Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.
Você pode seguir nossos outros canais de notícias.
Escolha:
Aqui, você pode cadastrar seu e-mail, abaixo, na coluna à sua esquerda.
Ou escolher entre:
WhatsApp
https://chat.whatsapp.com/IAh9lNNWEb82DLJwTWqwyu
Telegram
https://t.me/abrafibronoticias

Notícias sobre Fibromialgia e Saúde.
Não são grupos interativos.

TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador fibromiálgicos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador fibromiálgicos. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Live na próxima sexta!!! A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE HÁBITOS

Assista nossa apresentação!

https://youtu.be/ARljJuWgIpI

Temos um encontro marcado  na Próxima Sexta, às 19hs.

Um super time de Profissionais vai falar com você, paciente Fibromiálgica e Fibromiálgico, sobre a importância do nosso comportamento, frente a vida, aos hábitos prejudiciais, ao tratamento contra a Fibromialgia.
Você vai gostar...
E na hora da Live vai poder fazer suas perguntas...
Estarão aqui:
• Dra. Maria Beatriz de Campos - médica especialista em ginecologista e colposcopia, acupunturista,  especialista em dor crônica com ênfase em dor pélvica pela SBED.
Diretora Científica da ABRAFIBRO

• Dra Daniela Queiros - Psicóloga com Mestrado em Psicologa Clínica. Portugal🇵🇹🇧🇷
Membro Benemérito da ABRAFIBRO

• Dra Ana Carolina Ballonas -
Nutricionista, com Pós graduação em nutricao clínica/ pós graduação em fitoterapia aplicada a nutricao/Mestrado em bioquímica e imunologia.

Tá bom ou quer mais?🤷🏼‍♀️

Gente muita Fera, para nos ajudar GRATUITAMENTE, a viver um dia de cada vez, melhor que o outro.

Ah!
Você já participa de nossos canais de Notícias sobre Fibromialgia e Saúde?

Então atenção! Você escolhe:

WhatsApp:
https://chat.whatsapp.com/IAh9lNNWEb82DLJwTWqwyu

Telegram:
https://t.me/abrafibronoticias

Estamos também:
Instagram: @abrafibro
Facebook: https://www.facebook.com/abrafibro.3perfil
No Facebook você poderá participar de nosso grupo exclusivo para pacientes.
Nosso site:
https://www.abrafibro.com
Na versão para seu navegador na internet, você encontrará a coluna à sua esquerda, para cadastrar seu e-mail, e receber nossas novas notificações.

Tudo o que fazemos é através de trabalho voluntário, de pacientes e profissionais. Gratuitamente!
Prestigie! Respeite!

Vamos viver com #MaisAmorPorFavor 🌷


SOC. BRAS. PARA O ESTUDO DA DOR - SBED - ALERTA!


Quando perceber algum destes sintomas, é importante procurar o cirurgião dentista especialista em disfunção temporomandibular e dor orofacial para uma avaliação, pois, quanto antes o diagnóstico for estabelecido, mais fácil o controle desta disfunção.

**A Profissional Voluntária especialista em ATM/DTM, membro da SBED - a dentista Dra. Luci França, já fez Live para falar sobre este assunto que, pode ser um dos sintomas da fibromialgia.
Você assistiu?
Não?!😳
Corre no canal da @abrafibro no YouTube,.. é o vídeo do dia 18.07.2020 - DTM E FIBROMIALGIA
Abaixo o link para acessar direto.

Ah!
Você já participa de nossos canais de Notícias sobre Fibromialgia e Saúde?

Então atenção! Você escolhe:

WhatsApp:
https://chat.whatsapp.com/IAh9lNNWEb82DLJwTWqwyu

Telegram:
https://t.me/abrafibronoticias
OS canais acima não há integração.

Estamos também:
Instagram: @abrafibro
Facebook: https://www.facebook.com/abrafibro.3perfil
No Facebook você poderá participar de nosso grupo exclusivo para pacientes.



sábado, 21 de novembro de 2020

SBR LANÇA RESULTADOS DE PESQUISA

 Sociedade Brasileira de Reumatologia - SBR

• • • • • •

No Congresso SBR2020 será apresentado o resultado do estudo COnVIDa, que a ABRAFIBRO fez questão de divulgar, que avaliou o impacto da pandemia na saúde e adesão ao tratamento de pacientes reumáticos. 

Veja a entrevista de Dr Marcelo Pinheiro, um dos investigadores do estudo, para o Bom Dia SP, da TV Globo.




"SBED RESPONDE" responde!

SBED - SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O ESTUDO DA DOR



O próximo "SBED Responde" está chegando!
Convidamos a todos para o "SBED Responde" na próxima quinta feira. 
Este evento é realizado pela Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor - SBED, com foco em trazer informações relevantes, tanto para profissionais da saúde que, se interessam pelo mundo da Dor, mas também, tem o objetivo de trazer aos leigos informações  para gerar conhecimento e prevenção; bem como, para encurtar o caminho entre quem sofre com a dor e quem a trata. 
Participe! 
A SBED se preocupa com a sua DOR.
Envie sua pergunta para 





quinta-feira, 19 de novembro de 2020

ENCONTRO DE PACIENTES NO CONGRESSO DA SBR2020

 Como informamos anteriormente,  hoje será o


"ENCONTRO COM PACIENTES"

dentro do Congresso 2020 da Sociedade Brasileira de Reumatologia - SBR


Se ainda não se inscreveu, corre que ainda dá tempo...

Acesse:

https://enp2020.com.br/

Preencha!



