Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar e interdisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas em diversos aspectos, como:
tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.
Você pode seguir nossos outros canais de notícias.
Escolha:
Aqui, você pode cadastrar seu e-mail, logo abaixo, na coluna à sua direita.
Ou escolher entre:
WhatsApp
Telegram

Notícias sobre Fibromialgia e Saúde.
Não são grupos interativos.

Discutimos ações em parcerias com pacientes e parlamentares, na busca por políticas públicas que dignifiquem e tragam à tona assuntos e benefícios importantes para nossa qualidade de vida.

TRADUTOR

Siga-nos por e-mail

Mostrando postagens com marcador fibromiálgicos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador fibromiálgicos. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Motivos para DESCANSAR

 


Importantíssimo cada um destes motivos, mas é você que decide o que é prioridade.


1. Por que eu/você quer

2. A semana está difícil

3. Está com dor

4. Cansaço mental


Mais importante de TODOS👇


5. Não precisa ter razão.


Você pode fazer o que quiser, não precisa justificar para ninguém e nem para você porque vai parar e descansar.


Nosso corpo tem limites e precisa de pausas, se tiver que parar para Descansar tome cuidado, as vezes pode ser pq já passou da conta. 


Dra. Andreia Salvador  Fisioterapeuta

Profissional Voluntária



quarta-feira, 7 de abril de 2021

Dia Mundial da Saúde - 07 de Abril

 


🄾 🅀🅄🄴 é 🅂🄰Ú🄳🄴?


De acordo com o conceito definido pela OMS “ 𝕤𝕒ú𝕕𝕖 é 𝕦𝕞 𝕖𝕤𝕥𝕒𝕕𝕠 𝕕𝕖 𝕔𝕠𝕞𝕡𝕝𝕖𝕥𝕠 𝕓𝕖𝕞-𝕖𝕤𝕥𝕒𝕣 𝕗í𝕤𝕚𝕔𝕠, 𝕞𝕖𝕟𝕥𝕒𝕝 𝕖 𝕤𝕠𝕔𝕚𝕒𝕝 𝕖 𝕟ã𝕠 𝕒𝕡𝕖𝕟𝕒𝕤 𝕒 𝕒𝕦𝕤ê𝕟𝕔𝕚𝕒 𝕕𝕖 𝕕𝕠𝕖𝕟ç𝕒 𝕠𝕦 𝕖𝕟𝕗𝕖𝕣𝕞𝕚𝕕𝕒𝕕𝕖”.

O principal objetivo desta data é conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação da saúde para ter uma melhor qualidade de vida.


A data é comemorada desde 1950, por coincidir con a data de criação da OMS - Organização Mundial da Saúde. O organização foi criada em 1948.


Nos tempos atuais, o tema torna-se mais que relevante. 

Todos os anos um tema é escolhido para discussão.

𝗘𝗺 𝟮𝟬𝟮𝟭, 𝗮 𝗽𝗿𝗼𝗽𝗼𝘀𝘁𝗮 𝗽𝗮𝘂𝘁𝗮-𝘀𝗲 𝗻𝗮 𝗰𝗼𝗻𝘀𝘁𝗿𝘂çã𝗼 𝗱𝗲 𝘂𝗺 𝗺𝘂𝗻𝗱𝗼 𝗺𝗮𝗶𝘀 𝗷𝘂𝘀𝘁𝗼 𝗲 𝘀𝗮𝘂𝗱á𝘃𝗲𝗹.

 O Dia Mundial da Saúde é uma das oportunidades de comunicação sobre a importância da equidade nos serviços de saúde, não apenas para a saúde dos indivíduos, mas também para a saúde das economias e da Sociedade  como um todo.



terça-feira, 6 de abril de 2021

Dia Mundial da Atividade Física - 06.04

 


Para nós Fibromiálgicos essencial!
Para a vida... é natural!
O corpo humano é perfeito para estar em movimento.
O sedentarismo é capaz de provocar inúmeras doenças, e no nosso caso a piora dos sintomas da Fibromialgia.
As Sociedades Brasileiras de Cardiologia, Reumatologia, Fisioterapia, Fisiatria são unânimes nesta recomendação.
Aliada a boa alimentação traz o bem estar e SAÚDE!
Ah, é também Dia Internacional do Esporte!
Você pratica alguma atividade física ou algum esporte? Conta pra gente! Compartilhe conosco sua experiência.
Aproveitamos para agradecer o incentivo que nos são dados pelas profissionais Voluntárias:

Dra Andreia Salvador - fisioterapeuta, especialista em Reumatologia @dancafibromialgia

Dra Marcella de Carlo - Médica Fisiatra


E àqueles que também por aqui passaram:

domingo, 4 de abril de 2021

Feliz Páscoa - 2021

Renascer,
Renovar,
Recriar,
E apenas Crer! 
É o verdadeiro Espírito da Páscoa 🕊️



*Créditos*
 Música: "O amor me elegeu"
 Cantor: Pe. Fábio de Melo
Criação Vídeo: Talentos Produções






segunda-feira, 22 de março de 2021

REIKI À DISTÂNCIA GRATUITO pela SBED


🤗 *Envio de Reiki à distância toda segunda-feira às 21h30!*

Basta, *enviar seu nome completo e data de nascimento para* o e-mail compicsbed@terra.com.br

Um presente de nosso comitê COMPICS - SBED junto da escola @ReiKilibrar para você, trazido especialmente neste momento de distanciamento social. 

