Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador DPU. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador DPU. Mostrar todas as postagens

domingo, 15 de outubro de 2017

Preciso de um remédio de alto custo. Como conseguir de forma gratuita?

Publicado por Jusbrasil Perguntas e Respostas - 12/10/2017

É possível entrar na justiça para conseguir o remédio de forma gratuita? Qual o procedimento? Precisarei de um advogado?"
Resultado de imagem para entrei na justia para conseguir remedio
Alguns respostas dadas por profissionais:
Há todo um processo burocrático para a obtenção da medicação.

O procedimento é , em tese, o seguinte:

1 - obter o laudo medico preenchido com clareza, sem rasuras em todos
os seus campos

IMPORTANTE: o médico que assina o laudo deverá ser da rede pública.
Não estão sendo aceito laudo preenchido por médicos particulares.

2- receita em duas vias do medicamento receitado. No caso do receituário de antibióticos é um pouco mais complicado, pois a dispensação do medicamento
é feita por três meses consecutivos, e a receita terá uma validade de apenas sete dias em relação à data da dispensação e da emissão. (ou sem data)

3- comprovação por meio de exames próprios (colonoscopia, endoscopia, ressonância magnética entre outros)

4- exames de sangue e de urina que estabeleça a condição do medicamento
ser administrado.

Na verdade existe o cadastramento inicial e o cadastramento de manutenção, efetuados a cada três meses. No primeiro é necessário todos os exames comprovatórios, nos demais o laudo, receita (s), exames de sangue e de urina.

Consultar locais, medicamentos dispensados nos Links abaixo (informações
mais detalhadas pelo telefone dos postos de dispensação):

http://www.cidadao.sp.gov.br/servico.php?serv=2924

http://www.ineuro.com.br/para-os-pacientes/dispensacao-medicamentos-de-alto-custo/
Bom dia, em cada Estado/Município funciona de uma forma.
Mas o principal é uma declaração médica da doença que possui e a receita
média em 2 vias (preferencialmente da rede pública) - devem estar legíveis.
Basicamente existem 2 farmácias públicas, a Municipal responsável por medicamentos comuns e de baixo custo, e a Estadual responsável pelos
demais medicamentos, basta ir na Farmácia Pública (Secretaria da Saúde -
Estadual ou Municipal)
Se negarem, peça declaração por escrito.
Se tiver condição financeira é recomendado contratar advogado para
ingressar com processo.
Senão tiver condição financeira, vá primeiro ao Ministério Público (Estadual
ou Federal se de altíssimo valor), ou segundo Defensoria Pública (Municipal,
Estadual, Federal), ou em último caso, núcleo de prática jurídica de
faculdades de direito; que iniciarão um processo solicitando o medicamento.
Att. Dr. João Pedro Américo - OAB/PR 85.323
Opa, faltou dizer que você não tem de comprovar estar desempregada e nem
que é economicamente insuficiente. Mas creio que tem de demonstrar
residência na cidade. O procedimento deve ser o mesmo para todo o estado
de São Paulo.
Converse com seu médico se o medicamento é disponibilizado de forma
gratuita pela rede pública. Caso seja, precisa de um relatório do médico,
da receita e então você vai na Farmácia do Estado, em BH, Farmácia de 
Minas, na Av. do Contorno e abre o processo para obter a medicação.
Primeiramente você precisa saber que nossa constituição garante a você,
e a qualquer um, independente da condição econômica, esse direito.
Sabendo disso você precisa procurar o serviço público de saúde da sua 
cidade em busca do fornecimento com a receita médica, assim você 
saberá como isto está organizado no seu Estado/Município. 
A busca trará as respostas de que precisa.
Caso seja negado, aí sim você solicite um documento desta negativa,
só assim o judiciário saberá que lhe foi negado; procure a Defensoria
Pública ou um Advogado, dependendo das suas condições. 
O resto é tramitação jurídica.
****Para quem precisar da Defensoria Pública da União: http://www.dpu.def.br/