Para ter acesso ao canal do Evento siga as instruções abaixo

Acesse o site:

http://sbr2020.com.br/encontro.html


Vai aparecer a seguinte página:


Às 15hs, você já pode clicar em
Clique aqui para assistir o Evento
Pronto!
 Até lá!👋👋👋

terça-feira, 17 de novembro de 2020

Tratamento não Farmacológico da Dor

 



https://youtu.be/zaLOdbC4X8M


Evento realizado no dia 24.10, com Palestra da Dra. Maria Beatriz de Campos, nossa Diretora Científica, médica ginecologista, com especialização em Dor Crônica, Acupuntura.

👍🏻 deixe seu Like
[INCREVA-SE] no nosso canal
Ative o sininho 🔔 para receber nossas novas notificações


Gentilmente, Dra. Maria Beatriz de Campos nos autorizou a postar em nosso canal, para o conhecimento dos pacientes, familiares e à sociedade em geral.
O tema vem com as novidades da Sociedade Brasileira para Estudos da Dor - SBED.

Todos conhecimentos aumentam nossas as chances de vencer os desafios, aumentar os recursos para lidar com a Fibromialgia.
A ciência caminha a nosso favor, precisamos querer acompanhá-la.

Divulgue, compartilhe!

Com material crível, de profissionais especializados fica mais simples explicar a Fibromialgia, a quem queira saber.

*PERGUNTAS*
Assistam com atenção!
Em caso de dúvidas, deixe em comentários no vídeo, que serão encaminhadas à Dra. Maria Beatriz e, as respostas serão postadas.

Ah!
Você já participa de nossos canais de Notícias sobre Fibromialgia e Saúde?

Então atenção! Você escolhe:

WhatsApp:
https://chat.whatsapp.com/IAh9lNNWEb82DLJwTWqwyu

Telegram:
https://t.me/abrafibronoticias


Estamos também:

Instagram: @abrafibro

Facebook: https://www.facebook.com/abrafibro.3perfil
No Facebook você poderá participar de nosso grupo exclusivo para pacientes.

Aqui em nosso site,  na versão para seu navegador na internet, você encontrará a coluna à sua esquerdas 6, para cadastrar seu e-mail, e receber nossas novas notificações.


Tudo que fazemos é através de trabalhos voluntários, de pacientes e profissionais, gratuitamente, com muita atenção, respeito, responsabilidade e DEDICAÇÃO.
***Prestigie!

UMA GRANDE HISTÓRIA DE VITÓRIA A SER SEGUIDA

 Quando a vontade de fazer se une ao desejo de mudar...

Preste atenção...


Nosso especial agradecimento à Nilda do Carmo, paciente Fibromiálgica, residente na cidade de Umuarama/PR,  que ao ser "questionada" sobre seu uso da Fila Preferencial, na Lotérica Capital da Amizade, ela percebeu a necessidade de alguma identificação, para evitar esse tipo de constrangimento. Afinal, a Fibromialgia é uma doença invisível, desconhecida ainda por muitas pessoas, além do poder público federal não fazer nada para criar a identificação, entre outras coisas em favor dos Fibromiálgicos.

Nilda do Carmo conversou com a proprietária do estabelecimento, para colocarem uma placa que informasse sobre tal direito que, de acordo com Legislação Municipal, os Fibromiálgicos têm o direito de usar a fila, evitando ficarem longo tempo de pé.

A proprietária da Lotérica, Sra Luzineide, prontamente aceitou a ideia.

Nilda fez contato com a ABRAFIBRO, para definir um símbolo que nos identificasse.

Prontamente resolvemos a questão.

Sugerimos um desenho simples com um laço roxo (símbolo mundial da Fibromialgia), e nele escrito em uma das pontas "Fibromialgia" em português.

Como mostramos abaixo


Nilda apresentou à proprietária do estabelecimento a imagem que, prontamente mandou imprimir e, ficou como está na foto do artigo.

Você pode conversar com os proprietários dos estabelecimentos que frequenta, e se a lei para uso da fila preferencial esteja em vigor poderão seguir a ideia.

Será um excelente meio de levar à população o conhecimento sobre a Síndrome, ainda tão inexplicável, tão invisível, evitarmos constrangimentos, dar conhecimento público sobre a Lei e o direito ao paciente. São apenas benefícios para algo tão simples.

Precisamos mudar para minimizar as dificuldades, preconceitos, desconhecimentos e mitos sobre a Fibromialgia.

Faça sua parte porque a luta é de todos nós.

É pedir um cartaz com essa Fita e os dados da Lei Municipal ou Estadual...

Pronto!

Mais um avanço que vai nos ajudar.

Nilda do Carmo e a Abrafibro estão abrindo novos caminhos no Brasil...de novo!!!

Qual será a próxima cidade?

Avisem-nos, por favor...

Vamos ao artigo!

Lotérica Capital da Amizade tem caixa identificado para atendimento preferencial aos fibromialgicos

14 de novembro de 2020

A lotérica é a primeira no Brasil em identificar caixa para atendimento preferencial aos portadores da fibromialgia.


Por Edson Maia

08:44 – 14/11/2020

Tudo começou com a fundadora da Associação Paranaense dos Fibromialgicos (APAFIBRO), Nilda do Carmo.
A proprietária da lotérica Luzimeide Soares Rodrigues se solidarizou com Nilda após ela sofrer constrangimento na fila preferêncial, quando uma pessoa a questionou porque ela estava naquela fila já que ela não aparentava ter qualquer problema físico ou era idosa. Com isso, Nilda explicou à pessoa que ela sofre com a síndrome da fibromialgia.
No entanto, a pessoa não se convenceu com a explicação. Foi então que Nilda apresentou a carteirinha que, a Secretaria de Saúde Municipal fornece aos portadores da síndrome. Só assim a pessoa acabou se convencendo.
Para que outros portadores da síndrome não venham a passar por mais esse constrangimento, Nilda sugeriu à Luzineide que, providenciasse uma placa para identificar o caixa preferencial aos fibromialgicos.
Luzinete prontamente atendeu a reivindicação de Nilda, tornando assim a Lotérica Capital da Amizade a primeira do Brasil a ter caixa para atendimento preferencial aos Fibromiálgicos com identificação.



