Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador ENXAQUECA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ENXAQUECA. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Injeção no ponto gatilho pode aliviar a dor? Saiba mais

Tudo o que você precisa saber sobre injeções no ponto de gatilho


Os médicos usam injeções no ponto de gatilho para tratar dores musculares crônicas e outros problemas que afetam o sistema músculo-esquelético.

A dor muscular pode se desenvolver por várias razões, desde dormir na posição errada até romper grandes grupos musculares durante uma sessão intensa de levantamento de peso.

Embora muitos tipos de dores musculares se resolvam após alguns dias de descanso, pessoas com dores musculares persistentes ou crônicas podem precisar de tratamento médico.

A dor muscular crônica pode ter um impacto significativo na capacidade de uma pessoa funcionar e em sua qualidade de vida. As injeções no ponto de gatilho podem oferecer benefícios imediatos para pessoas com dor muscular crônica.

Abaixo, aprenda sobre os usos, eficácia, efeitos colaterais e riscos das injeções no ponto de gatilho.

O que são injeções no ponto de gatilho?

a woman about to receive a trigger point injection from a doctor
Uma injeção no ponto de gatilho pode ajudar a tratar um problema que afeta o sistema músculo-esquelético.

As injeções no ponto de gatilho podem tratar a dor muscular crônica relacionada aos pontos de gatilho miofasciais, que são feixes de fibras altamente sensíveis em bandas musculares apertadas.

O tratamento envolve a injeção de medicamentos diretamente nos pontos-gatilho miofasciais. O médico determinará o melhor tipo de medicamento com base na gravidade e na causa subjacente da dor.

As injeções no ponto de gatilho podem incluir:



  • um anestésico local, como lidocaína, que bloqueia os receptores de dor nos músculos
  • um corticosteróide, que reduz a inflamação no músculo e tecido conjuntivo ao redor de um nervo
  • toxina botulínica A (Botox), que interfere nas vias de sinalização nervosa e evita contrações musculares

Durante o procedimento, o médico irá inserir uma pequena agulha em um ponto de gatilho miofascial e injetar o medicamento.

Pessoas que têm músculos especialmente tensos podem sentir uma sensação de esmagamento quando o médico insere a agulha. Esse sentimento geralmente desaparece quando o músculo relaxa.

Usos

As injeções no ponto de gatilho podem ajudar a aliviar a dor causada por condições que afetam os sistemas músculo-esquelético e nervoso, como os abaixo.

Síndrome da dor miofascial

As injeções no ponto de gatilho podem ajudar a aliviar os sintomas da síndrome da dor miofascial, uma condição de dor crônica que afeta os músculos e o tecido circundante.

Na síndrome da dor miofascial, os pontos-gatilho estimulam as respostas à dor em partes aparentemente não relacionadas do corpo. Esse fenômeno é chamado de dor referida.

As injeções no ponto de gatilho podem reduzir a dor muscular localizada, relaxando os músculos afetados, e os pesquisadores acreditam que as injeções interrompem as vias de sinalização nervosa que causam a dor referida.

As possíveis causas dos pontos de gatilho miofasciais incluem:


  • lesão ou trauma no músculo
  • movimentos repetitivos
  • postura pobre
  • estresse psicológico

Além da dor referida, uma pessoa com dor miofascial pode apresentar:


  • dor em partes específicas de um músculo
  • dor que se intensifica quando a pessoa se move ou estica o músculo afetado
  • nós musculares que a pessoa pode sentir pelo toque
  • rigidez ou fraqueza muscular
  • uma amplitude de movimento limitada

Fibromialgia

A fibromialgia é uma condição de dor crônica que compartilha alguns sintomas da artrite, mas afeta os tecidos moles em vez das articulações.

A causa exata da fibromialgia permanece desconhecida, mas os possíveis fatores de risco incluem:


  • história de distúrbio autoimune, como lúpus ou artrite reumatóide
  • trauma físico ou psicológico
  • história familiar de fibromialgia
  • infecções
  • ser mulher

Os sintomas da fibromialgia incluem:


  • dor e rigidez em todo o corpo
  • dores de cabeça
  • dormência ou formigamento nas mãos e pés
  • problemas digestivos
  • sono ruim e fadiga diurna
  • Dificuldade de concentração
  • sintomas de depressão ou ansiedade

Historicamente, os médicos diagnosticavam fibromialgia em pessoas que relatavam dor ou sensibilidade em pontos-gatilho específicos em todo o corpo.