_Vários estudos têm comprovado a eficácia do Reiki no cuidado de distúrbios do organismo em pacientes oncológicos, a fim de testar a redução de estresse e relaxamento, na dor, ansiedade e fadiga, pressão arterial, bem como no autocuidado em profissionais de saúde, assim como em idosos._
_Também em crianças e adolescentes, pode-se observar um aumento da calma e equilíbrio emocional._

_Pode ser realizado à distância por profissionais habilitados._



*Avisem seus amigos, colegas e pacientes* que a @SBED se preocupa com a Sua Dor!

MAIS UM GUERREIRO SE FOI...


Faleceu hoje, vítima do Covid, o Presidente da ANFIBRO - Daniel Lenz.
Nossos respeitos e condolências a todos os amigos e familiares deste ser, que foi mais uma vítima desse maldito vírus.
E nós da ABRAFIBRO estamos consternados por mais esta perda incomensurável para todos, e para os Fibromiálgicos do Brasil.
Não importa nada neste momento, de que lado estamos. Na verdade estamos num só...pela Saúde e pelo Amor.
Que Deus possa confortar a todos.🙏🏼
Descanse em paz, bravo guerreiro!

terça-feira, 16 de março de 2021

Agora é para o Estado de Sergipe

 


Foto 1 - Deputada Estadual Kitty Lima

PARA TODO ESTADO DE SERGIPE

A Deputada Estadual Exma Sra. Kitty em 2019 propôs através de Projeto de Lei que, os fibromiálgicos pudessem usar a fila preferencial, onde ela houver, e institui o Maio Roxo para Conscientização da Fibromialgia. Foi sancionado pelo pelo Governador Exmo Sr. Belivaldo Chagas da Silva @belivaldochagas através da Lei 8625 de 02.12.2019.


Foto 2 - Texto do Diário Oficial


Finalmente, em 26.02.21 com o Decreto 40.774, regulamentou a referida Lei.
Transcorreram 452 dias para que, os beneficiados possam cumprir as exigências e usufruir o direito, tão arduamente conquistado.
Na foto 2 você pode ver que, deve se dirigir à Secretaria Estadual da Saúde, portando laudo médico com o CID10 - M79.7 - Fibromialgia atestando que o paciente foi assim diagnosticado.
Mas, conforme o Decreto, a Secretaria Estadual da Saúde tem a liberdade de formular novas regras.
Assim sendo, face também ao momento que vivemos, sugerimos que telefone antes para Secretaria e, obter maiores e melhores informações.
(79)3226.8311.
Ou envie mensagem para:
Facebook: https://www.facebook.com/saudesergipeoficial/
Instagram: @saude_sergipe 

quinta-feira, 11 de março de 2021

AUTOCUIDADO?



 🥰 Autocuidado nada mais é do que a atenção que você dedica a você mesmo. 


😍 Um dos principais aspectos do autocuidado é reconhecer nossas necessidades físicas, mentais e emocionais.


🥰 As pessoas que praticam o autocuidado tendem a ser muito mais produtivas e eficientes.


😍 Além de promover pensamentos positivos e a cultivar um relacionamento consigo mesmo. Isso melhora muito a auto-estima e a confiança em você. 


👉 Acompanhe o check list escolha um item por dia e coloque em prática o mais importante... Você em primeiro lugar. 


É muito simples, se permita!


Siga os itens do post e, aos poucos, vai perceber as mudanças.


Postagem da Profissional Voluntária Profa. Dra. Andreia Salvador - Fisioterapeuta @dancafibromialgia (Instagram)


domingo, 7 de março de 2021

TODA QUARTA-FEIRA ÀS 8hs30 GRÁTIS!

 



𝘼𝙉𝙊𝙏𝙀 𝙉𝘼 𝘼𝙂𝙀𝙉𝘿𝘼!!!

Você que tem Fibromialgia e Dor Crônica e não sabe:

👉 Qual tipo de exercício pode fazer?

👉 Onde pode fazer exercício?

👉 Precisa fazer atividade física e Reabilitação mas está inseguro(a).

👉 Não conhece nenhum profissional especialista na sua cidade. 

Tenho a solução para estes questionamento!!! 

Vou iniciar as quartas-feiras aulas online, abertas e gratuitas,  com transmissão pelo Zoom ( no Play Store baixe o aplicativo - https://play.google.com/store/apps/details?id=us.zoom.videomeetings)  às pessoas interessadas em melhorar das dores crônicas e dos sintomas da Fibromialgia, de forma segura com Exercícios Terapêuticos. 

Para receber semanalmente o link das aulas entre no Grupo de Recado - Exercício para Fibromialgia e Dor Crônica  https://linktr.ee/draandreiasalvador 


A Prof Dra Andréia Salvador - te espera  😉😉😉💃🕺



terça-feira, 2 de março de 2021

Minha história com a fIbromialgia

 

🄿🅁🄾🄹🄴🅃🄾

𝕍𝕠𝕦 𝕥𝕖 𝕔𝕠𝕟𝕥𝕒𝕣 𝕞𝕚𝕟𝕙𝕒 𝕙𝕚𝕤𝕥ó𝕣𝕚𝕒 𝕔𝕠𝕞 𝕒 𝔽𝕚𝕓𝕣𝕠𝕞𝕚𝕒𝕝𝕘𝕚𝕒...

Todos nós temos uma história pra contar, envolvendo a Fibromialgia.

Uns demoraram a receber o diagnóstico, outros nem tanto. Alguns descobriram que não são "só" fibromiálgicos.