A Lei 4.286 de 13 de julho de 2018, tem em seu Artigo 1° o seguinte texto.

Ficam as empresas públicas, empresas concessionárias de serviços públicas e privadas, obrigadas a dispensar durante todo horário de expediente, atendimento preferencial aos portadores de “Fibromialgia.”.

Lei foi inédita em todo o Brasil, e veio de encontro às necessidades dos portadores de fibromialgia.

Fonte:

http://ometropolitano.com.br/loterica-capital-da-amizade-tem-caixa-identificado-para-atendimento-preferencial-aos-fibromialgicos/

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

SBR PROMOVE "ENCONTRO NACIONAL DE PACIENTES REUMÁTICOS"


  

 

37º CONGRESSO BRASILEIRO DE REMAUTOLOGIA PROMOVE ENCONTRO NACIONAL DE PACIENTES REUMÁTICOS Evento será totalmente online e gratuito já está com inscrições abertas (link abaixo) No dia 19 de novembro, às 15 horas, o 37º Congresso Brasileiro de Reumatologia abrirá espaço em sua programação para o Encontro Nacional de Pacientes Reumáticos. Totalmente online e gratuito, o evento colocará em debate temas como alterações emocionais e cognitivas em tempos de pandemia, a telemedicina no cenário das doenças reumáticas, a importância na nutrição em pessoas com doença autoimunes e a educação em saúde. O encontro é aberto a pacientes, familiares, profissionais de saúde e ao público em geral. ***As inscrições já estão abertas e podem ser feitas link http://www.sbr2020.com.br/encontro.htm PROGRAMAÇÃO Dia 19/11 15h – Abertura Dra. Wanda Heloisa Ferreira - Coordenadora da Comissão da SBR com Associações de Pacientes Dr. José Roberto Provenza – Presidente Da Sociedade Brasileira de Reumatologia Dr. Ricardo Xavier – Presidente da Sociedade Brasileira De Reumatologia (Gestão 2021/2022) Dr. Rubens Bonfiglioli – Presidente do 37º Congresso Brasileiro De Reumatologia Dr. Marcelo Pinheiro - Presidente da Sociedade Paulista De Reumatologia Módulo I : Moderadora - Dra. Sandra Lucia Euzébio Ribeiro – Ufam 15h20 - Telemedicina no cenário da reumatologia (Dr. Ricardo Xavier – SBR) 15h40- Educação em Saúde (Dra. Wanda Heloisa Ferreira - Instituto Gruparj Petrópolis) Módulo II Moderadora - Dra. Viviane Angelina De Souza 16h40 - Nutrição em doenças autoimunes (Dra. Cristiane Souto - FVJ / CE) 17h - Alterações Emocionais e Cognitivas em época de Pandemia (Dra. Geralda do Nascimento Sá - No dia 20, também às 15h, a programação é dirigida às associações de pacientes. **Mais sobre a SBR - A Sociedade Brasileira de Reumatologia, que completou 70 anos de atividades em 2019, é uma associação civil científica, sem fins lucrativos, que tem por objetivo promover o desenvolvimento científico e da especialidade no Brasil. Hoje, conta com cerca de 2 mil associados, distribuídos em 24 sociedades regionais estaduais e mantém assessorias e comissões científicas por áreas de especialidade, além de representações em associações médico-científicas nacionais e internacionais e junto ao Ministério da Saúde. A SBR é responsável pela certificação de especialistas em reumatologia, área médica que engloba quase 120 doenças inflamatórias crônicas. É filiada à AMB - Associação Médica Brasileira que, em 2018, outorgou à SBR certificado de boas práticas em gestão. Para mais informações, acesse www.reumatologia.org.br e siga suas ações, iniciativas e novidades pelo Facebook (@sbreumatologia), Instagram (@sociedadereumatologia) e Twitter (@SBR_Reumato).

ADIADA A LIVE DE HOJE - Apoio Psicológico na Fibromialgia - Por quê?


O vídeo é auto explicativo.

Vamos dar forças àqueles que passam por momentos difíceis.

Força Daniela Queiros 🇧🇷🇵🇹

Forças Amigos e Amigas de Fibra!😘

O Autocuidado🥰, Apoio💆 e a Adesão ao Tratamento🏃🏼‍♀️🏊💃🐕‍🦺🐈🥒🍇🥕🛌🎧🎞️⏰🛐 são muito importantes.

Abraços Fraternos a todos! 🌷

🤜🏻🤛🏻

Ah!

Você já participa de nossos canais de Notícias sobre Fibromialgia e Saúde?


Então atenção! Você escolhe:


WhatsApp:

https://chat.whatsapp.com/IAh9lNNWEb82DLJwTWqwyu


Telegram:

https://t.me/abrafibronoticias


Estamos também:

Site: cadastre na página inicial, na coluna à sua esquerda, seu e-mail

Instagram

@abrafibro

Facebook:

https://www.facebook.com/abrafibro.3perfil. Assim, poderá participar de nosso grupo interativo, exclusivo para pacientes.


segunda-feira, 9 de novembro de 2020

Fibromialgia causa dor no corpo todo, é crônica e demanda paciente ativo.

 


"Dói até o fio de cabelo". "É uma dor de dente física que se sente todo o tempo". Estes são breves relatos de pacientes sobre o sintoma mais característico da fibromialgia: uma dor que acomete todo o corpo. E a ciência garante: a descrição retrata a realidade. Sem causa definida e com mecanismo de ação incerto, essa enfermidade é considerada uma síndrome relacionada a um distúrbio de regulação no processamento da dor pelo cérebro.


