Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador Possíveis Causas das Funções Cognitivas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Possíveis Causas das Funções Cognitivas. Mostrar todas as postagens

sábado, 4 de junho de 2016

Nevoeiro no Cérebro, Fibro Fog na Fibromialgia

Qual a causa?

Não esquecer!

VICTOR DE SCHWANBERG/SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images

 

Por Adrienne Dellwo - Avaliado por um médico credenciado. Atualizado em 15 de janeiro de 2016

 

A névoa no cérebro (também chamado de disfunção cognitiva) é uma das queixas mais comuns das pessoas com fibromialgia (SFM) e síndrome da fadiga crônica (SFC). Para muitos, pode ser grave e pode ter um impacto tão grande sobre suas vidas como dor ou fadiga. Na verdade, algumas pessoas dizem que a névoa do cérebro é mais uma deficiência do que um dos sintomas físicos.

O que provoca a Disfunção Cognitiva?

Ainda não se sabe exatamente o que causa esta disfunção nessas condições, mas temos um monte de teorias sobre possíveis fatores contribuintes, incluindo:
  • Falta de sono reparador 
  •  Fluxo sanguíneo anormal ou volume craniano;
  • Anormalidades Cerebrais;
  • Envelhecimento Cerebral Prematuro;
  • Distração mental devido à dor.
Na SFM, a disfunção cognitiva geralmente é pior quando a dor é pior. Em ambos os SFM e SFC, pode ser exacerbado quando você está ansioso, apressado, ou lidar com a sobrecarga sensorial.

A depressão, que é comum em SFM e SFC, também está associada à disfunção cognitiva. Alguns estudos, no entanto, mostram que a gravidade da névoa no cérebro não se correlaciona com os sintomas de depressão.

Uma série de medicamentos comuns para SFM e SFC podem contribuir para a disfunção cognitiva também.

Os sintomas

Os sintomas de confusão mental podem variar de leve a grave. Eles frequentemente variam de dia para o outro, e nem todos têm todos eles. Os sintomas incluem:

  • Uso da palavra - Dificuldade em recordar palavras conhecidas, uso de palavras incorretas, recuperação lenta de nomes.
  • Problemas de Memória a Curto Prazo - Esquecimento, incapacidade de lembrar o que leu ou ouviu.
  • Desorientação Direcional - Não reconhece o ambiente familiar, facilmente sente-se perdido, tem dificuldade em lembrar onde as coisas estão.
  • Dificuldades para multitarefas - Incapacidade de prestar atenção a mais de problemas para processamente de informação, facilmente são distraídos.
  • Dificuldades com a matemática ou números - Dificuldade para realizar operações matemáticas simples, lembrando sequências, transpondo números, dificuldade em lembrar números.
Algumas pessoas também podem ter outros tipos de disfunção cognitiva.

A pesquisa

Os pesquisadores estão aprendendo mais sobre os problemas cognitivos o tempo todo.

Um estudo de 2015 (Schmaling) sugeriu que as pessoas com ambos - SFM e SFC tinham comprometimento cognitivo mais do que aqueles com SFC sozinho. A memória verbal apareceu ligado a dor. Problemas com a percepção visual, por sua vez, foi ligada a aqueles com casos graves de SFC e sem SFM.

Outro estudo de 2015 (Ickmans) nessas condições de união (SFM e SFC) encontraram uma ligação entre a capacidade do cérebro para sintonizar a dor (chamada inibição da dor) e sua capacidade de desligar-se dos outros estímulos externos (chamados de inibição cognitiva.) Inibição da dor é uma característica conhecida da SFM. Inibição cognitiva pobre pode significar, por exemplo, que o paciente não pode seguir uma conversa, enquanto a TV está ligada, porque o seu cérebro não consegue filtrar o ruído de fundo.
No mesmo estudo, os pesquisadores observaram também que a dor maior autorelatada apareceu ligada aos tempos de reação mais lentos na SFC somente.

Uma equipe de pesquisa (Coppieters) explorou a ligação entre a capacidade cognitiva e sensibilização central - um sistema nervoso central excessivamente sensível - que se acredita ser uma característica fundamental subjacente da SFM, SFC e outras condições relacionadas. Eles encontraram:

  • comprometimento cognitivo apareceu ligado a sensibilização;
  • desempenho cognitivo apareceu significativamente relacionada ao processamento prejudicado da dor, hiperalgesia, e menor qualidade de saúde da vida.