Alguns enfrentam a luta para fazer a família compreender as dificuldades de ser um Fibromiálgico ou Fibromiálgica.

Alguns ainda não descobriram o melhor caminho no tratamento, outros já conseguiram. Alguns, infelizmente, nem começaram essa jornada.


Enfim, cada um de nós carrega dentro de si sua própria história.


Você acredita que a sua mereça ser conhecida? Por ter uma experiência positiva ou por não desistir de encontrar de encontrar uma saída?


Quer que leiam sua história?

Nós podemos fazer isso.

Basta nos escrever autorizando a conta-la na internet. Não precisa usar seu nome de verdade, nem colocar um endereço. Precisamos apenas o nome de sua cidade ou Estado, sexo e idade para fins Estatísticos. Tudo mais ficará em sigilo absoluto.

Saiba que muita gente precisa entender que não está só nesta luta. 

Muitas histórias tem personagens diferentes, mas no fundo têm motivações e objetivos muito semelhantes.

Vamos lá...conte a sua!

Você poderá enviar pelo reservado (mensagem) ou para abrafibrohistorias@gmail.com


Há maneira melhor de conhecerem nossa realidade?


Participe!

Quem sabe consigamos lançar um livro com estas histórias.


Você pode participar? 

É só colocar na ordem...

O começo

O meio 

E atualmente.

Ninguém pode falar melhor que os próprios pacientes.


Aguardamos sua colaboração.


#fibromialgia #fibromialgicos #homenscomfibromialgia #dorcronica #fibromialgiaexiste #gentedefibra #dorlevadaaserio

segunda-feira, 1 de março de 2021

Como fumar pode afetar Fibromialgia

Tabagismo O tabagismo é reconhecido como uma doença crônica causada pela dependência à nicotina presente nos produtos à base de tabaco. De acordo com a Revisão da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10), o tabagismo integra o grupo de transtornos mentais e comportamentais em razão do uso de substância psicoativa.1 Ele também é considerado a maior causa evitável isolada de adoecimento e mortes precoces em todo o mundo.²

Referências

1BRASIL. Décima Revisão da Classificação Estatística Internacional de Doenças  e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10 - 1997). Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=060203 Acesso em: 01 abr. 2020.

2DROPE, J.; SCHLUGER, N.; CAHN, Z.; HAMILL, S.; ISLAMI, F.; LIBER, A.; NARGIS, N.; STOKLOSA, M. The Tobacco Atlas. Atlanta: American Cancer Society and Vital Strategies. 2018. Available at: https://files.tobaccoatlas.org/wp-content/uploads/2018/03/TobaccoAtlas_6.... Access in: 27 Fev. 2020.


Por

Dra. Dawn Marcus

Neurologista


Aproximadamente uma em cada quatro pessoas com fibromialgia fuma. O uso da nicotina muda uma série de substâncias químicas cerebrais importantes que afetam a dor, incluindo endorfinas, serotonina, norepinefrina e dopamina.

Essas mudanças induzidas pela nicotina nos produtos químicos do cérebro tornam você mais sensível à dor. Em um estudo interessante com 984 pessoas com fibromialgia na Mayo Clinic, a dor e a incapacidade foram significativamente piores entre os fumantes. Além disso, problemas com trabalho, sono, rigidez, ansiedade e depressão foram significativamente mais prejudicados entre os participantes que usavam tabaco. Um estudo coreano semelhante com 336 pessoas com fibromialgia encontrou uma ligação entre tabagismo e dor, deficiência funcional e humor. Embora fumar não cause fibromialgia, geralmente piora a gravidade das condições de dor crônica, incluindo a fibromialgia.

Fumar também pode diminuir a eficácia dos medicamentos para a dor:

Os fumantes usam mais analgésicos do que os não fumantes.

Ao tomar a mesma quantidade de analgésicos, as concentrações sanguíneas são mais baixas nos fumantes.

Os fumantes obtêm menos alívio da dor tomando analgésicos.

Fumar pode reduzir a eficácia dos antidepressivos. Os fumantes que tomam antidepressivos para tratar problemas de humor apresentam menos melhora, em comparação com os não fumantes que usam os mesmos medicamentos.


Fonte: https://www.sharecare.com/health/fibromyalgia-living/how-can-smoking-affect-fibromyalgia



Sugestão!

Procure o serviço de saúde da sua cidade para saber onde encontrar o tratamento contra o TABAGISMO.

Veja...

Tratamento do tabagismo

Última modificação: 09/12/2020 | 12h18

Rede de Tratamento do tabagismo no SUS


O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) é o órgão do Ministério da Saúde responsável pelo Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) e pela articulação da rede de tratamento do tabagismo no SUS, em parceria com estados e municípios e Distrito Federal. A rede foi organizada, seguindo a lógica de descentralização do SUS para que houvesse o gerenciamento regional do Programa tendo como premissa a intersetorialidade e a integralidade das ações. Cabe lembrar que desde 1989, o INCA desenvolve ações voltadas para o tratamento do tabagismo.

Atualmente, nos 26 estados da Federação e no Distrito Federal, as secretarias estaduais de saúde possuem coordenações do Programa de Controle do Tabagismo que, por sua vez, descentralizam as ações para seus respectivos municípios atuando de forma integrada.

Assim, o tratamento de tabagismo no Brasil é desenvolvido com base nas diretrizes do PNCT que está sob a coordenação e gerenciamento da Divisão de Controle do Tabagismo e Outros Fatores de Risco (Ditab), do INCA.