Mais comum entre as mulheres, a doença também pode acometer homens, idosos, adolescentes e crianças. No Brasil, ela está presente em cerca de 2% a 3% da população, e costuma se manifestar entre os 30 e 55 anos. Os dados são da SBR (Sociedade Brasileira de Reumatologia). O desafio para essas pessoas é que elas podem ter de esperar até 3 anos desde que os primeiros sintomas apareçam até conseguirem ter um diagnóstico e o devido tratamento.

A fibromialgia é uma doença crônica para a qual ainda não existe cura. Apesar disso, sabe-se que ela não é progressiva, nem fatal. Quando devidamente tratada, os sintomas são minimizados e até desaparecem. Os cuidados médicos se baseiam em práticas não farmacológicas e medicamentos; as primeiras, são pilares do tratamento.


Afinal, de acordo com os especialistas, para essa doença não existe pílula mágica. É a educação do paciente e o autocuidado que aumentam, e muito, as chances de sucesso terapêutico.


Entenda o que é fibromialgia

Trata-se de uma síndrome clínica (conjunto de sinais e sintomas) caracterizada, principalmente, pela dor generalizada (em todo o corpo), mas também inclui fadiga, sono não reparador e distúrbios cognitivos. Pessoas com fibromialgia ainda apresentam grande sensibilidade ao toque.

Por que isso acontece?

A fibromialgia é uma doença crônica, de origem ainda desconhecida. As evidências científicas que temos até o momento sugerem que ela decorre de anormalidades hormonais, substâncias químicas cerebrais, e mudanças na forma como o SNC (Sistema Nervoso Central) processa a dor.


Imagina-se ainda que algumas pessoas são mais suscetíveis à manifestação dessa enfermidade devido à herança genética.


Sabe-se também que a doença pode ser desencadeada (ou agravada) pelos seguintes fatores:


Infecções e outras doenças

Traumas físicos ou psicológicos

Estresse crônico ou frequente

Quem precisa ficar atento?

A fibromialgia pode acometer homens, mulheres, crianças e até idosos, mas é mais frequente no grupo feminino.

Cogita-se que essa diferença resulte de fatores hormonais, mas as evidências científicas ainda são escassas nesse sentido.


Outra explicação da maior incidência entre as mulheres seria o fato de que elas percebem a dor, lidam com o estresse e respondem aos estímulos ambientais de forma diferente da dos homens. Por isso, nesse grupo, é comum observar também outras condições:


•Altos níveis de ansiedade e depressão

•Dificuldade nas estratégias de lidar com os problemas

•Alteração comportamental como resposta à dor

•Alterações no SNC e efeitos hormonais do ciclo menstrual


A psiquiatra Raquel Tatiane Heep, pós-graduada em dor crônica e professora da Faculdade de Medicina da Universidade Positivo (PR) diz que, entre seus pacientes com dor crônica, quase 70% deles apresentam quadros de ansiedade; 25% têm depressão e metade já teve depressão no passado.


"Para entender a dor dessas mulheres não podemos esquecer do conceito de "dor total", que tem natureza multidimensional e abrange não só o desconforto físico, mas tem dimensões sociais, emocionais e até espirituais", explica a médica.


Saiba reconhecer os sintomas

O principal deles é a dor generalizada, ou seja, a sensação dolorosa é sentida por todo o corpo, mas pode ser pior no pescoço e nas costas.


Em geral, ela é descrita como uma manifestação muscular, uma sensação de queimação ou pontada. Algumas pessoas se referem a ela como dor nos ossos, nas articulações (juntas) ou nas "carnes". Outros sintomas importantes são a fadiga e o sono não reparador.


Tais manifestações podem variar de pessoa a pessoa, e também melhoram ou pioram a depender dos níveis de estresse e do condicionamento físico.


Você poderá observar também outras condições, como as descritas a seguir:


• Dor ao toque (as pessoas sentem dor ao serem abraçadas ou tocadas)

•Insônia

•Pernas inquietas (ao dormir)

•Distúrbios cognitivos (falta  memória e dificuldade de concentração)

•Dor abdominal

•Queimação

•Formigamento

•Problemas para urinar

•Dor de cabeça

•Distúrbios do humor (depressão e ansiedade)


Quando é hora de procurar ajuda?

Toda dor que não tem causa aparente, se repete ou não passa ao longo do tempo deve ser investigada. Mas o sinal de alerta para buscar ajuda médica é a percepção de que o corpo está sempre dolorido, e nada parece funcionar para trazer alívio. A explicação é do reumatologista José Eduardo Martinez, professor da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde da PUC-SP e secretário-geral da SBR.

"Para entender a dor dessas mulheres não podemos esquecer do conceito de "dor total", que tem natureza multidimensional e abrange não só o desconforto físico, mas tem dimensões sociais, emocionais e até espirituais", explica a médica.


Saiba reconhecer os sintomas

O principal deles é a dor generalizada, ou seja, a sensação dolorosa é sentida por todo o corpo, mas pode ser pior no pescoço e nas costas.


Em geral, ela é descrita como uma manifestação muscular, uma sensação de queimação ou pontada. Algumas pessoas se referem a ela como dor nos ossos, nas articulações (juntas) ou nas "carnes". Outros sintomas importantes são a fadiga e o sono não reparador.


Tais manifestações podem variar de pessoa a pessoa, e também melhoram ou pioram a depender dos níveis de estresse e do condicionamento físico.


Você poderá observar também outras condições, como as descritas a seguir:


• Dor ao toque (as pessoas sentem dor ao serem abraçadas ou tocadas)

•Insônia

•Pernas inquietas (ao dormir)

•Distúrbios cognitivos (falta  memória e dificuldade de concentração)

•Dor abdominal

•Queimação

•Formigamento

•Problemas para urinar

•Dor de cabeça

•Distúrbios do humor (depressão e ansiedade)


Quando é hora de procurar ajuda?