Ao contrário da síndrome da dor miofascial, que causa dor muscular localizada, a fibromialgia causa dor generalizada ou sistêmica.

Isso sugere que a dor da fibromialgia provém de problemas neurológicos que afetam como o cérebro processa informações sensoriais.

Com isso dito, os pontos gatilhos miofasciais e a fibromialgia causam perfis semelhantes de dor, e alguns pesquisadores acreditam que os pontos gatilhos miofasciais contribuem para a dor da fibromialgia.

Dores de cabeça

Pontos de gatilho nos ombros, pescoço e cabeça podem contribuir para a enxaqueca e os distúrbios da dor de cabeça do tipo tensão, de acordo com a American Migraine Foundation.

Em um artigo de 2014, os pesquisadores compararam a presença de pontos-gatilho miofasciais em 20 estudantes de fisioterapia com enxaqueca episódica e 20 indivíduos saudáveis ​​sem enxaqueca.

Os pesquisadores descobriram um número significativamente maior de pontos-gatilho miofasciais no grupo com enxaqueca.

Os autores de um estudo de 2016 examinaram a relação entre os pontos-gatilho miofasciais e a sensibilidade à dor por pressão em pessoas com dores de cabeça episódicas ou crônicas por tensão.

Os indivíduos com mais pontos de gatilho miofasciais foram mais sensíveis à dor por pressão do que aqueles com menos pontos. Os resultados sugerem que os pontos-gatilho miofasciais influenciam a intensidade desses tipos de dor de cabeça.

Como funciona?

As injeções no ponto de gatilho podem oferecer alívio imediato da dor e maior amplitude de movimento para pessoas com dor muscular crônica.

No entanto, essas injeções não afetam a todos da mesma maneira. Algumas pessoas experimentam alívio significativo da dor imediatamente após as injeções, enquanto outras acham que vários dias ou semanas podem passar antes que a dor melhore.

Algumas pessoas não se beneficiam de injeções no ponto de gatilho.

Pesquisadores de um pequeno estudo de 2019 investigaram os efeitos dessas injeções em pessoas com dor no músculo abdominal. Os participantes relataram reduções significativas na dor 2 anos após a injeção inicial. Cinco participantes necessitaram de uma injeção adicional, enquanto outro não teve resposta ao tratamento.

Embora as injeções no ponto de gatilho possam oferecer benefícios significativos para algumas pessoas, vários pesquisadores descobriram que essa terapia pode ser ineficaz.

Efeitos colaterais

As injeções no ponto de gatilho podem causar vários efeitos colaterais imediatos e de longo prazo, incluindo:


  • dor ou dormência temporária ao redor do local da injeção
  • descoloração ou ondulações da pele perto do local da injeção
  • tonturas ou tonturas
  • sangrando

Além disso, as injeções de pontos-gatilho com anestesia podem causar uma forma grave de dano muscular, chamada mionecrose. Isso pode curar dentro de 3 a 4 semanas.

Dor, inchaço e sensibilidade perto do local da injeção geralmente desaparecem após algumas horas. Se algum efeito colateral não resolver dentro de algumas semanas, entre em contato com o médico.

Riscos

Embora as injeções no ponto de gatilho raramente causem complicações graves, elas podem levar a:


  • infecção no local da injeção
  • hematomas
  • lesão muscular ou nervosa
  • raramente, ar ou gás se acumulam no espaço entre a parede torácica e os pulmões, o que pode causar um ou ambos os pulmões em colapso

A imagem por ultrassom pode ajudar a minimizar o risco de desenvolver uma complicação grave das injeções no ponto de gatilho.


Sumário

As injeções no ponto de gatilho podem ser um tratamento seguro para condições de dor crônica, como síndrome da dor miofascial, fibromialgia e dores de cabeça do tipo tensional.

Um médico ou outro profissional de saúde administra as injeções diretamente no músculo afetado.

A injeção pode conter anestésico local, corticosteróide ou toxina botulínica A.

As injeções no ponto de gatilho podem proporcionar alívio imediato da dor para algumas pessoas, enquanto outras podem não ter resposta ao tratamento.

Um médico pode fornecer informações mais detalhadas sobre os riscos e benefícios deste tratamento.