As ações educativas, legislativas e econômicas desenvolvidas no Brasil vêm gerando uma diminuição da aceitação social do tabagismo, fazendo com que um número cada vez maior de pessoas queira parar de fumar, evidenciando a importância de priorizar o tratamento do fumante como uma estratégia fundamental no controle do tabagismo.

Cabe destacar ainda que desde 2002, o Ministério da Saúde vem publicando e atualizando portarias que incluem o tratamento do tabagismo na rede SUS – tanto na atenção básica quanto na média e alta complexidade. Tais portarias definem formas de abordagem e tratamento do tabagismo, aprovam o plano para implantação, protocolo clínico e diretrizes terapêuticas, determinam a disponibilização pelo Ministério da Saúde aos municípios com unidades de saúde que realizam o tratamento para o tabagismo, dos materiais de apoio e medicamentos utilizados para esse fim, formas de adesão ao tratamento do tabagismo pelos municípios, além de definir o financiamento dos procedimentos a serem utilizados. [1] [2] [3].

É importante destacar que ao ingressar no programa de tratamento do tabagismo as gestões das diferentes instâncias assumem o compromisso de organização e implantação das ações para o cuidado da pessoa tabagista. O tratamento inclui avaliação clínica, abordagem mínima ou intensiva, individual ou em grupo e, se necessário, terapia medicamentosa juntamente com a abordagem intensiva.

O PCDT é um documento oficial do Sistema Único de Saúde (SUS) que estabelece os critérios para o diagnóstico do tabagismo, o tratamento, o uso de medicamentos e outros insumos apropriados, o acompanhamento e também trata dos resultados terapêuticos.
Cabe lembrar que com a publicação da Portaria nº 571/GM/MS de 05 de abril de 2013, foram revogadas a Portaria nº 1.035/GM/MS de 31 de maio de 2004 e a Portaria nº 442/SAS/MS de 13 de agosto de 2004 e seus anexos, cujas orientações foram posteriormente revalidadas pela Portaria nº 761/SAS/MS de 21 de junho de 2016 até que fosse aprovado e publicado o novo Protocolo Clínico com as adequações metodológicas orientadas pela Conitec. Portanto, o atual PCDT substitui as orientações técnicas do tratamento do tabagismo constantes no Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas - Dependência à Nicotina - constantes do Anexo II da Portaria nº 442/SAS/MS de 13 de agosto de 2004.

É importante salientar que as orientações do PNCT estão de acordo com as principais diretrizes internacionais relacionadas ao tratamento do tabagismo. Dessa forma, o SUS oferece ao fumante brasileiro que deseje parar de fumar um tratamento adequado, com metodologia embasada em evidências científicas.

Por que as pessoas fumam?

A nicotina, presente em qualquer derivado do tabaco é considerada droga por possuir propriedades psicoativas, ou seja, ao ser inalada produz alteração no sistema nervoso central, trazendo modificação no estado emocional e comportamental do usuário que pode induzir ao abuso e dependência. O quadro de dependência resulta em tolerância, abstinência e comportamento compulsivo para consumir a droga, estabelecendo-se assim um padrão de auto-administração caracterizado pela necessidade tanto física quanto psicológica da substância, apesar do conhecimento de seus efeitos prejudiciais à saúde.

Muitos são os fatores que podem levar a pessoa a experimentar drogas, já que é histórica a tendência humana de buscar formas de alterar sua consciência de modo a produzir prazer e modificar seu humor. De maneira geral a possibilidade do encontro com a droga se dá na adolescência, fase caracterizada por muitas transformações físicas e emocionais , angústias e busca de respostas.

Dependendo da suscetibilidade individual, alguns fatores serão decisivos para estimular o indivíduo atender a essa tendência humana de buscar nas drogas o alívio para suas tensões, tais como a aceitação social de uma determinada substância, seu fácil acesso, uso da droga por pessoas que tenham papel de modelos de comportamento. Portanto, a sociedade pode contribuir de maneira significativa para que o uso seja estimulado, causando adoecimentos em larga escala.

No caso do tabagismo vale destacar o papel que a publicidade exerceu e exerce na adoção do consumo de derivados do tabaco, especialmente cigarro. A publicidade veiculada pelas indústrias aliou as demandas sociais e as fantasias dos diferentes grupos (adolescentes, jovens, mulheres, faixas economicamente mais pobres e com menor nível de escolaridade, entre outras.) ao uso do cigarro. A manipulação psicológica embutida na publicidade de cigarros procura criar a impressão, principalmente entre os adolescentes e jovens, de que o tabagismo é muito mais comum e socialmente aceito do que é na realidade. Para isso, utiliza a imagem de ídolos e modelos de comportamento de determinado público-alvo, portando cigarros ou fumando-os, ou seja, uma forma indireta de publicidade que ainda tem forte influência no comportamento tanto dos adolescentes e jovens quanto dos adultos. A publicidade direta era feita por veículos de comunicação de massa, por anúncios atraentes e bem produzidos, o que está proibido no Brasil desde 1996.

