Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar e interdisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas em diversos aspectos, como:
tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.
Você pode seguir nossos outros canais de notícias.
Escolha:
Aqui, você pode cadastrar seu e-mail, logo abaixo, na coluna à sua direita.
Ou escolher entre:
WhatsApp
Telegram

Notícias sobre Fibromialgia e Saúde.
Não são grupos interativos.

Discutimos ações em parcerias com pacientes e parlamentares, na busca por políticas públicas que dignifiquem e tragam à tona assuntos e benefícios importantes para nossa qualidade de vida.

TRADUTOR

Siga-nos por e-mail

Mostrando postagens com marcador DIA MUNDIAL DA SAÚDE MENTAL. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador DIA MUNDIAL DA SAÚDE MENTAL. Mostrar todas as postagens

sábado, 10 de outubro de 2020

Controle Mental: veja 5 dicas de como estimular sua saúde mental

 

 

 

 

© Depositphotos.com / SergeyNivens Para manter o controle mental, é muito importante nutri-la com pensamentos saudáveis e sempre exercitá-la.

Para manter um corpo saudável, é preciso manter uma alimentação balanceada e praticar exercícios físicos, certo? A mente funciona da mesma maneira: além de nutri-la com pensamentos saudáveis, é necessário exercitá-la. Dessa forma, é possível estimular o cérebro e manter a saúde mental e o equilíbrio emocional.

Dicas para estimular sua saúde mental

Busque autoconhecimento

A busca por autoconhecimento é fundamental para se tornar mentalmente saudável. Procure conhecer suas crenças fundamentais, desenvolver seus potenciais e ter consciência dos seus anseios, emoções, objetivos e valores.

Conhecer a si mesmo é a primeira prática que precisa ser exercitada. Sem isso, não é possível realizar atividades mentais mais avançadas e o autocontrole fica se torna difícil de alcançar.

Estabeleça objetivos

Estipule metas simples e complexas, e se mantenha sempre motivado a alcança-las. Você pode se propor a adotar uma rotina de exercícios, aprender uma nova língua ou decidir ler um livro por mês. O importante é lembrar que novos desafios trazem confiança e possibilitam o fortalecimento mental.

Persistência

Desistir não deve fazer parte do seu vocabulário! Seja resiliente e supere todos os obstáculos que surgirem.

Canalize sua energia

Pense em quanto tempo você gasta com coisas pouco úteis e superficiais. Não concentre energia em coisas que não levam a nada, enquanto o que realmente merece atenção é deixado em segundo plano. Ter uma mente forte e saudável depende de saber gastar a energia mental de maneira sábia. Dedique-se a tarefas produtivas e otimize seu tempo.

Diga não

Ajudar as pessoas e ser solicito é excelente, desde que não interrompa e comprometa sua rotina e afazeres. Aprender a dizer não é um treino eficiente, que irá ajudá-lo a focar nas prioridades.

Trabalhar as emoções é fundamental para atingir suas metas. Lembre-se: ser mentalmente forte não significa ser apenas racional, mas ter consciência e controle das suas emoções. Se você for uma pessoa ansiosa, faça um esforço consciente para que o medo do futuro não te impeça de aceitar novos desafios, por exemplo. O desconforto pode existir, porém faz parte do fortalecimento mental.

 

Dia Mundial da Saúde Mental: uma oportunidade para dar o pontapé inicial em uma grande escala de investimentos


 agosto de 2020 – A saúde mental é uma das áreas mais negligenciadas da saúde pública. Quase 1 bilhão de pessoas vivem com transtorno mental, 3 milhões de pessoas morrem todos os anos devido ao uso nocivo do álcool e uma pessoa morre a cada 40 segundos por suicídio. E agora, bilhões de pessoas em todo o mundo foram afetadas pela pandemia de COVID-19, que está causando um impacto adicional na saúde mental das pessoas.

No entanto, relativamente poucas pessoas em todo o mundo têm acesso a serviços de saúde mental de qualidade. Em países de baixa e média renda, mais de 75% das pessoas com transtornos mentais, neurológicos e por uso de substâncias não recebem nenhum tratamento para sua condição. Além disso, o estigma, a discriminação, a legislação punitiva e as violações dos direitos humanos ainda são comuns.

O acesso já limitado a cuidados de saúde mental de qualidade e acessíveis no mundo antes da pandemia, e particularmente em emergências humanitárias e cenários de conflito, foi ainda mais reduzido em razão da COVID-19, visto que a pandemia interrompeu serviços de saúde em todo o mundo. As causas primárias foram infecção e o risco de infecção em instituições de longa permanência, como lares de idosos e instituições psiquiátricas; barreiras para encontrar pessoas cara a cara; equipe de saúde mental infectada com o vírus; e o fechamento de estabelecimentos de saúde mental para convertê-los em estabelecimentos de cuidados para pessoas com COVID-19.

Realocar para a saúde mental: vamos investir

É por isso que, para o Dia Mundial da Saúde Mental deste ano, a OMS, juntamente com organizações parceiras, United for Global Mental Health e a Federação Mundial para a Saúde Mental, está pedindo um aumento maciço nos investimentos em saúde mental. Para incentivar a ação pública em todo o mundo, a campanha do Dia Mundial da Saúde Mental de 2020, Move for mental health: let’s invest, será lançada em setembro.

“O Dia Mundial da Saúde Mental é uma oportunidade para o mundo se unir e começar a reparar a negligência histórica em relação à saúde mental”, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS. “Já estamos vendo as consequências da pandemia de COVID-19 no bem-estar mental das pessoas e isso é apenas o começo. A menos que assumamos compromissos sérios para aumentar o investimento em saúde mental agora, as consequências para a saúde, sociais e econômicas serão de longo alcance.”

