Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar e interdisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas em diversos aspectos, como:
tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

TRADUTOR

sexta-feira, 5 de agosto de 2022

INFOABRAFIBRO - SEMANA 29.07 a 04.08.22

 Está prontinho para sua leitura.

As principais novidades do mundo da fibromialgia.

Para ler a matéria na íntegra, click no título que deseja saber mais.

Pronto! Será direcionado à página que é a fonte do artigo.

Vale lembrar que, todo trabalho realizado na ABRAFIBRO é 100% voluntário, entre pacientes e profissionais da saúde e do direito.

Respeite e prestigie este e todo material que é dispoibilizado aos nossos leitores.

A ABRAFIBRO acredita que e conhecimento empodera a todos.

E sobre seu APOIO e de seus contatos a nossa Ideia Legislativa, apresentada ao Senado

https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=162957

Fizemos um vídeo para melhor explicar como fazer para que, seu APOIO seja devidamente computado.

Veja lá no YouTube

https://youtu.be/yF31domJSR8

Está bem explicadinho!

Contamos com seu Apoio e de todos os seus contatos. Divulguem nos grupos que participam, entre seus familiares,...

O sucesso desta Ideia Legislativa não depende apenas do esforço da ABRAFIBRO, mas de todos os pacientes Reumáticos e sua rede de amigos e familiares.

^°     

Fibromialgia, uma doença em ascensão¹


Nas últimas décadas o número de casos de fibromialgia vem/ aumentando na população. Com o advento da pandemia de Covid-19 não há dúvidas que há uma eclosão de novos casos. Essa avalanche de novos casos pode ser explicada porque a fibromialgia é comprovadamente uma das manifestações da chamada Covid Persistente (Long Covid)...

^°     

Possíveis causas de dores nas pernas com fibromialgia

Revisado clinicamente por Riteesha G. Reddy, MD

Riteesha G. Reddy, MD, é reumatologista e internista certificada pelo conselho em um consultório particular em Dallas, Texas.

¹

Tiro, pontada, dor em queimação ou "zaps" elétricos que podem ser leves ou graves

Fraqueza muscular, espasmos e cãibras

Perda de músculo e osso

Dormência em algumas áreas

Perda de equilíbrio (como efeito colateral de dormência nas pernas)

Para diagnosticar neuropatia em suas pernas, seu médico pode usar: 

Um exame neurológico

Testes de força muscular

Exames de sangue e líquido espinhal

Tomografias computadorizadas (TC)

Ressonância Magnética (RM)

Estudos de condução nervosa e eletromiografia (EMG)

Biópsias de nervos e pele

Os tratamentos comuns para neuropatia incluem: 

Medicamentos : Lyrica, Neurontin e outros anticonvulsivantes; antidepressivos tricíclicos, mexiletina

Analgésicos tópicos ou locais : adesivos ou injeções de lidocaína

Cirurgia : Em casos graves, um cirurgião pode destruir nervos ou reparar lesões que causam neuropatia

A neuropatia não pode ser curada, mas muitas vezes pode ser bem gerenciada.

Sindrome das pernas inquietas

A síndrome das pernas inquietas (SPI) é um distúrbio do sono que causa sensações desagradáveis ​​nas pernas e um desejo de movê-las. O movimento geralmente faz com que as sensações parem temporariamente. 

As sensações são frequentemente descritas como latejando, rastejando ou puxando. Em muitas pessoas, essas sensações não são dolorosas. No entanto, na fibromialgia, o cérebro interpreta todas as sensações desagradáveis ​​como dolorosas. 

Algumas pessoas com SPI também têm movimentos incontroláveis ​​das pernas, como espasmos, enquanto dormem ou acordam e relaxam. 

Acredita-se que a SPI seja causada por uma combinação de fatores genéticos e ambientais, mas exatamente o que muitos desses fatores são permanece desconhecido.

Nenhum teste de diagnóstico pode identificar RLS, portanto, normalmente é diagnosticado com base em seus sintomas e testes para descartar outras causas possíveis.

Tratamento da Síndrome das Pernas Inquietas

Alguns casos de RLS são causados ​​por outra condição médica. Estes incluem:

Neuropatia

Diabetes

Anemia por deficiência de ferro

Nesses casos, o tratamento da condição subjacente pode aliviar a SPI.