O reconhecimento do papel da publicidade na adesão de novos consumidores de tabaco, fez com que ações legislativas fossem instituídas a fim de desestimular a iniciação ao uso como a Lei nº 9.294, de 15 de julho de 1996 que em seu artigo 3º determina: "(...) é vedada, em todo o território nacional, a propaganda comercial de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos ou qualquer outro produto fumígeno, derivado ou não do tabaco, com exceção apenas da exposição dos referidos produtos nos locais de vendas, desde que acompanhada das cláusulas de advertência (Redação dada pela Lei nº 12.546, de 2011). Dessa forma, a propaganda comercial dos produtos referidos nesse artigo deverá ajustar-se às seguintes diretrizes: não sugerir o consumo exagerado ou irresponsável, nem a indução ao bem-estar ou saúde, ou fazer associação a celebrações cívicas ou religiosas; não induzir as pessoas ao consumo, atribuindo aos produtos propriedades calmantes ou estimulantes, que reduzam a fadiga ou a tensão, ou qualquer efeito similar; não associar ideias ou imagens de maior êxito na sexualidade das pessoas, insinuando o aumento de virilidade ou feminilidade de pessoas fumantes; não associar o uso do produto à prática de atividades esportivas, olímpicas ou não, nem sugerir ou induzir seu consumo em locais ou situações perigosas, abusivas ou ilegais; não empregar imperativos que induzam diretamente ao consumo; não incluir a participação de crianças ou adolescentes. [4]

Além disso, pais ou responsáveis, parentes, professores, ídolos e amigos também exercem uma grande influência. O consumo de tabaco pelos pais ou responsáveis e a atitude permissiva desses diante do uso por seus filhos promovem a aceitação social do tabaco entre as crianças, adolescentes e jovens e contribuem para incentivar o uso. De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (2015), com relação ao consumo de cigarro e outros produtos de tabaco, entre os escolares de 13 a 17 anos de idade no Brasil, no que se refere à experimentação do cigarro houve um crescimento relativo de aproximadamente 53,0% entre as duas faixas etárias analisadas. No grupo etário de 13 a 15 anos a experimentação é de 19,0%, chegando a pouco mais de 29,0% entre os escolares na faixa etária de 16 a 17 anos. [5]

Outro fator que pode explicar o grande número de adolescentes fumantes é a venda ilegal de cigarros e outros produtos derivados do tabaco a menores de 18 anos. Dados da Vigilância do Tabagismo em Escolares (VIGESCOLA, 2002 - 2009) [6] informam que a maioria dos adolescentes que participou da pesquisa afirmou nunca ter sido impedida de comprar cigarros em lojas em função da idade. Além disso, quanto à forma de aquisição do cigarro (por unidade ou por maço), chama atenção a alta prevalência de adolescentes que compraram cigarro por varejo (unidade) de forma ilegal, em todas as cidades analisadas. Esses fatores podem estar contribuindo para a experimentação do cigarro e o início do fumo entre os adolescentes.

Os resultados das medidas de restrição à publicidade no controle do tabagismo em vários países mostram que esse é um instrumento legítimo e necessário para a redução do consumo, associado à medidas legislativas, econômicas e educativas, entre outras.

Quer parar de fumar?

Equivocadamente muitas pessoas acreditam que o tabagista é um “viciado", “sem força de vontade", “que não deixa de fumar porque não quer". Não é isso. Na verdade quem fuma sofre de dependência química, ou seja, é alguém que ao tentar deixar de fumar, se defronta com grandes desconfortos físicos e psicológicos que trazem sofrimento, e que pode impor a necessidade de várias tentativas até que finalmente consiga abandonar o tabaco. Entender o que acontece com o tabagista e suas tentativas de parar de fumar é fundamental para que se possa ter a real dimensão do problema. Portanto, se você quer parar de fumar comece escolhendo uma data para ser o seu primeiro dia sem cigarro. Este dia não precisa ser um dia de sofrimento. Faça dele uma ocasião especial e procure programar outra coisa que goste de fazer para se distrair e relaxar.

Quer parar de fumar? Saiba onde é oferecido tratamento no seu estado. Para informações mais detalhadas, favor consultar a coordenação de controle do tabagismo da sua secretaria estadual e/ou municipal de saúde.

Abordagem

Fumar é um comportamento extremamente reforçado diariamente. A abordagem tendo por base o modelo cognitivo comportamental é a técnica recomendada para o tratamento do tabagista.

Entre suas premissas está o entendimento de que o ato de fumar é um comportamento aprendido, desencadeado e mantido por determinadas situações e emoções, que leva a dependência devido às propriedades psicoativas da nicotina. O tratamento objetiva, portanto, a aprendizagem de um novo comportamento, através da promoção de mudanças nas crenças e desconstrução de vinculações comportamentais ao ato de fumar, combinando intervenções cognitivas com treinamento de habilidades comportamentais.

Apoio medicamentoso

O uso de medicamentos tem um papel bem definido no processo de cessação do tabagismo, que é o de minimizar os sintomas da síndrome de abstinência à nicotina, facilitando a abordagem intensiva do tabagista [7]. Medicamentos não devem ser utilizados isoladamente, e sim em associação com uma boa abordagem. É fundamental que o tabagista se sinta mais confiante para exercitar e por em prática as orientações recebidas durante as sessões da abordagem intensiva [8][9][10][11].
Os medicamentos disponibilizados pelo Ministério da Saúde para o tratamento do tabagismo na rede do SUS são os seguintes: terapia de reposição de nicotina (adesivo transdérmico e goma de mascar) e o cloridrato de bupropiona.

Abstinência

Considerada uma droga bastante danosa, a nicotina atua no sistema nervoso central como a cocaína, heroína, álcool, com uma diferença: leva entre 7 a 19 segundos para chegar ao cérebro. É normal, portanto, que, ao parar de fumar, os primeiros dias sem cigarros sejam os mais difíceis, porém as dificuldades tendem a ser menores com o tempo.