Tradução do texto original : https://www.medicalnewstoday.com/articles/327384#uses

quinta-feira, 31 de maio de 2012

PARA QUEM TEM DOR DE CABEÇA CRÔNICA


NOTÍCIA IM POR TAN TE !!!!!!!
PARA QUEM TEM DOR DE CABEÇA CRÔNICA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

31/05/2012 às 07h48min - Atualizada em 31/05/2012 às 07h48min

Mutirão atenderá pacientes com dor de cabeça crônica em 11 Estados

As pessoas que sofrem com dor de cabeça crônica podem fazer uma consulta neurológica gratuita, com especialistas, neste fim de semana (1º e 2 de junho).

Organizado pela Sociedade Brasileira de Cefaleia, o mutirão será realizado em 11 Estados. No ano passado, em um único dia 150 foram atendidos em Fortaleza e outras 200 agendaram consultas posteriores.

O objetivo do mutirão é garantir atendimento aos portadores da doença, que muitas vezes ficam fora do prestado pelo sistema de saúde pública.

Recomenda-se agendar antecipadamente o horário. Veja os locais:

DIA 1º DE JUNHO

SÃO PAULO/SP
Data: 1/6, das 9h às 16h30
Local: Hospital São Paulo Unifesp, Setor de Cefaleia
Endereço: R. Napoleão de Barros, 771, térreo, balcão 5 da Neurologia
Agendamento: tel. (11) 5084-6339 , com Vanessa, entre 10h e 18h

BELO HORIZONTE/MG
Data: 1/6, início às 13h
Local: Unifenas BH
Endereço: R. Libano, 66
Agendamento: tel. (31) 3201-4577

DIA 2 DE JUNHO

SÃO PAULO
Data: 2/6, das 9h às 17h
Local: Clínica de Cefaleia e Neurologia Endereço: A. Eusébio Matoso, 366
Agendamento: tel. (11) 3812-1267

RIBEIRÃO PRETO/SP
Data: 2/6, início às 8h
Local: Ambulatório da Santa Casa
Endereço: R. Goias, 635 esquina com a R. São Paulo
Agendamento: tel. (16) 3979-3575

SALVADOR/BA
Data: 2/6, das 9h às 17h
Local: Instituto do Cérebro
Endereço: R. Deocleciano Barreto, 10
Sem necessidade de agendamento
Informações: tel. (71) 4009-8888

VALENÇA/BA
Data: 2/6, das 9h às 13h
Local: Centro comunitário Rosas Vermelhas
Endereço: R. Dalmo Dias, s/n

FORTALEZA/CE
Data: 2/6, das 8h às 17h
Local: Hospital Geral de Fortaleza
Endereço: R. Avila Goulart, 900, 1º andar, Ilha da Neurologia
Atendimento: Serão atendidos os primeiros cem pacientes portando uma solicitação de consulta por cefaleia de um posto de saúde e o documento de identidade com foto

VITÓRIA/ES
Data: 2/6, das 13h às 17h
Local: Emescam
Endereço: Av. Nossa Senhora da Penha, 2190
Atendimento: Os interessados deverão comparecer com carta de encaminhamento do Posto de Saúde, com identificação legível do médico solicitante, para onde e para quem serão reencaminhados com formulário preenchido e proposta de conduta.
Os interessados não precisam agendar.

BARBACENA/MG
Data: 2/6, das 8h às 17h
Local: Hospital Escola
Endereço: R. José Francisco Paes, 320

CAMPINA GRANDE/PB
Data: 2/6, das 8h às 17h
Local: Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande
Endereço: Av. Senador Argemiro de Figueiredo, 1901
Informações: tel. (83) 2101-8885

RECIFE/PE
Data: 2/6, das 8h às 12h
Local: Hospital Oswaldo Cruz (Santo Amaro)
Endereço: R. Arnóbio Marques, 310, dentro do campo da Universidade Federal de Pernambuco
Agendamento: tel. (81) 3184-1239 ou
(81) 3184-1318

TERESÓPOLIS/RJ
Data: 2/6, das 8h às 14h
Local: Clínica Dr. Hélio Pancotti Barreiros
Endereço: R. Francisco Sá, 336 sala 402
Agendamento: tel. (21) 2742-2996

CURITIBA/PR
Data: 2/6, das 8h às 12h
Local: Centro de Especialidades Santa Felicidade
Enderereço: Av. Toaldo Tulio, 2500
Agendamento: tel. (41) 3370-1575

FONTE: http://www.jornalfloripa.com.br/brasil/index1.php?pg=verjornalfloripa&id=21865