Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar e interdisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas em diversos aspectos, como:
tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.
Você pode seguir nossos outros canais de notícias.
Escolha:
Aqui, você pode cadastrar seu e-mail, logo abaixo, na coluna à sua direita.
Ou escolher entre:
WhatsApp
Telegram

Notícias sobre Fibromialgia e Saúde.
Não são grupos interativos.

Discutimos ações em parcerias com pacientes e parlamentares, na busca por políticas públicas que dignifiquem e tragam à tona assuntos e benefícios importantes para nossa qualidade de vida.

TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador Ações em Jales/SP. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Ações em Jales/SP. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 30 de abril de 2021

Jales institui Dia Municipal da Fibromialgia e oferece benefícios para os portadores da síndrome

 

 

Ações vão marcar o Dia Municipal da Fibromialgia, instituído em Jales para ser comemorado todo dia 12 de maio como o de conscientização sobre a síndrome que não tem cura e provoca dores crônicas em todo o corpo

 

O prefeito Luis Henrique Moreira sancionou a Lei nº 5.102, que instituiu em Jales o Dia Municipal da Fibromialgia. A medida foi tomada após a apresentação de um Projeto de Lei de autoria da vereadora Andrea Moreto Gonçalves para garantir benefícios aos portadores da síndrome clínica que se manifesta com dores no corpo todo, principalmente na musculatura.

O município passará a comemorar, juntamente com o calendário mundial, todo o dia 12 de maio, como o Dia Municipal da Conscientização sobre a Fibromialgia. A data contará, a partir desse ano, do calendário oficial de eventos da cidade.

Entre os principais benefícios proporcionados pela nova lei estão as vagas de estacionamento destinadas a portadores de necessidades especiais, que passam a estar disponíveis também às pessoas diagnosticadas com a síndrome da Fibromialgia; empresas comerciais que recebem pagamentos de contas e bancos poderão incluir os portadores da síndrome nas filas que já são destinadas aos deficientes; ficam empresas públicas, concessionárias de serviços públicos e empresas privadas facultadas a dispensar, durante todo o horário de expediente, atendimento preferencial aos portadores de Fibromialgia.

“A identificação dos beneficiários às vagas específicas de estacionamento serão identificados por meio de cartão que será expedido pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana. Quando for solicitado o cartão, os portadores de Fibromialgia devem apresentar documento pessoal com fotografia, comprovante de endereço e o laudo médico que comprove a síndrome”, ressaltou o diretor do departamento de Mobilidade Urbana, Altair Ramos Leon.

A Prefeitura poderá, por meio de suas secretarias municipais, realizar palestras, debates, aulas e seminários de discussão no mês de conscientização sobre a Fibromialgia, para abordar o assunto e levar mais conhecimento às pessoas sobre a síndrome. “Nós da Secretaria de Comunicação, em parceria com a Secretaria de Saúde, vamos confeccionar cartazes e disponibilizar nas Estratégias de Saúde do município, levando informações sobre a síndrome e também informando aos portadores sobre os benefícios a que eles têm direito. A Secretaria de Mobilidade Urbana também dará início ao fornecimento dos cartões que identificam as pessoas que têm direito às vagas de estacionamento especiais, que hoje são oferecidas aos portadores de necessidades especiais. Em função da pandemia da Covid-19, ficamos impossibilitados de promover palestras ou debates, mas nos próximos meses de maio, vamos fortalecer ainda mais essa campanha”, ressaltou o secretário de Comunicação, Douglas Zílio.

Palestra

No dia 12 de maio, a Secretaria Municipal de Saúde promoverá uma palestra destinada a enfermeiros das Estratégias de Saúde da Família do município, onde o médico ortopedista Dr. Leonardo Ramiro irá orientar sobre a Síndrome da Fibromialgia. A palestra vai seguir todos os protocolos de segurança e prevenção contra o novo coronavírus e acontecerá na Casa do Médico de Jales. “Em função da pandemia e não podermos promover aglomerações, apenas um enfermeiro de cada umas das unidades de saúde poderá participar, receber orientações e, dessa forma, repassar aos colegas de profissão que não puderam estar presentes”, frisou o secretário de Saúde, Alexis Shigueru Kitayama.

A Fibromialgia

A síndrome da Fibromialgia (FM) se manifesta com dores crônicas no corpo, principalmente na musculatura. Junto à dor, a fibromialgia cursa com sintomas de fadiga (cansaço), sono não reparador (a pessoa acorda cansada) e outros sintomas como alterações de memória e atenção, ansiedade, depressão e alterações intestinais. Uma característica da pessoa com FM é a grande sensibilidade ao toque e à compressão da musculatura pelo examinador ou por outras pessoas.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, o sintoma mais importante da fibromialgia é a dor difusa pelo corpo. Habitualmente, o paciente tem dificuldade de definir quando começou a dor, se ela começou de maneira localizada e que depois generalizou ou que já começou no corpo todo. O paciente sente mais dores no final do dia, mas pode haver também pela manhã. A dor é sentida “nos ossos” ou “na carne” ou ao redor das articulações.

A fibromialgia pode aparecer depois de eventos graves na vida de uma pessoa, como um trauma físico, psicológico ou mesmo uma infecção grave. O mais comum é que o quadro comece com uma dor localizada crônica, que progride para envolver todo o corpo.

 

 

texto original

https://jales.sp.gov.br/jales-institui-dia-municipal-da-fibromialgia-e-oferece-beneficios-para-os-portadores-da-sindrome/