Quando o fumante para de fumar, pode apresentar alguns sintomas desagradáveis, tais como: dor de cabeça, tonteira, irritabilidade, agressividade, alteração do sono, dificuldade de concentração, tosse, indisposição gástrica e outros. Esses sintomas caracterizam a síndrome de abstinência da nicotina, porém, não acontecem com todos os fumantes que param de fumar. Quando acontecem, tendem a desaparecer em uma a duas semanas (alguns casos podem chegar a 4 semanas).

Alguns dos sintomas, como dor de cabeça, tonteira e tosse são sinais do restabelecimento do organismo. O sintoma mais intenso, e mais difícil de se lidar, é a chamada “fissura" (grande vontade em fumar). É importante saber que a “fissura" geralmente não dura mais que 5 minutos, e tende a ficar mais tempo que os outros sintomas. Porém, ela vai reduzindo gradativamente a sua intensidade e aumentando o intervalo entre um episódio e outro.

Recaída

A recaída se caracteriza pelo retorno ao consumo de cigarros após parar de fumar. Na condição de tabagista o paciente vai ao longo de sua vida estabelecendo associações com seu cotidiano e o comportamento de fumar. Ao deixar de fumar e realizar determinadas ações que se tornaram condicionamentos, o desejo de fumar poderá surgir e a recaída ocorrer.

A manutenção de uma mudança pode exigir a construção de um conjunto de habilidades e estratégias diferentes daquelas que foram inicialmente necessárias para a obtenção da mudança. Se a recaída ocorrer não deve ser encarada como fracasso. Comece tudo novamente e procure ficar mais atento ao que fez você voltar a fumar. Dê-se várias chances até conseguir.

Aumento de peso

A preocupação com o ganho de peso é uma das maiores barreiras para que alguns fumantes tomem a decisão de parar de fumar, ou recaiam após terem parado de fumar. É importante entender que geralmente o ganho de peso após a cessação do tabagismo é temporário, sendo que na maioria dos casos, ocorre nos primeiros meses pós-cessação.

Portanto, se a fome aumentar, não se assuste, é normal um ganho de peso, pois seu paladar vai melhorando e o metabolismo se normalizando.

De qualquer forma, procure não comer mais do que o de costume. Evite doces e alimentos gordurosos. Mantenha uma dieta equilibrada com alimentos naturais e de baixa caloria, frutas, verduras e legumes. Faça atividade física, pois ajuda no controle do peso. Beba sempre muito líquido, de preferência água e sucos naturais. No início, evite café e bebidas alcoólicas, pois eles estimulam a vontade de fumar.

Benefícios

Parar de fumar sempre vale a pena em qualquer momento da vida, mesmo que o fumante já esteja com alguma doença causada pelo cigarro, tais como câncer, enfisema ou derrame. A qualidade de vida melhora muito ao parar de fumar. Veja o que acontece se você parar de fumar agora:

• Após 20 minutos, a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal.
• Após 2 horas, não há mais nicotina circulando no sangue.
• Após 8 horas, o nível de oxigênio no sangue se normaliza.
• Após 12 a 24 horas, os pulmões já funcionam melhor.
• Após 2 dias, o olfato já percebe melhor os cheiros e o paladar já degusta melhor a comida.
• Após 3 semanas, a respiração se torna mais fácil e a circulação melhora.
• Após 1 ano, o risco de morte por infarto do miocárdio é reduzido à metade.
• Após 10 anos, o risco de sofrer infarto será igual ao das pessoas que nunca fumaram.

Quanto mais cedo você parar de fumar menor o risco de adoecer.

 Os materiais do tratamento do tabagismo estão disponíveis junto com as demais publicações neste Portal.

 

Referências

1 - BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer, Coordenação de Prevenção e Vigilância, Divisão de Controle do Tabagismo e Outros Fatores de Risco de Câncer, 2005 – Deixando de Fumar sem Mistérios – Manual do Coordenador, Rio de Janeiro.

2- FIORE, MC, JAÉN, CR, BAKER, TB, et al, 2008. Treating Tobacco Use and Dependence. Clinical Practice Guideline. U. S. Department off Health and Humans Services, Public Health Service. Update.

3 - BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Ciência e Tecnologia. Boletim Brasileiro de Avaliação de Tecnologias em Saúde – BRATS, ano V, n. 12, 2010.

4 - BRASIL. Lei nº 9.294, de 15 de julho de 1996. Dispõe sobre as restrições ao uso e à propaganda de produtos fumígeros, bebidas alcoólicas, medicamentos, terapias e defensivos agrícolas, nos termos do § 4° do art. 220 da Constituição Federal. 
Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9294.htm Acesso em: 16 jul. 2018.

5 - BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Coordenação de Indicadores Sociais. Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar: 2015. Rio de Janeiro: IBGE, 2016.

6 - PAIVA, F.S e RONZANI, T.M. Estilos parentais e consumo de drogas entre adolescentes: revisão sistemática. Psicologia em estudo, Maringá, v. 14, n.1, p.177-183, jan/mar. 2009.

7 - BRASIL. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. VIGESCOLA. Vigilância de Tabagismo em Escolares. Realizado no Brasil, entre 2002 e 2009. Rio de Janeiro: INCA, 2011.

8 - BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS/Nº 1.575 de 29 de agosto de 2002. Diário Oficial da União de 03 de setembro de 2002, Brasília, Distrito Federal.

9 - BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS/Nº 1.035 de 31 de maio de 2004. Diário Oficial da União de 01 de junho de 2004, Brasília, Distrito Federal.