Toda dor que não tem causa aparente, se repete ou não passa ao longo do tempo deve ser investigada. Mas o sinal de alerta para buscar ajuda médica é a percepção de que o corpo está sempre dolorido, e nada parece funcionar para trazer alívio. A explicação é do reumatologista José Eduardo Martinez, professor da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde da PUC-SP e secretário-geral da SBR.

Ele acrescenta que, na maioria das vezes, o primeiro médico a ter contato com esses pacientes são os generalistas (clínicos gerais ou médicos de família) e estes, quando bem informados, estão aptos a avaliar e tratar esses indivíduos de forma integral. Mas como a dor generalizada pode ser interpretada como dor musculoesquelética, não é raro que os primeiros especialistas a serem procurados sejam o reumatologista, o ortopedista e até o fisiatra.

"Embora boa parte do conhecimento médico sobre a fibromialgia tenha sido construído pelos reumatologistas, é certo que todo profissional que tenha conhecimento sobre a doença pode acompanhar esses pacientes. A depender do quadro de cada um, serão eles a decidir a necessidade, ou não, de encaminhamento para um especialista", conclui Martinez.


Como é feito o diagnóstico?

Não existe nenhum marcador biológico da doença. Por isso o diagnóstico é essencialmente clínico. Isso significa que o médico vai colher suas informações de saúde e queixas, e ainda fará o exame físico, o que inclui uma manobra que testa a sensibilidade de pontos específicos dos músculos, chamados de pontos dolorosos.


Ele também poderá lançar mão de questionários (Índice de Dor Generalizada, de Gravidade dos Sintomas e de Impacto da fibromialgia) para ter mais dados do seu quadro.

Para diagnosticar a fibriomialgia, exames complementares não são essenciais, e somente são solicitados quando há suspeita da presença de alguma doença que possa ser confundida com ela. Caso isso aconteça, testes pedidos são os de sangue e o de urina, além de imagem, como a radiografia.


Apesar de hoje o acesso a informações sobre a doença ser mais fácil, o tempo médio de espera para que se tenha um diagnóstico preciso pode ser de até 3 anos, contados desde o primeiro momento da consulta com as queixas relativas à doença. As informações são do BMC Health Services Research.


Doenças associadas


Existem muitas enfermidades associadas à fibromialgia. Em geral, são doenças reumatológicas que afetam as articulações, músculos e ossos, mas não só. Confira:


Osteoartrite

Lúpus

Artrite reumatoide

Espondilite anquilosante

Disfunção temporomandibular

Depressão

Ansiedade

Dor miofascial

Enxaqueca

Cistite Intersticial

Como é feito o tratamento?

O objetivo dele é aliviar a dor ou reduzir a sua intensidade ao mínimo possível, promovendo a qualidade de vida do paciente.


Como a fibromialgia é uma enfermidade crônica, suas manifestações estarão presentes ao longo da vida, já que elas são dependentes de vários fatores físicos e emocionais. Assim, o tratamento é sempre individualizado e atende às diferentes manifestações clínicas no decorrer do processo terapêutico.



As abordagens médicas, idealmente, devem ser multidisciplinares (contemplam a atuação de vários profissionais como reumatologistas, psiquiatras, fisioterapeutas, psicólogos, educadores físicos, nutricionistas e acupunturistas), e se dividem em duas categorias: a não farmacológica e a farmacológica.


Existem alguns poucos Centros de Referência para tratamento da dor espalhados pelo país com essas estruturas, e geralmente eles estão localizados nas universidades. O tratamento começa nas UBS (Unidades Básicas de Saúde), passa pelo especialista e, quando necessário, o paciente é encaminhado para esse serviço.


Abordagem não farmacológica

Considerada essencial, ela se baseia na educação do paciente e em mudanças do estilo de vida. Engajamento, autocuidado e exercícios físicos são pilares do sucesso do tratamento porque nenhum medicamento, sozinho, atende às necessidades das pessoas com fibromialgia.


A prática física deve respeitar as limitações de cada indivíduo, mas ela é a chave para aplacar a dor, melhorar o humor, o condicionamento físico e o sono. Pouca intensidade e muita frequência é a recomendação dos especialistas.


Psicoterapia, terapia cognitivo comportamental e meditação também devem compor o tratamento, especialmente entre as pessoas com depressão e ansiedade.


Há ainda propostas, em fase de pesquisas, do uso da EMT (Estimulação Magnética Transcraniana), técnica que estimula áreas do cérebro para melhorar seus mecanismos naturais. A prática é especialmente indicada para os casos que não respondem bem ao tratamento (refratários).


Dor neuropática x fibromialgia

Carlos Zicarelli, neurocirurgião e supervisor do Programa de Residência de Neurocirurgia do Hospital Evangélico de Londrina (PR) explica que é comum que as dores neuropáticas, assim como outras doenças, estejam presentes entre os pacientes com fibromialgia. Na prática clínica, quando chegam ao consultório de um neurologista, eles geralmente se dizem desacreditados porque já tentaram vários tratamentos, sem sucesso.


A conduta é reavaliar o estado geral deles para encontrar e tratar a dor crônica, além de estimular a retomada da atividade física, cujos benefícios, na fibromialgia, são bastante conhecidos.

Como a dor pode acometer várias áreas do corpo (coluna, joelho, cotovelos etc.), "ela pode ser tratada por meio de técnicas minimamente invasivas (inervação e rizotomia percutâneas por radiofrequência) e infiltração com medicamentos analgésicos. Mais recentemente a neuromodulação por eletrodos [EMT] tem se mostrado promissora", esclarece o médico.