Outras opções de tratamento incluem: 

Mudanças no estilo de vida : menos uso de álcool ou tabaco, padrão de sono regular, exercícios moderados, massagem nas pernas, terapia com gelo ou calor

Dispositivos: Dispositivos especiais que emitem vibrações nas pernas podem aliviar as sensações

Medicamentos anticonvulsivantes : Gabapentina enacarbil, Lyrica, Neurontin

Medicamentos para a doença de Parkinson : Requip (ropinirol) , Mirapex (pramipexol) , Neupro (rotigotina) adesivos

Analgésicos opióides : Vicodin, OxyContin

Benzodiazepínicos¹%%%: Klonopin (clonazepam), Ativan (lorazepam)

Síndrome ITB

A banda iliotibial (ITB) é uma forte banda de tecido que vai do quadril ao joelho. Quando é agravado, você pode desenvolver a síndrome ITB (ou "joelho do corredor"). 

A dor da síndrome ITB geralmente começa na parte externa do joelho. Também pode se espalhar pela coxa até o quadril. Pode ser especialmente perceptível quando você sobe ou desce escadas. 

Não se sabe se a síndrome ITB é mais comum em pessoas com fibromialgia. No entanto, estudos mostram que a fibromialgia envolve tecidos conjuntivos frouxos e articulações hipermóveis, o que pode tornar mais prováveis ​​condições como a síndrome de ITB.

Os profissionais de saúde geralmente diagnosticam a síndrome ITB com base nos sintomas e em um exame físico. Se eles não tiverem certeza do que está causando a dor, eles também podem solicitar exames de imagem. 

Tratando a Síndrome ITB

As estratégias de tratamento para a síndrome ITB incluem: 

Gelo

Limitar as atividades que causam dor e reintroduzi-las gradualmente

Medicamentos para dor de venda livre (OTC) como Advil (ibuprofeno) ou Tylenol (acetaminofeno)

Injeções de esteróides

Fisioterapia com exercícios de alongamento e fortalecimento

Se essas medidas não aliviarem a dor no joelho, seu médico pode recomendar uma das cirurgias que podem ajudar.

Síndrome da dor miofascial

A síndrome da dor miofascial (MPS) envolve pontos-gatilho – áreas tensas nos tecidos conjuntivos que irradiam dor para outras áreas. Pontos-gatilho nas pernas são comuns. Muitas pessoas com fibromialgia também têm MPS. 

Os sintomas da MPS incluem: 

Dor muscular localizada que é ativada por pontos-gatilho

Dor que pode estar distante do ponto de gatilho

Rigidez muscular

Fadiga e sono ruim devido à dor

MPS não tem um teste de diagnóstico. É diagnosticado com base em: 

Sintomas, especialmente dor reproduzível ou espasmos ao empurrar um ponto-gatilho

Exames de imagem e sangue para descartar outras causas potenciais

Um exame físico

 Comparando fibromialgia e MPS

Tratamento da síndrome da dor miofascial

A MPS é geralmente tratada com foco nos pontos-gatilho. Os tratamentos possíveis são:

Acupuntura ou uma terapia semelhante chamada agulhamento seco

Injeções de ponto-gatilho usando um medicamento entorpecente

Terapia a laser frio (também chamada de terapia de luz de baixo nível) usando luz infravermelha próxima

Estimulação elétrica

Massagem, incluindo liberação miofascial e liberação de pressão do ponto de gatilho

Alongamento, às vezes por meio de fisioterapia

Ultrassom terapêutico

Aquecer

Medicamentos para dor OTC

Relaxantes musculares

Analgésicos tópicos

Cymbalta e outros antidepressivos

Medicamentos anticonvulsivantes

Botox

Doenças autoimunes

Nas doenças autoimunes , o sistema imunológico identifica erroneamente uma parte saudável do corpo como uma ameaça, como um vírus ou bactéria. Em seguida, cria células especializadas chamadas anticorpos que atacam e tentam destruir essa parte específica.

Pesquisas contemporâneas sugerem que a fibromialgia pode ser uma doença autoimune Seja ou não, está estabelecido que algumas doenças autoimunes, como a artrite reumatóide, aumentam a probabilidade de você desenvolver fibromialgia.

Isso já foi pensado para ser um relacionamento de mão única. Agora, porém, pesquisas mais recentes sugerem que a fibromialgia pode predispor você à autoimunidade. 

