Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador Alan Senigalia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Alan Senigalia. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 29 de março de 2019

CANCELADO ENCONTRO NO PRÓXIMO DIA 30.03, EM SANTOS/SP



Ainda há quem reclame das condições, do descaso, da falta de atenção, por não ter condições de conversar com alguém que entenda suas condições e sua própria realidade de fibromiálgico.
Será que sofre tudo isso mesmo, ou alguns escolhem continuar nesta condição?
Pois é! Um Encontro em Fibromiálgicos em Santos/SP precisou ser CANCELADO, por não haver número suficiente interessados. 
Preço? GRATUITO como sempre!
Local? GRATUITO como sempre!
Profissional? GRATUITO como sempre!
O único pedido era para levarem um doce ou salgado, para compartilharmos num lanche comunitário. 
APENAS ISSO!
Porém, fomos obrigados a comunicar ao Anfitrião, o fisioterapeuta e acupunturista Alan Senigalia, voluntário na Abrafibro, que precisávamos CANCELAR.
Podem imaginar com que "cara" tivemos que fazer isso?

E não se trata de um caso isolado...
Todas as reuniões realizadas pelos Grupos de Apoio, em diversas oportunidades, inclusive trazendo gente de fora, tivemos esse tipo de comportamento.
Em Praia Grande/SP, por exemplo, realizamos o 1º Encontro no último dia 16. Compareceram 9 pessoas... O grupo tem mais de 20. Ou seja, não atingiu nem 10%. 

"Cada um sabe onde seu calo aperta!" O que nos leva a pensar se as queixas são reais, em sua maioria.

É difícil manter a motivação e o empenho dos trabalhos, depois de tantas tentativas de união, integração, coesão, aproximação... Em várias partes do país.. Bahia, Alagoas, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, São Paulo...

E com toda esta vergonha, o profissional sentiu que precisava desabafar...
Ele escreveu o que segue...

"Estou muito desapontado.
Não com a Abrafibro, não com a Sandra.
E todos aqui sabem que podem contar comigo. Nós já fizemos encontros lindos, reuniões maravilhosas cheias de energia, discussões proveitosas e novas amizades.
Disponibilizo meu espaço GRATUITAMENTE há anos, para que possamos firmar um encontro real onde todos podem falar, rever, abraçar e discutir.
Fazer na vida real o que muitos fazem aqui todo dia. Mandar figurinha com desejos bons.
Realmente não entendo essa ausência e baixa adesão.
É essa desunião que cria impedimentos legais e energéticos para que avancemos nas nossas conquistas.
Estamos muito envergonhados!!!!! Se fosse para concessão de aposentadoria, haveria maior adesão?????
Reclamar que ninguém faz nada, é muito fácil.
@Sandra Santos🙏🏻 e demais moderadores. 
Peço desculpas a vocês pelo desabafo. 
Mas foi no mínimo vergonhoso.
A todos
Continuem contando comigo. Não sou como vocês"
   Alan Senigalia

O que responder???😪😪😪🙈🙈

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Dor nas Costas... quem não tem ou teve? Tratar sem medicação... É possível!

Olá.
Você tem ou já teve dor nas costas?



Hoje vou falar sobre um sintoma que afeta cerca de 10% da população mundial. A Lombalgia.
Os sintomas mais comuns da lombalgia são citados como uma dor na região lombar, na altura da cintura.
Ao contrário do que muitos pensam, a Lombalgia não é uma doença e tão pouco um diagnóstico, mas um sintoma de que alguma coisa não está bem em seu corpo.
Você sabe como inicia esse quadro de dor?
Muitas vezes não tem um início súbito. Inicia com dor leve e pouca intensidade aumentando progressivamente e agravando e dificultando a movimentação.
As crises dolorosas geralmente se apresentam num ciclo que duram alguns dias, podendo em alguns casos tornar-se constante ou desaparecer, retornando depois de algum tempo.
Geralmente encontramos alguma contratura muscular na região.

As causas da lombalgia são amplas. Entre elas podemos destacar a obesidade, maus hábitos posturais, tabagismo, trabalho excessivo, algumas emoções, etc. 
A Fibromialgia também pode desencadear crises de lombalgia. 





A prática da medicina chinesa é relativamente simples para o paciente que, no encontro com o acupunturista, responderá algumas perguntas pertinentes a dor que sente.
O paciente deita-se confortavelmente (cada um encontra uma posição mais adequada) e o acupunturista coloca algumas agulhas bem fininhas nas costas e em outras partes do corpo.
Dói? Não, não dói.
O bom profissional sabe exatamente técnicas de inserção, para que a dor seja minimizada ao máximo.
Para pacientes que ainda assim não conseguem se sentir confortáveis, o acupunturista pode usar outros recursos para estimular os pontos sem agulhas, como é o caso da moxa (queima de bastões ou cones de artemísia), as ventosas (copos que promovem a sucção da pele). Essa última ganhou repercussão mundial pois, atletas as utilizaram nas Olimpíadas do Rio de Janeiro.
Há também a Auriculoterapia (pequenos esparadrapos com sementes ou esferas) que são colocadas na orelha do paciente.
Vale muito a pena conhecer e se tratar através da técnica da Acupuntura.
Ela equilibra corpo e mente.

Autor: 
Dr. Alan Senigalia
Fisioterapeuta/ Especialista em Medicina Chinesa/Prof de Pós Graduação em Acupuntura/Naturólogo
Santos/SP
Profissional Voluntário da Abrafibro - Associação Brasileira dos Fibromiálgicos
10/10/2016