O papel da acupuntura

Muitos estudos científicos têm observado os efeitos dessa prática da MTC (Medicina Tradicional Chinesa). O objetivo deles é coletar evidências de sua eficácia e segurança.


Até o momento, os resultados têm sido contraditórios, mas algumas pesquisas sugerem que ela pode ser benéfica, mesmo que por breve tempo. Como se trata de uma técnica de baixo risco, ela compõe os serviços de várias equipes multidisciplinares que tratam a dor, justamente porque grande parte dos pacientes se beneficia dela.

Mudanças na dieta podem ajudar?

Até o momento não existem evidências robustas de que uma dieta específica possa beneficiar pessoas com fibromialgia. Apesar disso, os cientistas seguem investigando a relação entre nutrição e a doença.


Uma recente revisão de estudos sobre o tema concluiu que, embora as evidências científicas sejam contraditórias nesse sentido, elas são promissoras. Isso porque muitas das pesquisas concluíram que regimes alimentares com baixas calorias, ricos em vegetais e pobres em FODMAPs (família de carboidratos, monossacarídeos, dissacarídeos, oligossacarídeos e poliois que são mal absorvidos pelo organismo e causam desconforto intestinal), podem ser benéficos para esses pacientes, melhorando a qualidade de vida, o sono, a ansiedade e os biomarcadores inflamatórios. O estudo foi publicado pela revista médica Annals of Medicine.


Abordagem farmacológica

A dor, na fibromialgia, decorre de uma falta de regulação por parte do SNC, o que ocorre, em parte, devido a alterações dos níveis de neutrotransmissores, substâncias químicas produzidas pelos neurônios (células nervosas). Alguns neurotransmissores são capazes de reduzir a dor; outros, a intensificam.


Assim, alguns tipos de antidepressivos (dual ou tricíclico) e anticonvulsivantes (neuromoduladores como a gabapentina e a pregabalina) são usados para aumentar a quantidade de neurotransmissores que diminuem a dor. Esta é a razão pela qual os médicos indicam esses fármacos para pacientes com fibromialgia.


Caso a pessoa com fibromialgia tenha outras doenças (comorbidades) que requeiram tratamento com analgésicos e anti-inflamatórios, essas medicações podem ser úteis porque reduzem a sensação dolorosa por elas provocadas, o que repercute positivamente no tratamento da fibromialgia.


Possíveis complicações

A literatura médica adverte que alguns pacientes poderão apresentar problemas cognitivos e de memória duradouros que podem afetar a concentração. Pessoas com fibromialgia também tendem a ser mais hospitalizados quando comparadas aos demais indivíduos.


Como colaborar com o tratamento?

Os especialistas consultados são unânimes quanto à importância da participação ativa do paciente para o controle dos sintomas e aprimoramento da qualidade de vida. Daí a necessidade de adesão ao tratamento medicamentoso e da adoção de um estilo de vida mais saudável. A prática é eficaz não só para a redução da dor, mas também melhora o sono, alivia a fatiga e o estresse.


O ACR (sigla em inglês para Colégio Americano de Reumatologia) sugere a adoção das seguintes medidas para potencializar os efeitos dessas estratégias terapêuticas. Confira:


•Exercite-se com frequência: comece devagar e vá aprimorando a prática;

•Prefira atividades como andar, nadar, alongar ou ioga;

•Invista em exercícios de fortalecimento muscular e resistência, sempre respeitando seus limites;

•Acrescente mais movimento à sua rotina: prefira escadas a elevadores;

•Siga as instruções de seu médico quanto às medicações. Elas facilitam seu cotidiano e o ajudam a ser mais ativo;

•Aprenda a descansar e relaxar. Reserve um momento do dia para esse fim;

•Dedique-se a exercícios de respiração ou meditação que reduzem o estresse;

•Adote hábitos de higiene do sono;

•Evite sonecas durante o dia e cafeína para driblar o cansaço;

•Considere parar de fumar. A nicotina é estimulante e pode agravar distúrbios do sono.


Acesse a Cartilha sobre Fibromialgia da SBR: https://www.reumatologia.org.br/doencas-reumaticas/fibromialgia-e-doencas-articulares-inflamatorias/


Fontes: José Eduardo Martinez, doutor em reumatologia, professor titular da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, campus Sorocaba) e secretário-geral da SBR (Sociedade Brasileira de Reumatologia); Carlos Zicarelli, neurocirurgião, supervisor do Programa de Residência de Neurocirurgia do Hospital Evangélico de Londrina (PR) e supervisor do Internato Médica da Neurocirurgia da Escola de Medicina da PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná, campus Londrina), é presidente do Capítulo do Paraná da ABNc (Academia Brasileira de Neurocirurgia), membro da INS (sigla em inglês para Sociedade Internacional de Neuromodulação); Raquel Tatiane Heep, médica psiquiatra, pós-graduada em dor crônica (Hospital Israelita Albert Einstein) e professora da Faculdade de Medicina da Universidade Positivo (PR). Revisão Técnica: José Eduardo Martinez.


Referências: Fibromialgia - Cartilha para pacientes da SBR (Sociedade Brasileira de Reumatologia); ACR (American College of Reumathology); Bhargava J, Hurley JA. Fibromyalgia. [Atualizado em 2020 Jul 10]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan-. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK540974/;Silva AR, Bernardo A, Costa J, et al. Dietary interventions in fibromyalgia: a systematic review. Ann Med. 2019; Choy E, Perrot S, Leon T, et al. A patient survey of the impact of fibromyalgia and the journey to diagnosis. BMC Health Serv Res. 2010;10:102. Published 2010 Apr 26; Millea, P.J., Holloway R.L. Treating fibromyalgia. American Family Physician October 1, 2000.


https://www.uol.com.br/vivabem/doencas-de-a-z/fibromialgia-causa-dor-no-corpo-todo-e-cronica-e-demanda-paciente-ativo.htm


segunda-feira, 2 de novembro de 2020

VOCÊ SABE O QUE SÃO AS PIC's?