Existem dezenas de doenças autoimunes diferentes, todas com alvos diferentes. Doenças autoimunes que podem causar dor nas pernas incluem:

Artrite reumatóide : Frequentemente afeta joelhos ou tornozelos, também pode afetar quadris e região lombar, causando a irradiação da dor para as pernas. Geralmente simétrico (afetando as articulações de ambos os lados).

Lúpus : pode causar dor muscular, rigidez e, às vezes, inflamação em muitos lugares, incluindo as coxas. 

Esclerose múltipla : Danos nos nervos que afetam os músculos das pernas podem causar cãibras, puxões ou outras sensações dolorosas. 

Espondilite anquilosante : Danos na região lombar podem irradiar para as nádegas e, às vezes, para a parte de trás das coxas.

Miosite : faz com que os músculos fiquem fracos, cansados ​​e doloridos, especialmente nas coxas, quadris e ombros.

Síndrome de Sjögren : pode causar inchaço e dores nas articulações e músculos nas pernas e em outros lugares, além de sensações nervosas nos membros.

Os exames de sangue para anticorpos são frequentemente usados ​​para diagnosticar doenças autoimunes. Outros testes variam dependendo do que seu médico suspeita.

 Síndrome de Sjögren na fibromialgia

Tratamento de Doenças Autoimunes

O tratamento depende de qual doença autoimune você tem.

No entanto, o tratamento mais comum são os imunossupressores ou imunomoduladores (medicamentos que suprimem ou alteram a atividade do sistema imunológico). Ao acalmar o sistema imunológico, essas drogas reduzem o ataque ao seu corpo. 

Os imunossupressores/imunomoduladores comuns incluem:

Plaquenil (hidroxicloroquina)

Sulfassalazina

Dapsona

Metotrexato

Cellcept/Myfortic (micofenolato mofetil)

Imuran (azatioprina)

Humira (adalimumabe)

Enbrel (etanercepte)

Cosentyx (secuquinumabe)

Outros tratamentos podem substituir algo que o corpo não pode mais produzir por conta própria, como hormônios da tireoide ou insulina , ou ajudar a controlar os sintomas.

Resumo

A dor nas pernas é comum na fibromialgia. Pode ser causada pela própria fibromialgia ou por outras condições comuns na fibromialgia. Estes incluem neuropatia, RLS, síndrome ITB, MPS e certas doenças autoimunes, incluindo artrite reumatóide e lúpus.

O tratamento depende do seu diagnóstico. Pode incluir medicamentos, fisioterapia, mudanças no estilo de vida e tratamentos de MCA.

Uma palavra de 'Verywell'

A dor nas pernas pode afetar sua mobilidade e ter um grande impacto na vida diária. Não pense que você só precisa conviver com isso - converse com seu médico sobre o que pode estar causando isso. Se não for "apenas" outro sintoma de fibromialgia, você poderá tratá-lo com sucesso.

Fonte: https://www.verywellhealth.com/leg-pains-with-fibromyalgia-possible-causes-3972958

Traduzido pelo Google

Mais algumas dicas da Profª. Dra. Andreia Salvador, Profissional Voluntária da Abrafibro.


COMPARTILHA ESTE VÍDEO COM SUA AMIGA DE FIBRA 🥰

Na Dança Reabilitação muitos são os acessórios que você pode ter fácil na sua casa para aliviar as suas Dores da Fibromialgia. 

Qual deles você tem aí na sua casa ou já utiliza como recurso terapêutico?

Sinto dor o tempo todo há 17 meses, mas não tenho nenhuma lesão

Comecei a sentir fortes dores na cabeça em janeiro de 2021, quando estávamos prestes a completar um ano de pandemia. Sempre sofri com dores, mas desta vez algo estava diferente —os remédios pararam de fazer efeito e a minha dor simplesmente não passou mais. Desde então, continuo a sentir dor todos os dias, o tempo inteiro.... 

Registro/SP inicia a elaboração da carteirinha para portadores de fibromialgia


O usuário deve apresentar laudo ou atestado que comprove a condição, uma foto 3x4, cartão SUS, RG e CPF...

Sede para quem faz tratamento contra fibromialgia é inaugurada em Penedo/AL


A Fibromialgia é uma síndrome que se manifesta com dor nas articulações, músculos e tendões de diferentes partes do corpo. Em Penedo, várias pessoas lutam contra a doença e superam obstáculos todos os dias....


