afetados pela doença de Alzheimer e por episódios deisquemia (como os resultantes de acidentes vasculares cerebrais).

"Silimarina" – Na natureza existe uma planta especial chamada Silybum marianum ou cado-mariano, que é a resposta da natureza ao bombardeio constante das substâncias tóxicas ao nosso organismo, devido à vida moderna.