Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador MEDICAMENTOS PARA TIRAR A DOR DA FIBROMIALGIA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador MEDICAMENTOS PARA TIRAR A DOR DA FIBROMIALGIA. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Medicamentos - FIBROMIALGIA

Existem muitos medicamentos usados ​​para tratar os sintomas da fibromialgia, incluindo medicamentos para a dor, pílulas para dormir e antidepressivos. Alguns medicamentos ajudam a aliviar a dor da fibromialgia. Outros melhoram o humor e melhoram o sono. Conversando com o seu médico ele irá ajudá-lo a encontrar a medicação para fibromialgia adequada para adicionar ao seu regime de tratamento. Dessa forma, você poderá gerenciar seus sintomas de forma eficaz.



Qual é o tratamento inicial para a fibromialgia?

Os primeiros médicos medicam para as pessoas com fibromialgia é um antidepressivo, o que ajuda a aliviar a dor, fadiga e problemas de sono, muitas vezes são que irão tentar. Além disso, os antidepressivos ajudam na depressão, que é comumente visto em pessoas com fibromialgia. Antidepressivos mais antigos, chamados tricíclicos, têm sido usados ​​por muitos anos para tratar a fibromialgia. 


Como os antidepressivos tricíclicos tratam os sintomas da fibromialgia?

Os antidepressivos tricíclicos, incluindo Elavil (amitriptilina) e Pamelor (nortriptilina), o trabalho deles é elevar os níveis de substâncias químicas (neurotransmissores) no cérebro. 
Os antidepressivos tricíclicos aumentam os níveis de serotonina e noradrenalina no cérebro. Pessoas com dor crônica, muitas vezes têm diminuído os níveis desses neurotransmissores calmantes. Os tricíclicos podem relaxar os músculos dolorosos e aumentar os efeitos de endorfinas - analgésicos naturais do corpo. Embora estes medicamentos sejam muitas vezes muito eficaz, os efeitos colaterais, às vezes, podem torná-los difíceis de tomar, pois podem causar sonolência, tonturas, boca seca, olhos secos, e constipação.


Não existem outros antidepressivos que aliviam a dor e fadiga da fibromialgia?

Existem vários tipos diferentes de antidepressivos e vários deles demostraram que ajudam a aliviar a dor, fadiga e problemas de sono em pessoas com fibromialgia.
Os antidepressivos mais bem estudados para a fibromialgia incluem Cymbalta (duloxetina), Savella (milnacipran) e Effexor (venlafaxina). Cymbalta e Savella são especificamente aprovados pelo FDA* para tratar a fibromialgia. Há menos investigações médicas para mostrar que Effexor ajuda a fibromialgia. Outros antidepressivos, que também têm sido estudados para a fibromialgia e podem ajudar incluem Prozac (fluoxetina), Paxil (paroxetina), e Celexa (citalopram).
Diferentes antidepressivos funcionam de forma diferente no corpo. Além disso, o que funciona para uma pessoa com fibromialgia pode não funcionar para outra pessoa. É por isso que as pessoas com fibromialgia podem ter que experimentar mais de um antidepressivo, para encontrar aquele que melhor alivia a dor, fadiga e sono e dificuldades associadas a doença. O seu médico pode ainda querer que você tente uma combinação de mais de um antidepressivo de cada vez.

Que medicamentos fibromialgia ajudam a aliviar a dor?

Diferentes tipos de analgésicos são por vezes recomendados para diminuir a dor muscular profunda e dor gatilho ponto que vem com fibromialgia. O problema é que esses analgésicos não funcionam da mesma forma para todos com fibromialgia.
Os analgésicos sem receita médica, como o paracetamol, elevam o limiar de dor para que você possa percebe-la muito menos.

Medicamentos anti-inflamatórios não esteróides (AINEs), quando tomados sozinhos, não costumam ajudar muito bem para a fibromialgia. No entanto, quando combinados com outros medicamentos para fibromialgia, os AINE muitas vezes ajudam. AINEs estão disponíveis no balcão e incluem drogas como a aspirina, ibuprofeno e naproxeno.


Quais são os efeitos colaterais dos analgésicos para a fibromialgia?

Tenha cuidado ao tomar aspirina ou outros AINEs, se você tem problemas de estômago. Estes medicamentos podem levar a azia, náuseas ou vômitos, úlceras estomacais e sangramento do estômago. Este risco de hemorragias graves é ainda maior em pessoas com mais de 60 anos. Não tome AINEs sem receita médica, por mais de 10 dias sem consultar o seu médico. Tomando-os por um período prolongado aumentam as chances de efeitos secundários graves. A aspirina e outros antiinflamatórios não esteróides podem causar ou agravar úlceras estomacais. Se você já teve úlceras ou qualquer tipo de problemas estômacais ou sangramento intestinal, fale com o seu médico antes de tomar NSAIDs. 
O acetaminofeno é relativamente livre de efeitos colaterais. Mas evite este medicamento se você tem doença no fígado. Além disso, certifique-se de não tomar mais do que o recomendado, que aumentam consideravelmente o risco de efeitos colaterais, incluindo danos ao fígado.


Relaxantes musculares são úteis para a dor da fibromialgia?

A ciclobenzaprina - relaxante muscular - provou ser útil para o tratamento da fibromialgia. É muitas vezes prescrito para ajudar a aliviar a tensão muscular e melhorar o sono. Relaxantes musculares trabalham no cérebro para relaxar os músculos.
Com relaxantes musculares, pode ocorrer boca seca, tontura, sonolência, visão turva, desequilíbrio, instabilidade e mudança na cor de sua urina. Estes medicamentos podem aumentar a probabilidade de convulsões. Os adultos mais velhos, às vezes, experimentam a confusão e alucinações quando os tomam.

Quando anticonvulsivantes são utilizados para a fibromialgia?

Lyrica, originalmente utilizado para o tratamento de convulsões, é uma nova droga para o tratamento da fibromialgia. Na fibromialgia, o Lyrica afeta substâncias químicas no cérebro que enviam sinais de dor em todo o sistema nervoso. Por isso, reduz a dor e fadiga e melhora o sono.
Neurontin (gabapentina) é outra medicação anticonvulsivante que também demostrou melhorar os sintomas da fibromialgia.

Existem outros medicamentos para a dor da fibromialgia disponíveis?

Analgésicos, tais como: Ultram (tramadol) também podem ser usados para tratar a fibromialgia. Este medicamento narcótico age no cérebro para afetar a sensação de dor. Não é tão viciante quanto outras drogas.
Além disso, os médicos podem prescrever benzodiazepínicos, como: Ativan (lorazepam), Klonopin (clonazepam), Valium (diazepam) e Xanax (alprazolam) para ajudar a relaxar os músculos dolorosos, melhorar o sono e aliviar os sintomas da síndrome das pernas inquietas (sensações desagradáveis ​​no pernas que forçá-lo a mover-los constantemente). As benzodiazepinas são viciantes e deve ser usadas com precaução em uma base de curto prazo. Tomando mais do que o recomendado aumentam os riscos de efeitos secundários graves - até mesmo a morte.
Medicamentos narcóticos poderosos, como: Percocet e OxyContin (oxicodona) e Vicodin e Lortab (hydrocodone), só devem ser considerados se todas as outras drogas e terapias alternativas foram esgotadas e não houve alívio.

Revisado por Michael W. Smith, Médico em Maio 18, 2012