A SBED - Sociedade Brasileira para Estudos da Dor elaborou através da COMISSÃO PARA PIC's - Práticas Integrativas e Complementares, esta cartilha.
Nela você tem a oportunidade de saber e conhecer um pouco mais sobre estas práticas e sua atuação na saúde.
Algumas, podem estar disponíveis pelo SUS em sua cidade. Procure saber.

Divulgando material confiável e de  credibilidade, você ajuda a acabar com mitos e informações falsas.

Boa leitura!


Acesse:

https://online.fliphtml5.com/golst/tpln/

*Funciona como uma revista virtual, passe o dedo sobre a página para virá-la. Amplie ou reduza com dois dedos sobre a tela, para que fique confortável sua leitura.


domingo, 1 de novembro de 2020

NOVEMBRO AZUL

Independente do sexo...
Quem se ama se cuida!
Prevenir doenças é Vida com qualidade.
Tratar as doenças, em fase inicial, ganham maiores chances de sucesso.
Se é possível prevenção...por que não?
Seja peitudo, encare o desafio e cuide de sua saúde!
Sua família agradece!

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

LIVE: FIBROMIALGIA EM HOMENS

 Homens com Fibromialgia!

Vocês não foram esquecidos.

São poucos, e merecem atenção, carinho e respeito!

Hoje vamos falar sobre os aspectos que podem diferenciar a SF no homem, seus desafios e, como melhorar a qualidade de vida. Sim, é possível!

Estaremos a sua espera... 

Traga seu ou sua companheiro(a) para assistir também.

Será esclarecedor para todos. 

Lembrando... A Dra Marcella de Carlo - Médica Fisiatra com o paciente Paulécio Alves (Maceió/AL) nosso 2º Tesoureiro... está com Abrafibro desde nosso início...13 anos! Ele tem muita experiência para contar.

A Dra. Marcella de Carlo - Profissional Voluntária - o dispensa apresentações... já é muito conhecida em nosso canal.

Então, venham com mente aberta para escutar e aprender... 

Vamos apresentar formas de melhorar a qualidade de vida e ouví-los também.

Não existe solução pronta, mas há caminhos...

Às 20hs, em nosso canal no YouTube... Estaremos a sua espera. Ok?

https://www.youtube.com/c/AbrafibroAssocBrasdosFibromiálgicos/

Convide a família para acompanhar.

20hs 🕗

Hoje!

Não esqueça de deixar seu Like 👍🏻Se inscrever no canal e clicar no sininho 🔔 para receber nossas notificações dos próximos eventos. 

Ok?🤜🏻🤛🏻

A ABRAFIBRO está cada vez mais perto de você.


#homemcomfibromialgia

#homenscomfibromialgia

#HomensFibromialgicos

#homemfibromialgico

#fibromialgianoshomens

#fibromialgianohomem

#dorcronicanohomem

#fibromialgianohomemédiferente

#fibromialgia

#fibromialgicos

#dorécoisaséria

#homenscomdor


segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Live de 16.10 - Exercícios pra quê?

 

Foi showww a Live da última sexta.

A Dra Marcella de Carlo - Médica Fisiatra Voluntária e a Paciente Núbia Raquel A. Moraes (São Luís/MA) explicaram, contaram experiências,...um papo muito franco e esclarecedor, que foi uma pena ter que encerrar.
Mas, você pode assistir agora ou rever.
Chame a família e os amigos para assistirem juntos. É esclarecedora mesmo!

Corre lá... Ah, divulgue! Dê seu Like 👍🏻, Inscreva-se no canal - Ative o sininho 🔔 para receber notificações de nossos eventos.
Aprecie nosso trabalho... é realizado com muita atenção, carinho e seriedade!



sábado, 17 de outubro de 2020

DIA 18 DE OUTUBRO - DIA DO MÉDICO

 Nossa singela homenagem àqueles que colocam a vida e seus conhecimentos, em prol de outras vidas.

Esperamos que este vídeo transforme as palavras em puros e sinceros sentimentos de profunda Gratidão.





Estamos também no Instagram: @abrafibro  no Twitter: @_abrafibro

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

16 de Outubro - Dia Mundial da Alimentação



DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO


Estabelecido pela ONU em 1979, o Dia Mundial da Alimentação ocorre em mais de 150 países no mundo, desde 1981.


De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde, essa data é importante, pois “nos faz refletir sobre a complexidade do ato de se alimentar e a complexa cadeia de produção de alimentos que nos fornece diariamente produtos que compõem a nossa alimentação”.


Assim sendo, o Dia Mundial da Alimentação é um dia de reflexão a respeito de temas relacionados ao comer, tais como a fome, o acesso ao alimento de qualidade e em quantidade suficiente pelas pessoas de todo mundo, e a necessidade de uma alimentação saudável para a vida de cada indivíduo.


A data foi implementada para alertar sobre a importância alimentação saudável, acessível e de qualidade, chamada de “Segurança Alimentar e Nutricional”.

Também foca nos problemas sociais associados a ela, por exemplo, a fome, a desnutrição, a pobreza, dentre outros.

Este ano o tema é:

Cresça, alimente, sustente. Juntos.

Lança um apelo à solidariedade global, dentro do cenário de pandemia de Covid-19, para ajudar as pessoas mais vulneráveis a se recuperar e tornar os sistemas alimentares mais sustentáveis, fortes e resilientes.


Para os Fibromiálgicos já fizemos Live para explicar a importância da boa alimentação no tratamento, com a Nutricionista Voluntária Dra. Ana Carolina Ballonas, no dia 14.08

https://youtu.be/fL2p_aR40dE

Você assistiu? Não!