Mutirão da Saúde de Macaé terá novas ações neste mês de agosto com exames e tratamentos até o dia 19/08

Começou nesta segunda-feira, 1 e agosto, em Macaé, mais uma ação do Mutirão de Saúde, no Centro de Reabilitação Dona Sid, que oferece exames de audiometria e tratamento de acupuntura, auriculoterapia e fisioterapia até o próximo dia 19 desse mês...

Grupo de pacientes com fibromialgia, em Camboriú/SC, participam de mais uma terça-feira(02/08) de atividades


Reunidos em mais uma semana, nesta terça-feira, dia 2, o grupo de fibromialgia realizou atividades físicas no auditório da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Camboriú. A dinâmica teve como responsável o educador físico Alexandre de Souza, onde instruiu os participantes na prática de exercícios de respiração e alongamento do corpo. Coordenado pelo Centro de Reabilitação e Fisioterapia (CERFIS), os encontros acontecem...

Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão

Mais um capítulo na História dos Fibromiálgicos Maranhenses e dos Ludocicenses 04.08.2022 às 9hs

A audiência contou com a presença de vários representantes do Estado e Município de São Luís, o  Defensor Público do Estado Dr Cosmo Sobral, sob a responsabilidade  Meritíssimo Juiz de Direito Dr. Francisco Reis.

Esteva também presente a Sra. Simone Eli Bombardi, administradora do G. A. FIBROMIALGIA MARANHÃO da ABRAFIBRO.

Segundo determinação em audiência anterior, deveriam ser apresentadas, pelos órgãos determinados, um Plano de Trabalho para ajuste dos atendimentos aos pacientes fibromiálgicos; bem como, a ampliação para as macro regiões de Caxias e Imperatriz.

Informando:

*QUANTO AO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS:

Ficou determinado o prazo de 120 dias corridos, para finalização do Centro específico para tratamento dos FIBROMIÁLGICOS, na Unidade ITAQUI BACANGA;

*A criação do *SAÚDE JÁ" para facilitar o ingresso dos pacientes;

*30 dias para apresentar a lista de pacientes que utilizam as medicações. A desobediência resultará em multa de R$ 10.000,00 por dia. A ordem visa verificar a demanda medicamentosa que está em falta para distribuição, A lista deverá contar com documentos que comprovem a intenção de licitações.

*30 dias para apresentar o cronograma de atendimento, ou seja, o planejamento.

*A Sra. Simone questionou quanto a entrega das carteirinhas de identificação dos pacientes, que atende a legislação já existente. O SEMUS informou que o problema está sendo resolvido e, sua entrega começará na próxima semana

Quanto ao Estado do Maranhão :

*A Policlínica do Coroadinho já está em pleno funcionamento. 

Questionamos o mau funcionamento do DISK SAÚDE.

*MACRO REGIÃO IMPERATRIZ: o SES informa que a Policlínica Macroregional Dra. Ruth Noleto está em funcionamento. Porém, pacientes relatam que não há.

Justificaram que foram realizados 100 atendimentos e , agora aguardam a demanda.

*MACRO REGIÃO CAXIAS: NA REALIDADE SERÁ EM PRESIDENTE DUTRA. O SES informou que o atendimento acontecerá na Policlínica e pediram 60 dias para apresentar relatório.

Informam também que estão em processo de contratação de profissionais e, os atendimentos deverão se iniciar em setembro/2022.

O Meritíssimo Juiz concedeu prazo de 30 dias úteis, sob a pena de multa de R$10.000,00 por dia de atraso.

*Quanto as medicações fornecidas pelo Estado: nenhuma justificativa foi dada.

Quaisquer outras informações adicionais publicaremos. Fiquem de olho!

Nós da ABRAFIBRO e o Grupo de Apoio dos Fibromiálgicos do Maranhão agradecemos pelo empenho de todos os envolvidos, na missão de resguardar os direitos adquiridos de forma legítima; bem como, estabelecer atendimento médico multidisciplinar digno e com qualidade.






segunda-feira, 1 de agosto de 2022

Nosso Apoio as Pesquisas!

 Vamos apoiar as pesquisas que abordem o tema Fibromialgia.

Os alunos do curso de Nutrição, da Universidade Federal do Piauí lançam esta pesquisa.

Todo nosso apoio depende da adesão dos pacientes, respondendo o questionário.

Leia o QR CODE ou acesse o link a seguir:


https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdloK4CRCJWGByJwUqDT1SVSJ9KkTHubQxVhfgUxOB5nmqlmw/viewform