Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador ´Abrafibro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ´Abrafibro. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

Sexualidade na Fibromialgia - O que você nunca teve coragem de perguntar?



 No dia 11 de setembro falaremos numa transmissão ao vivo sobre SEXUALIDADE NA FIBROMIALGIA, com a Dra. Maria Beatriz de Campos e a Dra. Daniela Queirós ambas especialistas em Dor Crônica.

Precisamos de sua ajuda e, por isso idealizamos este questionário onde vc (homem ou mulher fibromiálgicos) poderá escrever o que desejar sobre sexualidade sem se identificar. 

Você responde o questionário (2 perguntinhas) até o dia 10 de setembro.

Para responder o questionário basta acessar:    https://forms.gle/498uD1P4VXjSi3rG9

Elas serão respondidas no dia 11 de setembro, sexta-feira, a partir das 19:00hs ao vivo, no nosso canal da ABRAFIBRO no YouTube  http://www.youtube.com/c/AbrafibroAssocBrasdosFibromiálgicos(aproveita, vai lá e se inscreve para receber notificações sobre nossas próximas lives e vídeos)


Pronto!


Desde já agradecemos sua participação... Ela é muito importante para todos nós, e com certeza estará ajudando outros que talvez tenham as mesmas dúvidas e sugestões que você.


Abraços Fraternos,

Dra. Maria Beatriz de Campos

Dra. Daniela Queirós



       

quinta-feira, 30 de julho de 2020

sem UNIÃO e FORÇA a situação permanecerá assim...sem saída...

Foto Daniela Costi / Arquivo Pessoal. Foto da postagem original. Link abaixo

Em Canoas/RS a Lei para uso da Fila Preferencial pelos Fibromiálgicos existe desde 18 de abril de 2019, projeto de Lei do Vereador Dario Francisco e sancionado pelo Exmo Prefeito Luiz Carlos Busato  @lcbusato

Mas, o preconceito, a falta de respeito, conhecimento, atendimento especializado na cidade permanecem.

Aliás, a realidade é em todo o mundo, não só numa cidade ou país.

É uma grande luta de pacientes pelo tratamento adequado e, para a geração de políticas públicas.

Ou será que a falta de investimentos para pesquisas, que possam comprovar se o paciente é  ou não  Fibromiálgico também é nossa responsabilidade ?

Enquanto não decidem, muitos não tem tratamento, incapacitados para o trabalho, e o INSS não quer arcar com sua parte da responsabilidade.

A corda arrebenta do lado mais frágil sim.

Mas, precisamos TODOS compreender que, sem UNIÃO e FORÇA a situação permanecerá assim...sem saída.

E você, faz o que para mudar esta triste realidade?

Cuida de você pelo menos?

Procura obter em sua cidade políticas públicas em benefício dos Fibromiálgicos?

Nós podemos ajudar... Mas sozinhos pouco podemos fazer.

#vereadordariofrancisco
#fibromialgia
#fibromialgicos
#reconhecimentodaFibromialgia
#lutaporpoliticaspublicas
#BrasilporTodoscomFibro
#SomosdeFibra

https://www.diariodecanoas.com.br/noticias/regiao/2020/07/28/fibromialgia--doenca-que-os-olhos-nao-veem--mas-o-corpo-sente.html

terça-feira, 21 de julho de 2020

LIVE SEXUALIDADE NA FIBROMIALGIA

SEXUALIDADE NA FIBROMIALGIA

A psicóloga Daniela Queiros e a Ginecologista DraMaria Beatriz Campos falarão deste tema que gera tantas dúvidas e inseguranças... Que tal assistir e participar deste importante bate papo com a coordenação da Diretora Científica da Abrafibro Assoc Bras Dos Fibromiálgicos Mayra Perazzolli Pinheiro Lima.

Quando? 24/07/2020 às 19h



quinta-feira, 16 de julho de 2020

Fibromialgia: Entenda o processo de diagnóstico

Os sintomas da fibromialgia geralmente imitam os de outras condições. Determinar a verdadeira causa dos seus sintomas é essencial para receber o tratamento adequado.

Fibromialgia | Drauzio Varella - Drauzio Varella 
imagem copiada do site https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/fibromialgia/

Os sintomas da fibromialgia incluem dores corporais generalizadas, fadiga, problemas de sono e humor. Mas todos esses sintomas são comuns a muitas outras condições. E como os sintomas da fibromialgia podem ocorrer sozinhos ou em conjunto com outras condições, pode levar algum tempo para descobrir qual sintoma é causado por qual problema. Para tornar as coisas ainda mais confusas, os sintomas da fibromialgia podem ir e vir com o tempo.

É por isso que pode demorar muito para passar dos sintomas da fibromialgia ao diagnóstico de fibromialgia.
Nenhum teste específico para fibromialgia

A fibromialgia não pode ser facilmente confirmada ou descartada através de um simples teste de laboratório. O seu médico não pode detectá-lo no seu sangue ou vê-lo em um raio-X. Em vez disso, a fibromialgia parece estar ligada a mudanças na maneira como o cérebro e a medula espinhal processam os sinais de dor.

Como não há teste para a fibromialgia, seu médico deve confiar apenas no seu grupo de sintomas para fazer um diagnóstico.

Nas diretrizes do American College of Rheumatology para diagnosticar fibromialgia, um dos critérios é a dor generalizada em todo o corpo por pelo menos três meses. "Difundido" é definido como dor nos dois lados do corpo, bem como acima e abaixo da cintura.
Orientações antigas exigiam pontos de concurso

A fibromialgia também é frequentemente caracterizada por dor adicional quando uma pressão firme é aplicada a áreas específicas do corpo, chamadas de pontos sensíveis. No passado, pelo menos 11 desses 18 pontos tiveram teste positivo de sensibilidade para diagnosticar fibromialgia.

Como os sintomas da fibromialgia podem ir e vir, uma pessoa pode ter 11 pontos sensíveis em um dia, mas apenas oito pontos sensíveis em outro dia. E muitos médicos de família não sabiam quanta pressão aplicar durante um exame de concurso. Embora especialistas ou pesquisadores ainda possam usar pontos sensíveis, um conjunto alternativo de diretrizes foi desenvolvido para os médicos usarem na prática geral.

Esses novos critérios de diagnóstico incluem:

    Dor generalizada com duração de pelo menos três meses
    Presença de outros sintomas como fadiga, acordar cansado e pensar em problemas
    Nenhuma outra condição subjacente que possa estar causando os sintomas

Excluindo outras causas possíveis

É importante determinar se seus sintomas são causados ​​por algum outro problema subjacente. Os culpados comuns incluem:

    Doenças reumáticas. Certas condições - como artrite reumatóide, síndrome de Sjögren e lúpus - podem começar com dores e dores generalizadas.

    Problemas de saúde mental. Distúrbios como depressão e ansiedade geralmente apresentam dores e dores generalizadas.

    Problemas neurológicos. Em algumas pessoas, a fibromialgia causa dormência e formigamento, sintomas que imitam os de distúrbios como esclerose múltipla e miastenia gravis.

Testes que podem ser necessários

Embora não haja um teste de laboratório para confirmar o diagnóstico de fibromialgia, seu médico pode excluir outras condições que possam ter sintomas semelhantes. Os exames de sangue podem incluir:

    Hemograma completo
    Taxa de sedimentação de eritrócitos
    Testes de função tireoidiana
    Níveis de vitamina D

Seu médico também pode realizar um exame físico cuidadoso de seus músculos e articulações, bem como um exame neurológico para procurar outras causas de seus sintomas. Se houver uma chance de você sofrer de apneia do sono, seu médico poderá recomendar um estudo do sono.
Mais pistas para o diagnóstico da fibromialgia

Pessoas que têm fibromialgia também costumam acordar cansadas, mesmo depois de dormirem por mais de oito horas. Breves períodos de esforço físico ou mental podem deixá-los exaustos. Eles também podem ter problemas com a memória de curto prazo e a capacidade de concentração. Se você tiver esses problemas, seu médico poderá solicitar que você classifique com que gravidade eles afetam suas atividades diárias.

A fibromialgia geralmente coexiste com outros problemas de saúde; portanto, seu médico também pode perguntar se você tem:

    Síndrome do intestino irritável
    Dores de cabeça
    Dor na mandíbula
    Ansiedade ou depressão
    Micção freqüente ou dolorosa

Possíveis desencadeadores de fibromialgia

Em alguns casos, os sintomas da fibromialgia começam logo após a pessoa ter passado por um evento traumático mental ou fisicamente, como um acidente de carro. As pessoas com transtorno de estresse pós-traumático parecem ter maior probabilidade de desenvolver fibromialgia; portanto, seu médico pode perguntar se você teve algum evento traumático recentemente.

Como um fator genético parece estar envolvido na fibromialgia, seu médico também pode querer saber se outros membros da sua família imediata tiveram sintomas semelhantes.

Toda essa informação reunida dará ao seu médico uma idéia muito melhor do que pode estar causando seus sintomas. E essa determinação é crucial para o desenvolvimento de um plano de tratamento eficaz.

Referências

  1. Clauw DJ. Fibromyalgia: A clinical review. JAMA. 2014;311:1547.
  2. Goldman L, et al., eds. Fibromyalgia, chronic fatigue and myofascial pain. In: Goldman-Cecil Medicine. 25th ed. Philadelphia, Pa.: Saunders Elsevier; 2016. https://www.clinicalkey.com. Accessed June 21, 2017.
  3. Ferri FF. Fibromyalgia. In: Ferri's Clinical Advisor 2018. Philadelphia, Pa.: Elsevier; 2017. https://www.clinicalkey.com. Accessed June 21, 2017.
  4. AskMayoExpert. Fibromyalgia. Rochester, Minn.: Mayo Foundation for Medical Education and Research; 2016.
  5. Goldenberg DL. Clinical manifestations and diagnosis of fibromyalgia in adults. https://www.uptodate.com/contents/search. Accessed June 21, 2017.
  6. Goldenberg DL. Differential diagnosis of fibromyalgia. https://www.uptodate.com/contents/search. Accessed June 21, 2017
texto original
https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/fibromyalgia/in-depth/fibromyalgia-symptoms/art-20045401