Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador Isolamento e Ansiedade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Isolamento e Ansiedade. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 15 de abril de 2020

O que assisto pode me afetar?

Qual filme devo assistir? Veja o impacto de cada gênero no cérebro

 imagem do Google Imagens

Uma semana estressante e cansativa pode ser facilmente compensada com um cineminha ou simplesmente uma sessão de filmes para abrir a mente e relaxar em casa, no conforto do sofá. Mas, afinal, por que será que os filmes têm esse poder de entreter o cérebro humano?
Romance, ação, comédia ou terror. Cada tipo de trama gera uma reação diferente e foi de olho nisso que professor de psicologia e neurociência da Universidade de Princeton Uri Hasson, criou uma técnica chamada Neurocinematics, que escaneia o cérebro de duas pessoas em tempo real durante a exibição de filmes¹.
Com os dados em mãos, o cientista verifica quais cenas provocaram reações idênticas nos cérebros dos participantes, gerando uma reação padrão para cada filme¹.
Já a psicóloga especialista em filmes como terapia, Birgit Wolz, foi mais a fundo e conseguiu catalogar os sentimentos presentes em cada tipo de história. Segundo ela, muitos filmes transmitem ideias através da emoção e podem neutralizar o instinto de reprimir os sentimentos e desencadear uma liberação emocional no corpo do espectador².
Autora do livro 'E-motion Picture Magic', Wolz avalia que "ao provocar emoções, assistir filmes pode abrir portas que, de outra forma, poderiam permanecer fechadas'².

Confira, abaixo, quais os sentimentos cada tipo de filme pode provocar:

Comédia

Os estudos de Wolz mostram que o riso melhora a sensação de bem-estar. A comédia é uma temática ideal para quem está preocupado e com um certo nível de ansiedade, pois ao rir com algo engraçado, esse sentimento é diluído².
Clinicamente, um estudo da Universidade de Maryland, aponta que "o riso, junto com um senso de humor ativo, poder proteger contra um ataque cardíaco"³.
Claro que um único filme de comédia ou comédia romântica não vai mudar a vida de ninguém. No entanto, para manter a vida mais leve justamente nos momentos mais tensos, nada como uma trama bem engraçada para equilibrar essa balança.

Filmes românticos

Assim como a comédia, os filmes românticos provocam uma sensação de bem-estar. Ao assistir aquele filme com temática amorosa, o telespectador pode garantir algumas horas de alívio, o que ajuda a lidar com problemas externos².
Com uma rotina tão exigente, uma pausa para uma história romântica pode causar reflexões, já que os erros cometidos pelos personagens podem ser um exemplo de que os erros cometidos na vida real não são tão devastadores assim². Afinal, quem nunca se identificou com um personagem loucamente apaixonado e que fez muitas besteiras para chegar à sua alma gêmea?
Diretora do Laboratório de Neuroimagem do Departamento de Psicologia da Universidade de Chicago, Stephanie Cacioppo, acredita que o cérebro humano é programado para amar e, por isso, ao assistir um filme romântico, várias áreas ligadas ao amor são acionadas.<sup>4</sup>
"O amor não ativa todo o cérebro, mas uma rede cerebral muito específica, importante para emoções, motivações, recompensas e funções cognitivas de alta ordem necessárias para a autorrepresentação e a compreensão das intenções dos outros", contou4.
A cientista descobriu que o amor está nas partes mais antigas do cérebro, e que abriga sensações mais primitivas, como fome, sede, dor e desejo sexual4.
 