Muitas pessoas com estas condições se queixam de que têm dificuldades para encontrar palavras. Um estudo de 2014 (Leavitt) mostrou que pessoas com SFM foram mais lentos na lembrança das palavras do que outras pessoas com déficits de memória. Aqueles no grupo com SFM, mostrou problemas de apuramento da palavra também tiveram déficits em 10 das 12 medições cognitivas, enquanto aqueles com problemas de apuramento de palavra no grupo de déficit de memória só mostrou em 8.

Lembrar o que ouvem também é difícil para muitos com essas condições, e pelo menos um estudo (Choi) corrobora esta afirmação. Os pesquisadores descobriram deficiência na forma como a informação auditiva é processada no cérebro de pessoas com SFM.

Esta é apenas uma amostragem da pesquisa sobre a névoa no cérebro,  muito mais é publicado regularmente. À medida que aprendemos mais, podemos ganhar tratamentos destinados especificamente a  disfunção cognitiva.

Transtornos de aprendizagem

Até agora, não existem provas de que o distúrbio cognitivo vem de outros distúrbios de aprendizagem conhecidos. No entanto, na SFM e SFC os problemas são semelhantes aos associados a distúrbios como a dislexia (problemas de leitura), disfasia (é uma perturbação da linguagem, associada a uma lesão cerebral, que consiste na má coordenação das palavras) e discalculia (dificuldade de aprender matemática / tempo / problemas espaciais).

Se você acha que tem um distúrbio de aprendizagem reconhecido, fale com o seu médico. Um diagnóstico pode ajudá-lo a uma adaptação razoável no trabalho ou reforçar reivindicando benefícios para esta disfunção . O tratamento adequado pode ajudar a conviver melhor, também.

Levantando a névoa

Para algumas pessoas, a névoa no cérebro é resolvida com um tratamento eficaz para a dor ou problemas de sono.

No entanto, nem todos podem encontrar tratamentos eficazes, e faz com que tentem gerenciar esta disfunção cognitiva.

Suplementos são uma escolha comum. Enquanto não temos várias provas para apoiar a sua eficácia, alguns médicos, e pessoas com estas condições, dizem ter obtido ajuda através dos suplementos para a função cognitiva. Suplementos comuns para a névoa no cérebro incluem

  • 5-HTP (aminoácido natural*)
  • vitaminas do complexo B
  • carnitina (suplemento alimentar*)
  • colina (Colina é um catião orgânico, um nutriente essencial que faz parte do complexo B de vitaminas*)
  • Omega-3 (Óleo de peixe*)
  • Rhodiola (planta antidepressiva*)
  • Erva de São João
  • SAM-e (atua como uma vitamina especialmente para o humor, articulações e fígado*)
  • teanina (é um aminoácido extraído das folhas do chá verde*)
 *Fitoterápicos - Se é natural, não faz mal à saúde. Será mesmo?
Cáscara sagrada e sene para melhorar o funcionamento do intestino, 30 ervas e Caralluma para emagrecer, fitoterápicos para ansiedade, e mais uma infinidade deles. Com certeza alguém já te "receitou" algum produto natural para esses e outros problemas.
E com o pensamento de que "se é natural pode não fazer bem, mas mal também não faz", muitas pessoas utilizam esses produtos de forma indiscriminada, sem imaginar os possíveis riscos dessa prática.
Ao contrário do que muita gente pensa, os fitoterápicos podem provocar efeitos adversos, toxicidade e até mesmo apresentar contraindicações. Como qualquer medicamento, o mau uso de fitoterápicos pode ocasionar problemas à saúde, como por exemplo: alterações na pressão arterial, problemas no sistema nervoso central, fígado e rins.
Segundo a ANVISA, eles devem oferecer garantia de qualidade, ter efeitos terapêuticos comprovados, composição padronizada e segurança de uso para a população.
Os fitoterápicos industrializados devem ter registro no Ministério da Saúde e ter essa condição presente na embalagem.
Já as farmácias de manipulação, têm permissão para manipular fitoterápicos, mas esses produtos não são registrados na ANVISA. Um fitoterápico pode ser manipulado se for prescrito em uma receita ou se sua fórmula constar na Farmacopeia Brasileira, no Formulário Nacional ou em obras equivalentes.
A maior parte dos fitoterápicos são seguros e eficazes, porém, como todo medicamento, requerem cuidados especiais no uso. Por isso, antes de ir á farmácia e comprar o produto que sua amiga indicou, consulte um médico ou nutricionista de forma presencial.
Somente eles poderão te orientar sobre qual a maneira correta de utilizá-los, assim como a quantidade, o tempo de administração e as contraindicações.
O mesmo vale para os chás, para ter o efeito desejado e não causar problemas à saúde eles devem ser utilizados nas quantidades e frequência corretas, assim como devem ser observadas as contraindicações.
**Não há evidências científicas quanto a "mistura" - interação medicamentosa - entre medicamentos e ervas ou chás, o que podem causar.