10 - BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria MS/SAS/Nº 442 de 13 de agosto de 2004. Diário Oficial da União de 16 de agosto de 2004, Brasília, Distrito Federal.

11 - BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS Nº 571 de 05 de abril de 2013. Diário Oficial da União de 08 de abril de 2013, p. 56 e 57. Brasília, Distrito Federal.

12 - BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer, Coordenação de Prevenção e Vigilância. Consenso sobre Abordagem e Tratamento do Fumante, Rio de Janeiro, 2001.


Fonte: https://www.inca.gov.br/programa-nacional-de-controle-do-tabagismo/tratamento



segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

EXERCÍCIOS FÍSICOS: Dói? Por quê?

 Mais dicas importantes da Profa. Dra. Andreia Salvador -   Fisioterapeuta, Profissional Voluntária na ABRAFIBRO - @dancafibromialgia (Instagram)

Dúvidas ou comentários?

Deixe abaixo!


A gente precisa saber se a mensagem foi compreendida. Ok?😉


Até mais...👋🏻




 















sábado, 20 de fevereiro de 2021

FIBROMIALGIA: POR QUE SINTO TANTA DOR?


O PRIMEIRO PASSO PARA CONTROLAR AS DORES É ENTENDER POR QUE ELAS ACONTECEM.

Hoje vamos iniciar uma série em nosso canal no YouTube, para te contar tudo o que você precisa saber sobre a Fibromialgia, e assim te ajudar a ter uma vida com mais qualidade.

O conhecimento é a arma mais poderosa que existe e, entender o que acontece com o seu corpo irá te trazer mais leveza, acredite💜, além de ajudar a lidar melhor com os sintomas. 

Vamos começar nossa série entendendo O QUE É A FIBROMIALGIA? 
É uma síndrome neurológica caracterizada por: dor generalizada, fadiga, alterações no sono, alterações do humor, e ALTERAÇÃO NA FORMA COMO A DOR É PROCESSADA E INTERPRETADA NO ORGANISMO.

Vamos entender melhor isso?

Depois deixe o seu comentário para nós⬇️: conte-nos se você sabia dessas informações importantes.

🔸Você ficou com alguma dúvida sobre essa parte?🔸

E fique de olho👀, semana que vem mais um post da nossa série sobre Fibromialgia 😍💜.


Série de autoria da Profissional Voluntária Dra. Marcella de Carlo - Médica Fisiatra - @dra.marcelladecarlo (Instagram)

Bora assistir...

Não deixe de "Curtir" 👍🏻

Se inscrever em nosso canal para receber notificações de nossas próximas publicações.

Ah, e aqui no site também. Na página inicial vc encontrará um campo para Cadastral seu email...

Chega de blablablá

https://youtu.be/8wJ5qHOMK0Y



Alongamento ou Aquecimento?🤔

😏Voce sabe a diferença de Aquecimento e Alongamento?

🤭Sabe quando usar um ou outro?

🥰Vem que vou te ensinar!

@dancafibromialgia 👩‍⚕️(Instagram)
Com a Profissional Voluntária Dra Profa Andréia Salvador  - Fisioterapeuta e Bailarina.

 

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2021

MAIO - MÊS MUNDIAL DA FIBROMIALGIA


🄵🄸🄱🅁🄾🄼🄸🄰🄻🄶🄸🄰 🄴🄼 🄼🄰🄸🄾 🅃🄴🄼 🄷🄸🅂🅃ó🅁🄸🄰


Tom Hennessy, o fundador da RESCIND, INC. (Repeal Existing Stereotypes about Chronic Immunological and Neurological Diseases), foi o primeiro a organizar tudo. 
Em 1993, ele designou o dia 12 de Maio como o Dia Internacional da Sensibilização para as Doenças Crônicas Imunológicas e Neurológicas. As doenças que caíram nesse conjunto foram a Fibromialgia, Síndrome de Fadiga Crónica / Encefalomielite Miálgica, a Síndrome da Guerra do Golfo e Síndrome de Sensibilidade Química Múltipla. Muitos de vocês sabem que o dia 12 de Maio é ainda o Dia Mundial da Sensibilização para a Fibromialgia e SFC/EM.

Por que o dia 12 de Maio? 

​Hennessy escolheu a data para lembrar o aniversário de Florence Nightingale. Nightingale foi uma enfermeira inglesa do exército que se tornou doente crônica, enquanto estava na linha da frente. Muitos dos seus sintomas eram semelhantes aos da Fibromialgia e SFC/EM. Ela melhorou a assistência médica militar e fundou a primeira Escola de Enfermagem, mas estava de cama nos últimos 50 anos da sua vida. Nightingale foi uma inspiração (uma pioneira do movimento da Cruz Vermelha) e ainda é hoje.
Também é conhecido como o "Dia da Enfermagem"

E no Brasil tramita o PL 8808/2017 na Câmara dos Deputados para Aprovação da instituição no Dia 12 de maio como Dia da Conscientização e Enfrentamento à Fibromialgia.
O Projeto é de autoria da Ex-Senadora Ana Amélia. Já tramitou no Senado e já foi aprovado.

Desde 2017 aguardamos a Aprovação deste Projeto de Lei, apesar de nossas reiteradas solicitações.

Após a Aprovação na Câmara dos Deputados, deverá seguir para a Presidência da República Aprovar, Sancionar e Publicar no Diário Oficial da União.

Maio tem história!