Então assista no nosso canal no YouTube. 

Não esqueça de se inscrever, deixar seu Like 👍🏻, e clicar no sininho 🔔 para receber nossas notificações dos próximos eventos.

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

15 de Outubro - Dia dos Professores

 



Aos Mestres com Carinho 🌹

Há cerca de cinco meses de isolamento social no Brasil, devido à pandemia do Coronavírus, os professores estão afastados das escolas, mas não de sua função, pois eles continuam contribuindo com a aprendizagem e o desenvolvimento de seus alunos. Qual é a importância de celebrar o Dia dos Professores em tempos de pandemia? Venha saber com a gente!

Esse é um cenário novo para todos, e os professores precisaram se reinventar para realizar seu trabalho de formação de crianças e jovens, futuros cidadãos atuantes na sociedade.

A importância da docência é inquestionável, já que é um dos pilares da educação e, contribui com a construção do futuro, além disso, todas as profissões dependem dela.

Apesar de estarem longe do ambiente escolar, a docência não se restringe a um espaço físico, pois ela ultrapassa os limites institucionais, o que tem sido essencial para possibilitar o ensino remoto.

O professor é aquele que faz a mediação entre o conhecimento e o aluno, que orienta o caminho, ajuda e auxilia na construção do saber e das habilidades essenciais para a vida profissional e também pessoal.

Com a Pandemia eles precisaram, mais uma vez se reinventar. Tudo para que o conhecimento, a educação não fosse freada pelo vírus.

Muitos pais conseguiram finalmente, perceber o tamanho do trabalho que tem esses mestres. Eles apenas 1, 2 ou 3 em casa. Nada comparado a 20, 25 ou 30 numa mesma sala.

Nada comparável em ter que atraí-los para ensinar, organizar para entender. Dar lições que seriam da família que, muitas vezes, "esquecem" pela falta de tempo.

Professores se tornam "pais", amigos, confidentes, "médicos", "enfermeiros", "assistentes sociais", comediantes, babás...tudo pelo amor à Educação e aos seus Discípulos.

E o salário oh...🤏🏼 

E o reconhecimento oh🤏🏼

Que nossa homenagem toque o coração  desses Mestres e Mestras, com todo nosso carinho, reconhecimento por sua dedicação.

Lembra-se daquele ou daquela que tanto te ensinou na escola? Se ainda tem contato com ele ou ela, escreva-lhe para agradecer. Tenha certeza... Eles não nos esquecem.

Vocês são e serão o princípio e o meio, nunca o fim!❤️

@simoneelibombardi 

#professores #dedicacao #amoraeducacao

Por que Exercícios Físicos no tratamento contra a Fibromialgia? Pra que?

Tá chegando a hora... 
Amanhã - 16.10 às 20hs 🕗 em nosso canal no YouTube.
Você saberia as respostas a estas perguntas?
Estas e outras serão respondidas.
O importante é entender e fazer o melhor por você!
Peça a companhia de um familiar.
As dúvidas poderão ser esclarecidas.
E olha...ter alguém para incentivar e até acompanhar, tudo fica mais divertido.
Estamos preparando tudo!
Nós, a Dra Marcella de Carlo - Médica Fisiatra - e a Paciente Núbia esperamos por vocês!
Curta nossos vídeos👍🏻
Inscreva-se em nosso canal  e
Ative o sininho 🔔para ser notificado sempre que fizermos novos eventos.

#DraMarcelladeCarlo
#PacienteNubiaRAMoraes
#fibromialgia
#fibromialgicos
#dorcronica
#tratamentonãomedicamentoso
#exerciciosfisicos #movimento
#tratamentodafibromialgia

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

FIBROMIALGIA E EXERCÍCIOS FÍSICOS...POR QUÊ? PRA QUE?


 


16.10 às 20hs

Anote na agenda!
Dra Marcella de Carlo Barcelos Teixeira - Médica Fisiatra Voluntária na Abrafibro recebe a paciente Núbia Raquel Almeida Moraes (São Luís/MA) para conversarmos sobre  por que precisamos tanto fazer exercícios físicos no tratamento contra os sintomas da Fibromialgia.
Vocês sabem por quê?
Quais os efeitos?
Que dúvidas vocês têm?
Estas e outras perguntas  discutiremos nesta Live.
Esperamos por vocês!

Sugestão importante!💡Assistam com alguém da sua família. Isso ajudará a tirar dúvidas e mitos e, quem sabe, ter companhia para incentivar nos exercícios e atividades.
Falar sobre Fibromialgia e encarar a realidade, só ajudam paciente e família.
Quanto mais pessoas assistirem e souberem sobre a Fibromialgia, diminuiremos a ignorância, aumentando a conscientização para Enfrentarmos  de maneira mais correta e eficiente, sem esquecer a individualidade. 💜💜
Vocês são a parte mais importante disso tudo.
Façam mais por vocês!!!

✔️ Ah! Se inscrevam em nosso canal!
✔️ Assistam aos vídeos que já estão à disposição. 
✔️ Curtam 👍🏻
✔️ Ativem o Sininho 🔔 para receberem notificações de nossos próximos eventos e vídeos.

🔊Divulguem! 👏🏻👏🏻👏🏻
↪️Compartilhem! 👏🏻👏🏻

Canal da Abrafibro no YouTube:

terça-feira, 13 de outubro de 2020

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE PARA NÓS

Você já respondeu nossa Pesquisa?🤷🏼‍♀️
Ainda não?😳
Você pode nos ajudar e muito.🤜🏻🤛🏻
Acesse:
https://forms.gle/bUkHum9vgwCnPWJz6
É super rápido!🤗

E se você já respondeu... Receba nosso muito obrigada!🙏🏻
Ajudou bastante.👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