Durante os últimos meses, a OMS emitiu, em colaboração com parceiros, orientação e aconselhamento sobre saúde mental para profissionais de saúde e outros trabalhadores da linha de frente, gestores de estabelecimentos de saúde e pessoas de todas as idades cujas vidas mudaram consideravelmente como resultado da pandemia. Com a interrupção dos serviços de saúde, os países estão encontrando maneiras inovadoras de fornecer cuidados de saúde mental e surgiram iniciativas para fortalecer o apoio psicossocial. No entanto, devido à escala do problema, a maioria das necessidades de saúde mental permanece sem solução. A resposta é dificultada pelo subfinanciamento crônico em promoção, prevenção e atenção à saúde mental por muitos anos antes da COVID-19.

Países gastam apenas 2% de seus orçamentos de saúde em saúde mental

Os países gastam em média apenas 2% de seus orçamentos de saúde em saúde mental. Apesar de alguns aumentos nos últimos anos, a assistência internacional ao desenvolvimento para a saúde mental nunca excedeu 1% de toda a assistência ao desenvolvimento para a saúde. Isso apesar do fato de que para cada US$ 1 investido em tratamento intensivo para transtornos mentais comuns, como depressão e ansiedade, há um retorno de US$ 5 em melhoria da saúde e produtividade.

Dia Mundial da Saúde Mental: uma oportunidade de compromisso

A campanha do Dia Mundial da Saúde Mental oferecerá oportunidades, principalmente virtuais devido à contínua pandemia, para todos nós fazermos algo que afirme a vida: como indivíduos, tomar ações concretas em apoio à nossa própria saúde mental e apoiar amigos e familiares que estão lutando; como empregadores, tomar medidas para implementar programas de bem-estar dos funcionários; como governos, comprometer-se a estabelecer ou ampliar os serviços de saúde mental; e como jornalistas, para explicar o que mais pode e deve ser feito para tornar a assistência à saúde mental uma realidade para todos.

“Já se passaram quase 30 anos desde que o primeiro Dia Mundial da Saúde Mental foi lançado pela Federação Mundial de Saúde Mental”, afirmou Ingrid Daniels, presidente da Federação Mundial de Saúde Mental. “Durante esse tempo, vimos uma abertura cada vez maior para falar sobre saúde mental em muitos países do mundo. Mas agora devemos transformar palavras em ações. Precisamos ver esforços concertados sendo feitos para construir sistemas de saúde mental que sejam apropriados e relevantes para o mundo de hoje - e de amanhã”.
“Com tantas pessoas sem acesso a serviços de saúde mental adequados e de boa qualidade, o investimento agora é mais necessário do que nunca”, alegou Elisha London, fundadora e CEO da United for Global Mental Health. “Todos, em todos os lugares, podem participar da campanha deste ano. Quer você tenha lutado com sua própria saúde mental, conheça alguém que foi afetado, seja um especialista em saúde mental ou se simplesmente acredita que investir em saúde mental é a coisa certa a fazer, mova-se em prol da saúde mental e ajude a melhorar os cuidados e suporte acessíveis a todos.”

Crédito da foto: Monkey Business Images/Shutterstock.com


https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6263:dia-mundial-da-saude-mental-uma-oportunidade-para-dar-o-pontape-inicial-em-uma-grande-escala-de-investimentos&Itemid=839

quinta-feira, 8 de outubro de 2020

LIVE SAÚDE MENTAL


Um dos temas muito importantes do cotidiano do universo fibromiálgico, assim como um dos mais pedidos!


Quem de nós como pacientes não quer ter a saúde mental? E você, sabe como fazer para manter a sua e viver controlando a sua dor?


Os psicólogos:

•  Amanda Sena -Psicóloga, Pós graduanda em Psicologia Clínica e Terapia Cognitivo Comportamental. Atualmente atuando na Psi Clínica. Atendendo no Espaço Clara Martins.


•  Manuel Gomes -Psicólogo e psicoterapeuta da clínica Estância Bela Vista. Preceptor do curso de Psicologia da Faculdade Pitágoras;


•  Vice Presidente Da Abrafibro  Simone Eli Bombardi  


•  Dra. Sâmia Jamile Damous Duailibe de Aguiar Carneiro Coelho: Médica psiquiatra, Especialista em Dependência Química pela UNIFESP, Mestra em Saúde Coletiva pela UFMA, Professora da Faculdade de Medicina da UFMA, Preceptora da Residência Medica de Psiquiatria do Hospital Nina Rodrigues. 


Falarão deste tema que  influencia tanto no cotidiano dos pacientes...


Que tal assistir e participar deste importante bate papo? É AMANHÃ!!!


👉Deixe sua pergunta nos comentários que no dia da Live serão respondidas.


📌Quando?  09/10/2020 sexta

Às 20 hs


Onde?

http://www.youtube.com/c/AbrafibroAssocBrasdosFibromiálgicos 


Aproveite e se inscreva em nosso canal, ative o 🔔, de um 👍e aproveite todo nosso conteúdo!  


Todos os nossos vídeos foram desenvolvidos especialmente para você!


Compartilhe com sua família e amigos. Todo conhecimento gera reconhecimento!



#abrafibro #live #saudemental #amadasena #manuelgomes #drasamiajamile #psicologia #psiquiatria #fibromialgia #fibromyalgia #dorcronica #bemestar #cuidardesi #dorcronica #live #diamundialdasaudemental #autocuidado #menosestresse #depressao #viverbem #amaravida #agentestransformadores #ansiedade #disturbiosmentais #slz #Maranhão  #saoluis