Filmes de Terror

O bonito da sétima arte é que podemos ter a sensação de fazer parte de realidades que, no cotidiano, seriam muito traumáticas. Afinal, ver a cena de um assassinato na tela, tendo a consciência de que aquilo é ficção, é completamente diferente de presenciar tal violência na vida real.
Para a psicóloga Birgit Wolz, ter a sensação de estar 'à beira da morte' acaba fazendo com que o espectador se sinta mais vivo após o filme²
Por outro lado, de terror podem ainda aumentar os níveis de adrenalina e cortisol e gerar um impacto diferente em pessoas que realmente passaram por momentos traumáticos2. Por exemplo: uma cena que a personagem está sendo afogada pode gerar um desconforto leve para quem nunca teve experiência de se afogar, mas pode reativar memórias ruins e recuperar traumas para quem já passou por isso.
Atenção: Filmes de terror aumentam a frequência cardíaca e caso o espectador tenha alguma doença cardíaca coronária, afirma o médico George Bakris, especialista em doenças hipertensivas. Segundo ele, algumas cenas podem aumentar a dor no peito e a pressão sanguínea²
 

Filmes 3D

Uma nova era dos películas 3D surgiu nos últimos anos, provocando uma verdadeira revolução no cinema. A sensação de ter mais uma dimensão em jogo em filmes convencionais e não apenas nas animações trouxe uma série de novas sensações para quem assiste os melhores filmes da telona.
Em pessoas com problemas de visão, no entanto, esses filmes podem causar tonturas, dor de cabeça e até náuseas. É o seu cérebro reagindo aos estímulos criados pela tecnologia.²
Por outro lado, um estudo britânico aponta que o cérebro humano se desenvolve quando assistimos mais filmes em 3-D. Os resultados mostram um aumento de 23% na capacidade de processamento cognitivo depois de assistir a um filme em 3 dimensões, ao passo que o tempo de reação melhorou 11% em um período até 20 minutos após o término do filme5
Segundo os cientistas, os filmes em 3-D podem ajudar a retardar o declínio nas atividades cerebrais comuns na velhice5

Classificação Indicativa

É por causa dessas reações que a arte provoca no cérebro humano que existem classificações indicativas tanto para filmes como qualquer outro tipo de exibição. Não é recomendável, por exemplo, obras com teor sexual ou violentas para menores de 10 anos6
No Brasil, ela é definida pelo Ministério da Justiça e está dividida entre Livre, 10, 12, 14, 16 e 18 anos. A classificação não é censura e sim uma sugestão. Por isso, cabe a cada família definir o que as crianças e adolescentes podem ou não assistir6.

Tags: Filmes, Filme de Terror, Filme de Comedia, Filme Romântico, Assistir Filme
Referências bibliográficas:

1. New Scientist. Brain imaging monitors effect of movie magic.
Disponível em: https://www.newscientist.com/article/mg20727774-000-brain-imaging-monitors-effect-of-movie-magic - Acesso em 21 de outubro de 2019.
2. Chicago Tribune. Movies may cause special effects on the body
Disponível em: https://www.chicagotribune.com/lifestyles/ct-xpm-2011-06-22-sc-health-0622-movies-impact-on-body-20110622-story.html - Acesso em 21 de outubro de 2019
3. University Of Maryland Medical Center. Laughter Is Good For Your Heart, According To A New University Of Maryland Medical Center Study.
Disponível em: https://www.sciencedaily.com/releases/2000/11/001116080726.htm - Acesso em 21 de outubro de 2019
4. The University of Chicago - Psychology's John and Stephanie Cacioppo: Love on the Brain.
Disponível em: https://socialsciences.uchicago.edu/story/psychologys-john-and-stephanie-cacioppo-love-brain - Acesso em 21 de outubro de 2019
5. The Guardian. This article is more than 4 years old Watching 3D movies 'helps improve brain power'
Disponível em: https://www.theguardian.com/film/2015/may/21/watching-3d-movies-helps-improve-brain-power - Acesso em 21 de outubro de 2019
6. Ministério da Justiça do Brasil. Classificação Indicativa - Informação e Liberdade de Escolha.
Disponível em: https://www.justica.gov.br/seus-direitos/classificacao/cartilh_informacaoliberdadeescolha.pdf - Acesso em 21 de outubro de 2019

texto original: https://www.medley.com.br/blog/saude-mental/qual-filme-devo-assistir?idcmp=a776c874a8ab45b4bc3f201f6aeae698&utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=medley_q1_na_awareness_43922_43951_brazil_brazil_rmkt&utm_content=ppl_1200x1200_as-35_na_cpc&dclid=CNr1n8uL2-gCFTwFuQYd0jkNJg