MEDICAÇÃO É COISA SÉRIA. A AUTOMEDICAÇÃO PODE MATAR


 Alguns médicos recomendam mudanças na dieta para incluir alimentos "amigos do cérebro", alguns dos quais são fontes naturais dos suplementos listados acima. Alguns desses alimentos são:

  • Peixe (Omega3)
  • Canola ou Óleo de Nozes
  • Ovos (Cholina)
  • Frutas e Vegetais
  • Carboidratos

Treino cognitivo

Os pesquisadores estão aprendendo mais sobre o cérebro e como ele funciona, e novas informações podem ajudar a entender a névoa no cérebro. A pesquisa sobre envelhecimento cerebral e algumas doenças degenerativas dele, mostram que o treinamento cognitivo pode retardar, parar ou, por vezes, reverter a disfunção cognitiva.

Alguns médicos usam programas de treinamento cognitivo, que muitas vezes incluem software que você usa em casa. Empresas de jogos de vídeo e sites oferecem jogos que podem melhorar a função cognitiva, e enquanto jogos específicos não foram avaliados pela capacidade, algumas evidências sugerem que os jogos de realidade virtual melhoram as habilidades de memória e de pensamento crítico.

Porque esta é uma área emergente da ciência, há propensão de saber mais sobre a cognição e formação cognitiva nos próximos anos. 

Fonte: 

Attree EA, Dancey CP, Pope AL. Cyberpsychology and Behavior. 2009 Aug;12(4):379-85. An assessment of prospective memory retrieval in woman with chronic fatigue syndrome using a virtual-reality environment; an initial study.
Burgmer M, et al. NeuroImage. 2009 Jan 15;44(2):502-8. Altered brain activity during pain processing in fibromyalgia.
Centers for Disease Control and Prevention. "Symptoms".
Choi W, et al. Clinical neurophysiology. 2015 Jul;126(7):1310-8. Impaired pre-attentive auditory processing in fibromyalgia: A mismatch negativity (MMN) study.
Cook DB, et al. NeuroImage. 2007 May 15;36(1):108-22. Functional neuroimaging correlates of mental fatigue induced by cognition among chronic fatigue syndrome patients and controls.
Coppierters I, et al. Pain physician. 2015 May-Jun;18(3):E389-401. Cognitive performance is related to central sensitization and health-related quality of life in patients with chronic whiplash-associated disorders and fibromyalgia.
Emad Y, et al. The Journal of Rheumatology. 2008 Jul;35(7):1371-7. Hippocampus dysfunction may explain symptoms of fibromyalgia syndrome.
Etnier JL, et al. Journal of Physical Activity and Health. 2009 Mar;6(2):239-46. Exercise, fibromyalgia, and fibrofog: a pilot study.
Ickmans K, et al. Pain physician. 2015 Sep-Oct;18(5):E841-52. Associations between cognitive performance and pain in chronic fatigue syndrome: comorbidity with fibromyalgia does matter.
Leavitt F, Katz RS. Journal of Clinical Rheumatology. 2008 Sug;14(4):214-8. Speed of mental operations in fibromyalgia: a selective naming speed deficit.
Leavitt F, Katz RS. 2014 Dec;115(3):828-39. Cognitive dysfunction in fibromyalgia: slow access to the mental lexicon.
Luerding R, et al. Brain: A Journal of Neurology. 2008 Dec;131(Pt 12):3222-31.Working memory performance is correlated with local brain morphology in the medial frontal and anterior cingulate cortex in fibromyalgia patients.
Mountz JM, et al. Arthritis and Rheumatism. 1995 Jul;38(7):926-38.Fibromyalgia in women. Abnormalities of regional cerebral blood flow in the thalamus and the caudate nucleus are associated with low pain threshold levels.
Schmaling KB, Betteron KL. Quality of life research. 2015 Oct 15. [Epub ahead of print] Neurocognitive complaints and functional status among patients with chronic fatigue syndrome and fibromyalgia.
Schmidt-Wilcke T, et al. Pain. 2007 Nov;132 Suppl 1:S109-16. Striatal grey matter increase in patients suffering from fibromyalgia--a voxel-based morphometry study.


Fonte: https://www.verywell.com/brain-fibro-fog-causes-symptoms-possible-treatment-716014

 Tradução
Google Translate
Sandra Santos - Fundadora Abrafibro

* e ** são observações da Abrafibro.