Falamos sobre a Fibromialgia e a vida dos Fibromiálgicos o ano inteiro. Mas é em Maio, principalmente, dia 12 que o mundo se une por essa causa.
Conscientizar e Enfrentar a Fibtomialgia 

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Live na próxima sexta!!! A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE HÁBITOS

Assista nossa apresentação!

https://youtu.be/ARljJuWgIpI

Temos um encontro marcado  na Próxima Sexta, às 19hs.

Um super time de Profissionais vai falar com você, paciente Fibromiálgica e Fibromiálgico, sobre a importância do nosso comportamento, frente a vida, aos hábitos prejudiciais, ao tratamento contra a Fibromialgia.
Você vai gostar...
E na hora da Live vai poder fazer suas perguntas...
Estarão aqui:
• Dra. Maria Beatriz de Campos - médica especialista em ginecologista e colposcopia, acupunturista,  especialista em dor crônica com ênfase em dor pélvica pela SBED.
Diretora Científica da ABRAFIBRO

• Dra Daniela Queiros - Psicóloga com Mestrado em Psicologa Clínica. Portugal🇵🇹🇧🇷
Membro Benemérito da ABRAFIBRO

• Dra Ana Carolina Ballonas -
Nutricionista, com Pós graduação em nutricao clínica/ pós graduação em fitoterapia aplicada a nutricao/Mestrado em bioquímica e imunologia.

Tá bom ou quer mais?🤷🏼‍♀️

Gente muita Fera, para nos ajudar GRATUITAMENTE, a viver um dia de cada vez, melhor que o outro.

Ah!
Você já participa de nossos canais de Notícias sobre Fibromialgia e Saúde?

Então atenção! Você escolhe:

WhatsApp:
https://chat.whatsapp.com/IAh9lNNWEb82DLJwTWqwyu

Telegram:
https://t.me/abrafibronoticias

Estamos também:
Instagram: @abrafibro
Facebook: https://www.facebook.com/abrafibro.3perfil
No Facebook você poderá participar de nosso grupo exclusivo para pacientes.
Nosso site:
https://www.abrafibro.com
Na versão para seu navegador na internet, você encontrará a coluna à sua esquerda, para cadastrar seu e-mail, e receber nossas novas notificações.

Tudo o que fazemos é através de trabalho voluntário, de pacientes e profissionais. Gratuitamente!
Prestigie! Respeite!

Vamos viver com #MaisAmorPorFavor 🌷


SOC. BRAS. PARA O ESTUDO DA DOR - SBED - ALERTA!


Quando perceber algum destes sintomas, é importante procurar o cirurgião dentista especialista em disfunção temporomandibular e dor orofacial para uma avaliação, pois, quanto antes o diagnóstico for estabelecido, mais fácil o controle desta disfunção.

**A Profissional Voluntária especialista em ATM/DTM, membro da SBED - a dentista Dra. Luci França, já fez Live para falar sobre este assunto que, pode ser um dos sintomas da fibromialgia.
Você assistiu?
Não?!😳
Corre no canal da @abrafibro no YouTube,.. é o vídeo do dia 18.07.2020 - DTM E FIBROMIALGIA
Abaixo o link para acessar direto.

Ah!
Você já participa de nossos canais de Notícias sobre Fibromialgia e Saúde?

Então atenção! Você escolhe:

WhatsApp:
https://chat.whatsapp.com/IAh9lNNWEb82DLJwTWqwyu

Telegram:
https://t.me/abrafibronoticias
OS canais acima não há integração.

Estamos também:
Instagram: @abrafibro
Facebook: https://www.facebook.com/abrafibro.3perfil
No Facebook você poderá participar de nosso grupo exclusivo para pacientes.



sábado, 21 de novembro de 2020

SBR LANÇA RESULTADOS DE PESQUISA

 Sociedade Brasileira de Reumatologia - SBR

• • • • • •

No Congresso SBR2020 será apresentado o resultado do estudo COnVIDa, que a ABRAFIBRO fez questão de divulgar, que avaliou o impacto da pandemia na saúde e adesão ao tratamento de pacientes reumáticos. 

Veja a entrevista de Dr Marcelo Pinheiro, um dos investigadores do estudo, para o Bom Dia SP, da TV Globo.




"SBED RESPONDE" responde!

SBED - SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O ESTUDO DA DOR



O próximo "SBED Responde" está chegando!
Convidamos a todos para o "SBED Responde" na próxima quinta feira. 
Este evento é realizado pela Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor - SBED, com foco em trazer informações relevantes, tanto para profissionais da saúde que, se interessam pelo mundo da Dor, mas também, tem o objetivo de trazer aos leigos informações  para gerar conhecimento e prevenção; bem como, para encurtar o caminho entre quem sofre com a dor e quem a trata. 
Participe! 
A SBED se preocupa com a sua DOR.
Envie sua pergunta para 





quinta-feira, 19 de novembro de 2020

ENCONTRO DE PACIENTES NO CONGRESSO DA SBR2020

 Como informamos anteriormente,  hoje será o


"ENCONTRO COM PACIENTES"

dentro do Congresso 2020 da Sociedade Brasileira de Reumatologia - SBR


Se ainda não se inscreveu, corre que ainda dá tempo...

Acesse:

https://enp2020.com.br/

Preencha!



Para ter acesso ao canal do Evento siga as instruções abaixo

Acesse o site:

http://sbr2020.com.br/encontro.html


Vai aparecer a seguinte página:


Às 15hs, você já pode clicar em
Clique aqui para assistir o Evento
Pronto!
 Até lá!👋👋👋