Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se estender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas com diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? na coluna ao lado esquerdo das postagem clique no link "Mas o que é fibromialgia"


TRADUTOR

Mostrando postagens com marcador opções de tratamento da fibromialgia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador opções de tratamento da fibromialgia. Mostrar todas as postagens

sábado, 21 de dezembro de 2013

Explore as opções para a fibromialgia

Na semana passada, abordei a fibromialgia, uma doença do SNC complexo sistema pensado para ser o resultado de nervos hiperativas. Isso significa que aqueles que sofrem com fibromialgia têm ultra-sensíveis "tender points" que podem surgir em todo o corpo, o envio de sinais de dor exageradas quando até mesmo a menor pressão é aplicada.
Mas há mais a esta doença do que apenas dor horrível. Queixas comuns incluem cansaço extremo melhor descrito como sendo "atropelado por um caminhão", depressão, distúrbios do sono, dores de cabeça, dor na mandíbula e síndrome do intestino irritável. E se isso não bastasse, os problemas de raciocínio e memória, conhecidos como "névoa fibro" podem conspirar, causando um colapso de todo o sistema para quem sofre de fibromialgia.
Embora a causa exata da fibromialgia é desconhecida, sabemos que sexo, idade e genética pode colocá-lo em risco. As mulheres começam a fibromialgia com mais freqüência do que os homens, sendo mais velhos aumenta o risco, e se você tiver um parente próximo com a doença, que são mais suscetíveis. Felizmente, fizemos progresso em nossa batalha contra a fibromialgia. Se a sua bisavó experimentou a dor intensa da fibromialgia, ela provavelmente teria sido diagnosticado com "reumatismo", e disse que não há nada a ser feito além de tentar controlar a dor. Estamos certamente fazer melhor do que isso, mas ainda há um longo caminho a percorrer.

Tratamentos não ortodoxos

Um diagnóstico formal para a fibromialgia não existia até 1990 e, a medicina moderna tem sido ocupado jogando catch-up desde então. Infelizmente, não há nenhuma bala mágica que pode ser usada para curar a dor, depressão e fadiga associada a fibromialgia, mas estamos ficando melhor em tratamento.O que funciona melhor parece ser uma combinação da medicina ocidental tradicional e terapias alternativas. E, por causa da complexidade da doença, seu médico pode montar um plano de assistência multidisciplinar que inclui um fisioterapeuta, terapeuta licenciado da massagem, e um psicoterapeuta se necessário, para tratar a depressão. Como o sono é muitas vezes um problema, um estudo do sono é uma boa ideia para descartar apneia do sono.


Uma coisa, entre muitos, que define a fibromialgia diferencia é que a primeira linha de tratamento o seu médico irá iniciar não pode envolver a prescrição de medicamentos fortes. Correndo o risco de soar como um disco quebrado nesta coluna, o exercício é altamente recomendado como uma boa opção. A pesquisa mostra que o exercício aeróbio moderado e regular combinado com alongamento suave pode ser um dos tratamentos mais eficazes para a fibromialgia. Atualmente, os Institutos Nacionais de Saúde estão envolvidos em estudos que medem a eficácia de uma forma simplificada de tai chi chuan no tratamento da dor, sono, fadiga e depressão em pacientes com fibromialgia. Um benefício secundário que também é muito importante é que o tai chi é geralmente praticada em grupos. Isso aumenta as conexões sociais, o que contribui com a cura emocional.

Medicamentos

Dependendo da eficácia dos exercícios, massagem terapêutica e outras abordagens alternativas, o médico pode adicionar medicamentos para o plano de tratamento. Há uma série de medicamentos o seu médico pode prescrever, mas apenas três são aprovados pela FDA para tratar a fibromialgia. Pregabalina (Lyrica) metas e acalma os sinais nervosos e alivia a dor. Analgésicos podem ser usados, mas carregam o risco de dependência física e psicológica, de modo geral não são considerados a melhor opção de tratamento a longo prazo. A duloxetina (Cymbalta/Velija) e Milnacipran (Savella/Ixel) são os antidepressivos e ajudar algumas pessoas levantando os níveis de neurotransmissores tão necessários (substâncias químicas do cérebro), o que resulta em menos dor e depressão e melhora o sono.
A fibromialgia permanece um mistério em muitos aspectos, mas, felizmente, os sofredores são agora vistos como pessoas de boa fé e, são concedidos a  eles atenção que merecem. Ainda temos um longo caminho a percorrer, mas pelo menos a variedade de terapias empregadas no presente momento estão mostrando resultados promissores.

RECURSOS

• Fibromialgia Nacional e Associação dor crônica emwww.fmcpaware.org
• Instituto Nacional de Artrite e músculo-esqueléticas e doenças de pele, Institutos Nacionais de Saúde nowww.niams.nih.gov
• Centro Nacional para Medicina Complementar e Alternativa em http://nccam . nih.gov
• WebMD em www.webmd.com

Anita Miles Curpier é um consultor de promoção da saúde. Ela é também uma nutricionista e tem uma experiência considerável no hospital e terapia nutricional baseada clinicamente.

•Fonte: http://www.courier-journal.com/article/20131219/FEATURES03/312190049/Booming-Explore-options-fibromyalgia