Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar e interdisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas em diversos aspectos, como:
tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.
Você pode seguir nossos outros canais de notícias.
Escolha:
Aqui, você pode cadastrar seu e-mail, logo abaixo, na coluna à sua direita.
Ou escolher entre:
WhatsApp
Telegram

Notícias sobre Fibromialgia e Saúde.
Não são grupos interativos.

Discutimos ações em parcerias com pacientes e parlamentares, na busca por políticas públicas que dignifiquem e tragam à tona assuntos e benefícios importantes para nossa qualidade de vida.

TRADUTOR

Siga-nos por e-mail

Mostrando postagens com marcador PROJETO DE LEI GUARARAPI- SE. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador PROJETO DE LEI GUARARAPI- SE. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 22 de junho de 2021

ATENÇÃO PACIENTES DA CIDADE DE GUARARAPI- SE, PROJETO DE LEI!

PESSOAS COM FIBROMIALGIA PODERÃO TER ATENDIMENTO PREFERENCIAL EM ESTABELECIMENTOS PÚBLICOS E PRIVADOS


Na sessão ordinária desta terça-feira (15/06), a Câmara de Guarapari baixou às suas comissões permanentes, para análise e recebimento de pareceres técnicos, o Projeto de Lei nº 086/2021, de autoria do vereador Professor Luciano, que dispõe sobre a obrigatoriedade de atendimento preferencial a portadores de fibromialgia, pelos órgãos e empresas públicas, concessionárias de serviços públicos e também por estabelecimentos privados do município. Com o acolhimento do plenário, esta matéria agora seguirá tramitando regimentalmente no Legislativo, devendo entrar em pauta, em primeira discussão, nas próximas sessões da Casa. Para os fins desta Lei, são considerados estabelecimentos privados: supermercados, bancos, farmácias, bares, restaurantes, lojas, mercearias, padarias, instituições de ensino, clínicas médicas, hospitais e demais estabelecimentos de uso público.

De acordo com a proposta, as vítimas de fibromialgia também devem ter o direito de estacionar seus veículos em vagas especiais, já destinadas a pessoas com deficiência. “A identificação dos pacientes de fibromialgia, beneficiários desta Lei, se dará por meio de cartão ou adesivo expedido gratuitamente pelo Poder Executivo Municipal, mediante comprovação médica”, lembrou o Professor Luciano, autor do projeto. Segundo ele, as empresas comerciais que recebem pagamentos de contas deverão incluir as pessoas com fibromialgia nas filas de atendimentos preferenciais, as mesmas destinadas a idosos, gestantes e pessoas com deficiência.


"A fibromialgia é uma condição dolorosa generalizada e crônica, que engloba uma série de manifestações clínicas como dor, fadiga, indisposição e distúrbios do sono. Apesar de afetar 2,5% da população mundial, principalmente mulheres, esta síndrome é desconhecida para muita gente e ainda não é reconhecida como doença grave pelos ministérios da Previdência Social e da Saúde, o que exclui quem sofre deste quadro, dos direitos resguardados pelo Regime Geral de Previdência Social. Por isso, este projeto é tão importante, pois ele busca justamente assegurar os direitos das pessoas que sofrem desta doença, que é subestimada pela maioria da população”, explicou o Professor Luciano.


E ele acrescentou: “Mas depois de ser estudada mais a fundo, concluiu-se que a fibromialgia é uma forma de reumatismo associada à sensibilidade do indivíduo, frente a um estimulo doloroso e a um conjunto de sintomas como dores crônicas e difusas pelo corpo inteiro, localizadas principalmente no pescoço e nas costas. Pesquisas sobre esta síndrome já derrubaram a hipótese de que as dores seriam apenas uma resposta física de transtornos psíquicos, como depressão, estresse e ansiedade. Mas a questão é mais complexa e merece maior atenção das autoridades públicas”, encerrou.



#fibromialgia #dorcrônica #fibromialgicos #fibromialgico #dor #fibromialgica #projetodelei



A
cesse o link a seguir e conheça esta matéria em detalhes: