Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador Artrite Reumatoide e Fibromialgia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Artrite Reumatoide e Fibromialgia. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Artrite reumatoide e fibromialgia - Qual é a ligação?


Suas articulações estão inchadas e duras. Seus músculos também doem e você está exausto. Esses sintomas estão relacionados? Eles podem ser sinais de que você tem artrite reumatoide (AR) e fibromialgia, dois problemas de saúde que às vezes acontecem juntos. Se você tem um deles, é mais provável que você tenha o outro.
Apenas cerca de 2% dos adultos americanos têm fibromialgia. Mas é mais comum entre pessoas que têm AR. A pesquisa mostra que entre 10% e 20% deles também têm fibromialgia. Especialistas ainda estão estudando o motivo do relacionamento. Mas eles acham que vários fatores desempenham um papel.

Qual é a Ligação?

Em pessoas saudáveis, o sistema imunológico é a primeira linha de defesa contra germes, vírus e outros invasores. Mas AR é uma doença auto-imune. Isso significa que o sistema imunológico ataca o tecido saudável em seu corpo, neste caso suas articulações. Como resultado, as articulações se tornam doloridas e inchadas. Você também pode se sentir cansado.
A fibromialgia não é uma doença autoimune. Mas seus sintomas são semelhantes. Também causa dor, rigidez e fadiga. Os médicos não sabem ao certo o que causa a fibromialgia. Uma teoria é que um desequilíbrio nos químicos cerebrais torna você mais sensível à dor. A mesma pressão que outras pessoas acham normal, pode parecer dolorosa para você.
Por que é que? Seus genes podem ser parte do motivo. Ou algo pode mudar a forma como o seu corpo envia e recebe sinais de dor. Por exemplo, estudos sugerem que a dor constante pode acelerar o sistema nervoso. O resultado é que você se torna mais sensível à dor.  
Outro link pode ser inflamação, que envolve parte do corpo ficando inchada, vermelha, quente e dolorida. É o principal problema na AR. A fibromialgia não é considerada uma condição inflamatória. Mas a inflamação crônica pode desempenhar um papel.
AR e fibromialgia também compartilham fatores de risco comuns. Seu estilo de vida, peso e nível de estresse podem aumentar suas chances para ambas as condições. 

Obtendo o diagnóstico correto

Não há um teste para a fibromialgia. Os médicos fazem esse diagnóstico se você tem dor generalizada que não é de outra condição médica por mais de 3 meses. Como seus sintomas se sobrepõem a outras condições, muitas vezes é difícil identificar. Em média, leva 5 anos para diagnosticar a fibromialgia.
Muitos sintomas de fibromialgia são semelhantes aos da AR. Mas existem algumas diferenças fundamentais:
  • AR provoca inflamação nas articulações. A dor pode ir e vir. Com a fibromialgia, a dor é constante e acontece em todo o corpo. Você sente uma dor incômoda que dura pelo menos 3 meses.
  • Com a fibromialgia, muitas vezes você sente ternura quando alguém o toca. Também pode doer ficar sentado por 45 minutos.
É importante ser diagnosticado. Se você tem ambas as condições, seu médico pode atribuir a dor da fibromialgia à sua AR. Como resultado, você pode obter doses mais fortes ou mais altas de medicamentos de AR do que você pode precisar. Converse com seu médico se você acha que pode ter fibromialgia.

Opções de tratamento

Os médicos prescrevem diferentes medicamentos para AR e fibromialgia. Se você tem AR, os medicamentos que você precisa dependem da gravidade da sua doença. Eles incluem:
  • Anti-inflamatórios não-esteroidais (AINEs ), como ibuprofeno e naproxeno.
  • Esteroides . Esses medicamentos prescritos aliviam a inflamação.
  • Drogas anti-reumáticas modificadoras da doença (DMARDs ). Essas drogas diminuem seu sistema imunológico. Eles aliviam os sintomas e evitam danos nas articulações.
  • Agentes biológicos. Esta nova classe de DMARDs visa partes específicas do seu sistema imunológico.
Se você tem fibromialgia, algumas drogas podem aliviar a dor e ajudá-lo a dormir melhor:
  • Analgésicos de venda livre, como paracetamol e naproxeno (Aleve).
  • Antidepressivos Esses medicamentos podem aliviar dores e fadiga. Eles também podem ajudá-lo a ter uma melhor noite de descanso.
  • Medicamentos anticonvulsivos. Drogas que tratam a epilepsia podem lhe dar alívio ao torná-lo menos sensível à dor.
Algumas mudanças de estilo de vida e tratamentos ajudam tanto a AR quanto a fibromialgia:
  • Exercício: Pode ser a última coisa que você sente vontade de fazer. Mas exercícios aeróbicos, atividades que mantêm o ritmo cardíaco alto, podem aliviar a dor produzindo substâncias químicas calmantes e que combatem a dor. O objetivo é praticar por 30 minutos 2 a 3 vezes por semana. Caminhar, ciclismo e natação são algumas boas escolhas.  
  • Sono: uma boa noite de sono pode ajudar a aliviar os sintomas da fibromialgia e da AR. Para melhorar o seu sono, tente ir para a cama e acordar na mesma hora todos os dias. Também evite cafeína e álcool no final da tarde e à noite. Antes de dormir, relaxe com uma atividade relaxante, como tomar um banho quente ou ouvir música suave.
  • Terapia física e ocupacional: Fisioterapeutas ensinam exercícios para melhorar sua força, flexibilidade e rigidez. Os terapeutas ocupacionais oferecem maneiras de realizar tarefas diárias com menos dor.
Tradução: Google Tradutor e Abrafibro