Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador diagnóstico da dor crônica. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador diagnóstico da dor crônica. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 11 de agosto de 2020

Sinais surpreendentes de fibromialgia que você pode não estar procurando





O longo caminho para identificar a dor crônica.

Postado em 22 de janeiro de 2020



Como saber se os sintomas de dor estão relacionados à fibromialgia, e não a outra condição médica? Em sua busca por respostas, os indivíduos com dor contínua frequentemente procuram um profissional de saúde após o outro, saindo com diagnósticos conflitantes. Se você luta e se pergunta se tem fibromialgia ou não, fazer as perguntas certas é essencial para obter a ajuda de que precisa.

A longa jornada

Pacientes com dor crônica costumam passar anos procurando respostas e, em última análise, um diagnóstico claro do que está errado. Para muitos - antes mesmo de a dor começar - eles experimentam um cansaço repentino e dores musculares inexplicáveis. Muitas vezes, é esse cansaço que primeiro os leva ao médico de cuidados primários em busca de ajuda. Depois que a exaustão se instala, as articulações começam a doer, levando a uma visita a um ortopedista ou reumatologista. Quando sua capacidade de pensar e lembrar se torna um problema, eles procuram um neurologista.

Depois de muitos testes e de muito tempo e dinheiro gastos, os pacientes geralmente ficam sem respostas claras para seus sintomas. Essa história de problemas inexplicáveis ​​costuma ser a primeira pista de que a dor crônica pode estar na raiz disso.

Um estudo recente descobriu que os médicos perderam o diagnóstico de fibromialgia em 49,6 por cento dos pacientes e diagnosticaram erroneamente 11,4 por cento dos pacientes com fibromialgia quando eles não preenchiam os critérios. Embora existam cerca de 4 milhões de adultos nos EUA com fibromialgia, de acordo com o Center for Disease Control and Prevention, existem profissionais de saúde que não têm certeza se a condição existe. Isso leva não apenas a diagnósticos errados, mas também aos pacientes que se sentem envergonhados por seus médicos e sugerem que os sintomas são simplesmente psicológicos.

Dando um Nome à Dor

O principal desafio de encontrar o diagnóstico e o tratamento corretos é o fato de que a fibromialgia não se desenvolve durante a noite. Em vez disso, mudanças graduais no funcionamento geral e na sensibilidade do sistema nervoso levam aos sintomas de fibromialgia.

  •     Para muitos pacientes, cansaço e fadiga estão entre os primeiros sintomas que aparecem. Esse tipo de cansaço geralmente vai além da sonolência ou da vontade de tirar uma soneca no domingo à tarde. Em vez disso, é relatada uma sensação de peso e sensação de esgotamento das atividades da vida diária.
  •     Pequenas mudanças na memória e no pensamento começam a aparecer. Coisas que antes eram fáceis de realizar agora parecem um imenso desafio - seguir uma receita simples e familiar ao preparar o jantar, por exemplo. Essas pequenas mudanças na memória e no pensamento podem levar a um problema mais generalizado, muitas vezes referido como "névoa fibro".
  • Uma pergunta que considero útil fazer aos pacientes é esta: "Com que frequência você se pega deixando cair coisas?" Para alguns pacientes com fibromialgia, suas respostas são longas e variadas. Mas as preocupações com suas xícaras de café, chaves do carro, canetas, caixas ou pacotes de leite caídos são freqüentemente descartadas, pois esses pacientes nunca pensam que isso pode ser um sinal de fraqueza muscular que acompanha a fibromialgia.
  • Uma característica chave da fibromialgia é a dor generalizada, músculos doloridos e pontos sensíveis sentidos por todo o corpo. Se você achar que os abraços ou toques gentis de amigos e familiares são desconfortáveis ​​ou doloridos, isso pode ser devido à hipersensibilidade do sistema nervoso encontrada na fibromialgia.
  • Muitos médicos têm dificuldade em fazer um diagnóstico claro de fibromialgia porque as queixas sobre essa dor podem ser diferentes. Os pacientes freqüentemente relatam que a dor se desloca para diferentes áreas do corpo ou que aparece com diferentes sensações. A dor que começa como uma sensação de queimação pode se tornar aguda; sintomas de dor e latejamento podem ocorrer logo em seguida.
  • Também são relatados sintomas de rigidez matinal, dormência e sensação de formigamento nos braços e pernas, além de dores nas articulações. Esse tipo de dor nas articulações costuma ser confundido com artrite.
  • Para tornar o quadro geral do diagnóstico de fibromialgia ainda mais complicado, existem problemas de sono, ansiedade, depressão e problemas gastrointestinais, como a síndrome do intestino irritável. Cada um desses sintomas pode levar uma pessoa a procurar a ajuda de um especialista diferente, todos os quais podem perder o panorama geral do diagnóstico de fibromialgia. Não é de se admirar, então, por que os pacientes fazem tantas viagens a diferentes médicos em busca de respostas.

O próximo passo

Se você estiver lutando com os sintomas descritos aqui, um bom primeiro passo é pedir ao seu médico de atenção primária para completar um exame médico usando os Critérios de Diagnóstico Preliminar para Fibromialgia do American College of Rheumatology (ACR). Esse tipo de entrevista médica ajuda a educar os pacientes sobre a fibromialgia. E pode ajudar a avaliar se esse diagnóstico também é útil para explicar seus sintomas.

Evan Parks, Psy.D., é psicólogo clínico no Mary Free Bed Rehabilitation Hospital e professor assistente adjunto do Michigan State University College of Human Medicine. Ele é o apresentador do podcast Pain Rehab.
Conectados:
Livro de reabilitação da dor crônica, Twitter, Facebook, LinkedIn

texto original
https://www.psychologytoday.com/us/blog/pain-rehabilitation/202001/surprising-signs-fibromyalgia-you-may-not-be-looking

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Saúde das mulheres é ameaçada com pesquisas médicas focadas em homens

Menos remédios e tratamentos são desenvolvidos para elas